conecte-se conosco


Política Nacional

Casamento de Lula e Janja precipita saída da socióloga de Itaipu

Publicado

source
Lula e Janja arrow-options
Ricardo Stuckert

Lula na saída da prisão em Curitiba ao lado da namorada Janja.

A socióloga e namorada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , Rosângela da Silva, conhecida como Janja , assinou adesão ao Programa de Demissão Voluntária (PDV) da Itaipu. A soltura do petista e o anúncio do casamento fez com que ela pedisse afastamento da binacional. Janja trabalhou por quase 15 anos e tinha salário de R$ 20 mil. 

De acordo com a superintendente de Comunicação da Itaipu , Patrícia Iunovich, foi acertado o desligamento oficial de Janja da companhia em 2 de janeiro. “Até lá, ela vai usufruir de férias e dias de bonificação a que tem direito”, disse à Folha de São Paulo. 

Leia mais: ‘Não quero ficar falando mal de presidente’, diz Lula em vídeo; assista

A socióloga de 52 anos estava com situação funcional indefinida desde que o general Joaquim Silva e Luna decidiu fechar o escritório de Itaipu em Curitiba. O general assumiu o comando da companhia no governo Jair Bolsonaro. 

Veja Também:  Militares de baixa patente romperam com Bolsonaro, diz sindicalista

Cerca de 120 funcionários da capital paraense serão transferidos para Foz do Iguaçu até 31 de janeiro de 2020. A futura esposa de Lula ainda não havia comunicado à direção se iria ou não.

Leia também: PT mantém segredo sobre deslocamentos de Lula como garantia de “segurança”

De acordo com a Folha de São Paulo, uma pessoa que acompanhou as negociações informou que o processo de Janja estava aguardando a soltura do petista para ser definida por ela. Com a saída do ex-presidente da cela da Polícia Federal em Curitiba ,  a decisão foi tomada de assinar a demissão. 

Ainda de acordo com a Folha, Janja usava as folgas e o horário flexível para visitar Lula. A socióloga trabalha no setor de responsabilidade social de Itaipu, sendo responsável por ações de voluntariado. A carga horária exigida no trabalho era cumprida integralmente e seu ponto era controlado de forma regular, assim como o dos demais funcionários.

Fonte: IG Política
publicidade

Política Nacional

Bolsonaro nega mudanças em ministérios e elogia trabalho de Weintraub

Publicado

source

Agência Brasil

Bolsonaro arrow-options
José Dias/PR – 19.11.19

Bolsonaro classificou o trabalho do atual ministro da Educação como ‘excelente’


Leia também: Bolsonaro afirma que vai incluir policiais condenados em indulto natalino

O presidente Jair Bolsonaro negou que vá trocar de ministérios no início do ano que vem. A jornalistas, ele afirmou que não há nada que o leve a tirar alguém do primeiro escalão. “Não está previsto [mudança em ministérios]. Não tem nada que me leve a trocar um ministro que seja”, disse em Brasília, neste sábado (14) ao passear pela Praça dos Três Poderes, no centro da capital.

Ele também elogiou o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Considerou seu trabalho “excelente” e os acusou governos anteriores de conduzirem a educação “por um mau caminho”. “Olha a prova do Pisa. Foi feito em abril do ano passado, uma das piores notas do mundo todo”, disse  Bolsonaro , referindo-se ao Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa).

Divulgado no início de dezembro pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Pisa aponta que, em 2018, o Brasil teve uma leve melhora nas pontuações de leitura, matemática e ciências. No entanto, apenas dois em cada 100 estudantes atingiram os melhores desempenhos em pelo menos uma das disciplinas avaliadas.

Veja Também:  Militares de baixa patente romperam com Bolsonaro, diz sindicalista

O presidente deixou o Palácio da Alvorada, no início da tarde deste sábado, em direção à festa de confraternização do gabinete do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli. Em seguida, ele foi ao Hospital das Forças Armadas (HFA) visitar um funcionário do Alvorada, que está internado em virtude de um acidente de trânsito.

Leia também: Com 1 ano de governo, Bolsonaro segue em campanha e é pouco aprovado

Antes de retornar à residência oficial, Bolsonaro fez duas paradas. A primeira na Esplanada dos Ministérios para cumprimentar policiais militares que davam plantão no local. Logo depois seguiu para a Praça dos Três Poderes. Lá, desceu do carro e tirou fotos com várias pessoas que lá estavam, entre turistas e vendedores de picolés. Em seguida, voltou para o Alvorada.

Fonte: IG Política
Continue lendo

Política Nacional

João Doria lamenta mortes após deslizamento em Campos do Jordão

Publicado

source
João Doria arrow-options
Divulgação/ Governo do Estado de São Paulo

Joao Doria, governador do estado de São Paulo, lamentou a morte de quatro pessoas após deslizamento de terra

Leia também: Em São Paulo, Doria discute o novo PSDB com Fernando Henrique Cardoso

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) usou sua conta no Twitter para lamentar a morte de  quatro pessoas após deslizamento de terra que aconteceu na madrugada deste sábado (14) em Campos do Jordão, após forte temporal na região.

Doria escreveu: “Minha solidariedade aos familiares das 4 vítimas que perderam suas vidas nos deslizamentos decorrentes das fortes chuvas que atingiram Campos do Jordão. Entre as vítimas, 1 senhora e 3 crianças. Momento de profunda dor para familiares, amigos e para população de Campos do Jordão.”

Segundo o governador, a Defesa Civil, a Polícia Militar e os Bombeiros do estado de São Paulo, além dos Intitutos de Pesquisas Tecnológicas e Geológico, estão desde a madrugada nas regiões atingidas, realizando trabalho de busca, mapeamento e isolamento de novas áreas de risco. 

Veja Também:  Maioria da população considera justa a soltura de Lula, aponta Datafolha

“O Fundo Social de SP também está enviado mantimentos para as famílias que estão desalojadas por conta dessa triste tragédia”, concluiu em uma sequência de postagens. 


Deslizamento em Campos do Jordão

Na madrugada deste sábado (14), um deslizamento de terra deixou quatro mortos, sendo três da mesma família, nos bairros Vila Britânica e Monte Carlos, em Campos do Jordão, que fica a 184 quilômetros da capital paulista.

Entre os mortos estão uma mulher de 51 anos, um adolescente de 13 anos e duas crianças, de cinco e um ano e 11 meses. De acordo com a Defesa Civil estadual, a terra atingiu as casas, que acabaram desabando, após fortes chuvas durante a tarde e noite de sexta-feira (13).

Veja Também:  Militares de baixa patente romperam com Bolsonaro, diz sindicalista

Leia também: Novo recorde: em 10 meses de governo Doria, polícia prende 200 mil criminosos

Pelo menos 11 pessoas foram levadas ao pronto socorro municipal, com ferimentos. No total, 15 pessoas estão desalojadas e foram abrigadas em casa de parentes. 

Fonte: IG Política
Continue lendo

Política Nacional

Bolsonaro afirma que vai incluir policiais condenados em indulto natalino

Publicado

source
Bolsonaro arrow-options
Carolina Antunes/PR – 25.11.19

Bolsonaro também defendeu ação da polícia e disse que policiais não devem ser ‘criminalizados’

Leia também: Com 1 ano de governo, Bolsonaro segue em campanha e é pouco aprovado

O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado (14) que pretende incluir policiais condenados como beneficiários do indulto natalino, a ser publicado no fim do ano por seu governo. Publicado todo ano, o indulto dá o perdão da pena a pessoas condenadas que se enquadrarem nos critérios estabelecidos.

Uma minuta de proposta de indulto feita pelo Ministério da Justiça deixou os policiais de fora, mas Bolsonaro declarou que irá incluí-los. A publicação do indulto é de responsabilidade do presidente da República.

“Vai ter policial sim, vai ter civil, vai ter todo mundo [no indulto]. Agora sempre tão esquecendo dos policiais, sempre. Não é justo isso aí. Policial que tá preso aí por abuso porque dá dois tiros num vagabundo de madrugada, ele deu três, aí foi preso por abuso. Abuso é por parte de quem prendeu, no meu entender, não por parte dele que tava cumprindo sua missão de madrugada”, afirmou ao sair do Palácio da Alvorada.

Veja Também:  Militares de baixa patente romperam com Bolsonaro, diz sindicalista

Leia também: Carlos Bolsonaro compartilha vídeo que acusa Witzel de tramar contra Bolsonaro

Ainda durante a entrevista aos jornalistas, o presidente defendeu o trabalho dos policiais e afirmou que eles não podem ser “criminalizados”. “Não podemos continuar cada vez mais criminalizando os policiais no Brasil. Eles fazem por regra um excelente trabalho. Ou tem indulto pra todo tipo de gente ou não tem pra ninguém”, disse.

Questionado sobre possíveis vetos ao projeto de lei anticrime, aprovado nesta semana no Congresso Nacional Bolsonaro disse que conversou rapidamente com o ministro da Justiça Sergio Moro sobre o assunto e que deve vetar um aumento da pena pros crimes de calúnia e difamação. Também disse que ainda vai estudar outros possíveis vetos.

Leia também: Maia defende valor menor para o fundo eleitoral do ano que vem

Sobre o fundo eleitoral de R$ 3,8 bilhões, afirmou que não fez nenhum acordo e vai decidir sobre o assunto “quando chegar em minha mesa”.

Fonte: IG Política
Veja Também:  Maioria da população considera justa a soltura de Lula, aponta Datafolha
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana