conecte-se conosco


Nacional

Conheça Dyhzy, filho drag de candidato à presidência da Argentina

Publicado

source
Dyhzy arrow-options
Reprodução/Instagram

Estanislao Fernández, mais conhecido como Dyhzy, é a nova sensação nas noites argentinas

Estanislao Fernández, mais conhecido como Dyhzy, é a nova sensação nas noites argentinas. O filho do candidato à presidência da Argentina, Alberto Fernández , chama atenção da mídia ao fazer sucesso como Drag Queen.

Leia também: Ação contra Dallagnol por mensagens vazadas no Telegram é reaberta

O jovem, que tem 24 anos, começou a se montar ainda novo quando conheceu os mundo dos ‘cosplayers’. Segundo entrevista dada à rádio argentina ‘Formosa’, a paixão dele veio logo após começar a namorar uma menina que vivia imersa no mundo dos ‘cosplay’ e iniciou sua paixão por personagens de desenhos japoneses.

“Estava me relacionando com uma garota que fazia cosplay e comecei a me interessar. Foi assim que comecei a me fantasiar e, ao mesmo tempo, conheci o mundo das drag queens”, contou Dyhzy , que tem mais de 60 mil seguidores em seu perfil no Instagram.

Ver essa foto no Instagram

Hookah 🌟 – Foto por @horror_movie_shoes 📸

Uma publicação compartilhada por ⚡ D Y H Z Y ⚡ (@dyhzy) em 11 de Ago, 2019 às 5:36 PDT

Para ele, a sexualidade é fluida e mesmo se declarando como gay assumido, namora há três anos com uma jovem argentina. Para ele estar com alguém não depende do gênero e sim da conexão que tem com a pessoa.

Ele afirma não ter nenhum problema de relacionamento com o pai, Alberto , que inclusive já deu entrevista em vários lugares dizendo que não tem medo de ser rejeitado por conta do trabalho do filho e diz com orgulho que ele é um grande homem.

Leia também: Após críticas a aliados, Alexandre Frota é expulso do PSL

Em uma entrevista concedida a rádio Vos, o candidato à presidência disse: “Nesse mundo [de drag queen], que não conheço muito, ele é muito respeitado e reconhecido. Tenho orgulho do meu filho. Como não vou tê-lo? Ele é militante dos direitos dessa comunidade. Ficaria preocupado se meu filho fosse um delinquente”, declarou Alberto.

Fonte: IG Nacional
Veja Também:  Jovem internada com dor descobre que carregava irmão gêmeo malformado na barriga
publicidade

Nacional

Chuva e máxima de 16ºC são esperadas para esta terça-feira, em São Paulo

Publicado

source
são paulo arrow-options
Bruno Rocha/Fotoarena/Agência O Globo

São Paulo terá semana fria e chuvosa

São Paulo terá mais um dia chuvoso e frio nesta terça-feira (20), de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE). 

O dia amanhece nublado e com mínima de 13ºC. A previsão do tempo indica máxima de 16º e pancadas de chuva durante todo o dia. O CGE também alerta para chuvas de forte intensidade. O índice de umidade do ar se mantém alto, entre 75 e 90%. 


Fonte: IG Nacional
Veja Também:  Garçom é assassinado por cliente após demorar muito para preparar lanche
Continue lendo

Nacional

Associação diz que escolha de PGR não pode ‘servir a propósitos pessoais’

Publicado

source
Jair Bolsonaro arrow-options
Marcos Corrêa/PR – 17.8.19

Presidente Jair Bolsonaro é o responsável por escolher o novo PGR

A Associação Nacional dos Procuradores da República ( ANPR ) divulgou nota nesta segunda-feira (19) criticando a possibilidade de escolha de um procurador-geral da República (PGR)
alinhado ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e seu filho Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e por fora da lista tríplice votada internamente pela categoria.

Leia também: Procuradores temem que favorito a assumir PGR se torne um “engavetador-geral”

Em tom de dura crítica, a diretoria da ANPR escreveu que o PGR “exerce, por óbvio, uma função de Estado e não de governo, não podendo ser indicado, por exemplo, em razão de
‘alinhamento’ com os projetos e ideias defendidos por aqueles que compõem quaisquer dos Poderes da República. Tampouco pode-se cogitar que a escolha do PGR possa servir a
propósitos pessoais. Qualquer tentativa de interferência indevida tem impacto negativo no combate ao crime, à corrupção, e na garantia dos direitos fundamentais”.

A nota diz ainda que o surgimento de vários candidatos que não disputaram a lista tríplice impede à categoria e à sociedade saber seus projetos e suas ideias para a instituição.

Veja Também:  Evento com Witzel é interrompido por protestos: “tem que parar de matar aluno”

Leia também: Favorito à PGR foi condenado pelo TCU por aposentadoria irregular

“Nas últimas semanas, o noticiário nacional veicula que diversos membros do MPF, que não participaram do debate público e não receberam votação para estar na lista tríplice,
estariam buscando a nomeação por meio de conversas reservadas ocorridas na Presidência da República. Não sabemos, nós e a população brasileira, quais são seus planos, ideias e
compromissos para comandar a instituição”, escreveu a ANPR.

Na nota, a instituição ressalta que a lista tríplice garante o respaldo perante os pares e a independência do Ministério Público Federal. “A lista tríplice, formada por votos de
82,5% da categoria em processo democrático e transparente, é mecanismo que garante um PGR independente, agregador e comprometido exclusivamente com a Constituição da República. Percebe-se que não há motivos transparentes para recusar, ao mesmo tempo, as três lideranças institucionais apresentadas na lista tríplice”, diz a ANPR.

Leia também: Dodge diz que projeto de abuso de autoridade pode se tornar ‘veneno’

Fonte: IG Nacional
Continue lendo

Nacional

Egípcio acusado de terrorismo presta esclarecimentos ao FBI em São Paulo

Publicado

source
Mohamed Ahmed Elsayed Ahmed Ibrahim arrow-options
Arquivo pessoal

Mohamed Ahmed Elsayed Ahmed Ibrahim, egípcio acusado de terrorismo, foi interrogado pelo FBI em São Paulo

Acusado de ligação com terroristas da Al Qaeda e procurado pelo FBI, o egípcio Mohamed Ahmed Elsayed Ahmed Ibrahim é alvo de um procedimento investigatório do Ministério Público Federal de São Paulo. A investigação corre em sigilo e faz parte de uma cooperação internacional com os Estados Unidos. As autoridades brasileiras já tinham conhecimento do
caso, que foi aberto antes de o FBI divulgar a foto de Ibrahim no Twitter numa lista de procurados da polícia americana sob suspeita de terrorismo na semana passada.

Leia também: Policial que matou jovem dando início a “Black Lives Matter” é demitido

O egípcio , sua mulher brasileira e até mesmo sua sogra prestam esclarecimentos nesta segunda-feira (19) a agentes do FBI, acompanhados de procuradores do MPF. Ibrahim se casou com uma brasileira em junho do ano passado num cartório no bairro do Pari, na capital paulista. Ela está grávida de quatro meses.

Veja Também:  Evento com Witzel é interrompido por protestos: “tem que parar de matar aluno”

Em entrevista na última quinta-feira (15), Ibrahim negou as acusações e alegou que é vítima de perseguição política no Egito. Afirmou ainda que apoiava o movimento político
ligado ao ex-presidente Mohamed Mursi, que acabou deposto do poder pelos militares em 2013. Na sexta, o  egípcio foi ouvido pela PF no aeroporto de Guarulhos e reiterou que não
ligação com grupos terroristas.

“Não sou terrorista. Eu resolvi refazer a minha vida e já estou no Brasil há dois anos casado e trabalhando. Tenho muito medo de ser extraditado porque os dissidentes do governo
do meu país são torturados e mortos”, afirmou à imprensa.

Segundo pessoas próximas ao egípcio, Ibrahim já está sendo monitorado pela PF há cerca de seis meses, quando foi abordado numa Mesquita de Guarulhos por agentes e teve que
prestar esclarecimentos pela primeira vez.

Segundo fontes ligadas às investigações, o governo brasileiro ainda aguarda mais elementos do FBI para decidir sobre a situação de Ibrahim .

O FBI suspeitaria de uma empresa de turismo aberta por Ibrahim na Turquia, para onde fugiu inicialmente. Lá, ele transportava turistas para Capadócia e Instanbul, entre outros
destinos turísticos. O FBI acredita que ele também levaria suspeitos que iam pra Síria, Afeganistão e outros países onde há operação de células terroristas.

Veja Também:  Trump tem interesse em comprar a Groenlândia, mas Dinamarca não quer vender

Além disso, os agentes americanos também teriam encontrado movimentações suspeitas nas contas bancárias de Ibrahim. A defesa alega que a família de Mohamed  tinha uma situação
financeira confortável no Egito antes de os militares tomarem o poder em 2013. Seriam donos de uma empresa de tecelagem. O egípcio era professor de árabe numa universidade no
Cairo.

Fonte: IG Nacional
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana