conecte-se conosco


Rondonópolis

Comunidades da região Oeste de Rondonópolis fazem reivindicações para beneficiar 20 mil moradores

Publicado

Comunidades da região Oeste de Rondonópolis fazem reivindicações para beneficiar 20 mil moradores
Assessoria

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) se reuniu nesta segunda-feira (28) com representantes do Conselho de Comunidades da região Oeste de Rondonópolis (Coreo), no bairro Padre Lothar. Na oportunidade, foram apresentadas várias reivindicações, entre elas, na área de Educação e Infraestrutura para beneficiar, pelo menos, 20 mil moradores da região. Quem participou da reunião também foi o pastor da igreja Quadrangular, Marcos Ribeiro.

Desde 2013, os moradores solicitam a construção de uma escola estadual para atender as comunidades locais, já que não há nenhuma unidade escolar do estado para atender os bairros Residencial Padre Lothar, Vila Rica, João Morais, Mathias Neves I, II e II, Paiaguás I, II, III e IV, Antônio Geraldine, e ainda os novos residenciais – Dona Newma e Melquíades Figueiredo I, II e III.

“Essa é uma solicitação antiga, pois nossa região é afastada da região central da cidade e, sem escola estadual, muitos estudantes que cursam as séries da grade curricular do Ensino Médio e boa parte do Ensino Fundamental acabam sendo obrigados a se deslocar para as mais variadas regiões da cidade em busca de uma vaga que os atenda. Hoje, temos uma área disponível em Padre Lothar, com tamanho de oito mil metros quadrados para a construção da unidade”, afirmou o presidente do Coreo e presidente do bairro Padre Lothar, Cláudio dos Santos.

Veja Também:  Fim do churrasco | Homem é detido furtando picanhas no Atacadão em Rondonópolis

Já na área de Infraestrutura, o Conselho das comunidades pedem alterações no projeto de prolongamento da Avenida Rio Branco no perímetro central do residencial Padre Lothar. Esta via dá acesso a diversos bairros, como Residencial Padre Lothar, Vila Rica, João Morais, Mathias Neves I, II e II, Paiaguás I, II, III e IV, Antônio Geraldine, e ainda os novos residenciais dona Newma e Melquíades Figueiredo I, II e III.

“Esta mesma avenida hoje se torna a principal via de acesso da cidade ligando o anel viário Conrado Salles Brito a Lions Internacional. O problema é que essa obra teve várias falhas de execução e planejamento, sendo as mais graves, a falta de sinalização no percurso entre Padre Lothar e Mathias Neves e a ausência de rotatórias e contornos em pontos estratégicos”, explicou Cláudio.

Nesse sentido, os moradores querem um contorno sentido centro bairro, antes do córrego Queixada; rotatória no cruzamento da Avenida Contorno Sul com a Avenida Rio Branco; ponto de escoamento da água represada nas imediações da rua São João Del Rey; correção da rotatória entre os bairros Padre Lothar, Vila Rica, Mathias Neves e Antônio Geraldine; sinalização em todo percursos com placas de identificação e limites de velocidade, além de uma faixa de pedestre em frente à igreja Nossa Senhora de Fátima, bem a implantação de uma lombada eletrônica ou redutor de velocidade nos trechos mais críticos.

Veja Também:  Câmeras no trânsito deverão voltar início de 2020, licitação já tem data marcada.

Após ouvir as demandas, o deputado Delegado Claudinei vai fazer indicações das solicitações junto ao Governo do Estado, por meio das secretarias de Estado de Infraestrutura e Educação. “É uma região que carece muito da nossa atenção, compreendido por 16 bairros. São problemas na questão de infraestrutura e também a necessidade de uma escola estadual, pois estudantes se deslocam para várias regiões a fim de conseguirem estudar, inclusive, para a zona rural na gleba Rio Vermelho. Vamos encaminhar essas indicações na Assembleia Legislativa”, finalizou Delegado Claudinei.

publicidade

Mato Grosso

Anel viário de Rondonópolis, obra já apresenta defeito antes mesmo de conclusão

Publicado

São vários pontos com sinais de danificação pela má qualidade

Mesmo antes de ser entregue, a obra de recuperação do pavimento do Anel Viário “Conrado Sales de Brito”, no trecho que vai da MT-130 até a BR-364, em Rondonópolis, já apresenta defeitos e buracos em alguns pontos. A obra, que custará R$ 5,947 milhões aos cofres públicos, teve início no último dia 19 de agosto.

O trecho em questão, que aparentemente está concluído, apresenta buracos em vários pontos, alguns em maior e outros em menor escala, mas que formam uma sequência em linha reta, que deixam a entender que são defeitos na própria execução da obra.

O fato já foi percebido pelas pessoas que transitam frequentemente pelo local, que temem que em pouco tempo o pavimento se deteriore novamente, já que estamos no período chuvoso e, certamente, a água da chuva irá se infiltrar nesses pontos e danificar tanto o asfalto quanto sua base, trazendo de volta os grandes buracos na pista, e com eles todos os problemas decorrentes disso, como a volta do intenso tráfego de veículos pesados pelas ruas da cidade, que tantos transtornos causaram em um passado recente.

Veja Também:  Anel viário de Rondonópolis, obra já apresenta defeito antes mesmo de conclusão

Todo o maquinário e os trabalhadores já foram retirados do trecho. Eles agora trabalham na recuperação de outro trecho do Anel Viário, que vai da MT-130 até a Avenida dos Estudantes, antigo perímetro urbano da MT-270, onde as obras estão bastante adiantadas e devem ser concluídas nos próximos dias.

QUALIDADE DUVIDOSA

Outro ponto que vem sendo bastante questionado pelos usuários da via é a qualidade do asfalto, que foi feito a frio e tem uma espessura mínima, deixando dúvidas se resistirá ao intenso tráfego de caminhões e carretas. Esse tipo de asfalto é preparado no próprio local da sua aplicação, diferentemente do Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ), que precisa de uma usina para preparar emulsão asfáltica para a aplicação.

Segundo especialistas, o asfalto a frio sofre maior desgaste pelo uso e tem um envelhecimento mais acelerado em relação ao CBUQ, por ser mais suscetível à ação da água e do ar.

AÇÃO DOS PARLAMENTARES

Parlamentares de Rondonópolis presente no lançamento da obra

A paternidade da obra foi muito disputada por deputados, no início do mandato do atual governador, momento em que fora lançada a licitação e início dos trabalhos, porém o que a população agora espera é que estes mesmos, encarem de frente e digam para a sociedade se esta obra está de acordo com os padrões para uma rodovia que recebe um tráfego intenso de carretas, até porque muito em breve quando novas crateras se abrirem, será nitidamente perceptível que mais uma vez o dinheiro do contribuinte foi embora pelo ralo da incompetência  dos nossos políticos.

Veja Também:  irmãos se destacam em PET SHOP de Rondonópolis

Continue lendo

Mato Grosso

Câmeras no trânsito deverão voltar início de 2020, licitação já tem data marcada.

Publicado

foto: jornal A tribuna

Câmeras foram retiradas em 2019, após município não prorrogar contrato

A Prefeitura de Rondonópolis está pretendendo retomar a fiscalização eletrônica, no trânsito da cidade, a partir de 2020. Está previsto, para o dia 3 de dezembro, a partir das 8h30, na Secretaria Municipal de Administração, a abertura dos envelopes com a melhor proposta para operar o sistema pelo prazo de 60 meses, com valor estimado em R$ 32 milhões, para o período que corresponde a cinco anos. Caso o processo ocorra dentro do prazo estipulado, é provável que o sistema volte a funcionar em fevereiro do ano que vem.

A empresa que ganhar o certame terá que disponibilizar equipamentos e mão de obra, com a finalidade de fiscalização eletrônica e o monitoramento de múltiplas funcionalidades, tais como, avanço semafórico, parada sobre a faixa de pedestres, excesso de velocidade e a circulação de veículos em local proibido, cerco eletrônico com parametrização dos dados e controle de informações de trânsito, além da emissão de notificações da autuação de infração (NAI) e notificações de imposição de penalidade (NIP). A instalação de câmeras com OCR (reconhecimento óptico de caracteres) também estava prevista.

Veja Também:  Câmeras no trânsito deverão voltar início de 2020, licitação já tem data marcada.

O sistema de fiscalização eletrônica do trânsito está desativado desde janeiro de 2019, já que o contrato com a empresa que prestava o serviço venceu e a Prefeitura teve o interesse em renovar.

A antiga empresa, a Talentech venceu, em 2013, uma licitação para implantação e manutenção dos radares fixos, monitores de avanço semafórico, lombadas eletrônicas e painéis de mensagens, sendo que o contrato foi firmado em 2014, ao custo de R$ 21.999.999,60, a ser pago pelo Município em 60 meses.

O contrato tinha a validade de cinco anos (com data final em 19 de janeiro de 2019) e era prorrogável, de forma excepcional, por mais 12 meses caso um novo processo de licitação fosse deflagrado.

Continue lendo

Policial

Fim do churrasco | Homem é detido furtando picanhas no Atacadão em Rondonópolis

Publicado

Homem é detido furtando picanhas no Atacadão em Rondonópolis
Foto: PM/MT

Um homem foi detido em flagrante após furtar duas peças de picanha, nesta quinta-feira (14), no supermercado Atacadão, no centro de Rondonópolis.

De acordo com informações, o funcionário de prevenção de perdas do Atacadão abordou o suspeito no pátio do supermercado, onde ele constatou que o homem havia furtado duas peças de picanha.

Foto: PM/MT

A Polícia Militar foi acionada, realizou a detenção do suspeito e o encaminhou à delegacia de polícia.

Após checagem do conduzido identificado como Vinícius Monteiro da Silva, foi constatado um mandado de prisão em desfavor do suspeito, expedido pela justiça estadual do Mato Grosso Sul.

Veja Também:  irmãos se destacam em PET SHOP de Rondonópolis
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana