conecte-se conosco


Política Nacional

Doria discute com manifestantes após ser vaiado: “Vai pra casa, vagabundo”

Publicado

source
joão doria arrow-options
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

Governador João Doria participou de evento em Taubaté e foi vaiado por manifestantes

Durante evento nesta terça-feira (15) na cidade de Taubaté, interior de São Paulo, o governador João Doria (PSDB) discutiu com manifestantes que apoiam o presidente Jair Bolsonaro (PSL). O tucano, ao ser vaiado e chamado de “Pinóquio”, revidou e xingou um pequeno grupo de pessoas que estavam com uma caixa de som e cartazes.

Leia também: Doria afirma que deputados liberais do PSL serão bem-vindos no PSDB

“Vai pra casa, vagabundo! Vai pra sua casa. Vai comer sua mortadela com a sua mãe, seu sem vergonha”, disse  Doria após exaltar o trabalho de policiais da cidade. “Enquanto vocês descansam, os policiais estão trabalhando, arregaçando as mangas pra trabalhar”.

Na sequência, ainda ouvindo vaias, o governador insinuou que o líder do governo no Senado, Major Olimpio (PSL-SP), seu inimigo político, teria dado dinheiro para que as pessoas fossem se manifestar contra ele.

Veja Também:  Lula se emociona e agradece a aliados em discurso no PT

“Povo trabalhador, mostre que você trabalha. Mostre pra esses vagabundos que não têm o que fazer. Vai cobrar do Major Olimpio os seus ‘duzentinho’ pra vir aqui falar bobagem no microfone. Vai pra casa, aposentado. Vai pra casa, amigo”, afirmou o tucano.

Leia também: Doria minimiza Bolsodoria e nega rixa com governo: “radicalismo atrasa o Brasil”

Assista ao momento no vídeo abaixo

Em seu Twitter, após o vídeo do entrevero entre apoiadores de Bolsonaro e Doria viralizar, Major Olimpio se pronunciou, saiu em defesa dos manifestantes e atacou o governador, com quem disputou a prefeitura de São Paulo nas eleições de 2016.

“Você é uma vergonha, Doria. Devia ter respeito por quem defende a população. Falar que um policial veterano é vagabundo, demonstra o quanto você despreza a polícia e não merece o cargo que ocupa. Oportunista! Nunca paguei nada pra te vaiarem, você apenas recebe o que merece”, disse Olimpio.

Líder do governo no Senado%2C Major Olimpio (PSL-SP) atacou Doria no Twitter arrow-options
Reprodução/Twitter

Líder do governo no Senado, Major Olimpio (PSL-SP) atacou Doria no Twitter

Leia também: Doria diz que não foi oportunista nas últimas eleições: “Não sou bolsonarista”

Veja Também:  Janaina diz que não se filiará a novo partido de Bolsonaro: “Não vejo sentido”

Na última semana, ao participar de evento da Polícia Militar paulista ao lado de Bolsonaro, Doria foi vaiado. Posteriormente, disse em entrevista que o moviemtno foi “orquestrado” por membros do PSL para “causar constrangimento”.

Fonte: IG Política
publicidade

Política Nacional

Mônica Bergamo fala para Augusto Nunes parar de usar crianças para fazer ataques

Publicado

source
Fotos do Mônica Bergamo e Augusto Nunes uma ao lado da outra em montagem arrow-options
Reprodução

Colunista da Folha e jornalista da JovemPan trocaram farpas no Twitter

A colunista Mônica Bergamo , da Folha de S. Paulo , rebateu o jornalista Augusto Nunes da Jovem  an após ele ter criticado uma notícia dela sobre as visitas do ex-presidente Lula a seus parentes que faleceram durante o período em que ele cumpriu pena na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Nunes acusou a colunista de ser “porta-voz” do petista.

Logo em seguida, Mônica retuitou a publicação de Augusto Nunes e pediu para que ele parasse de “usar crianças e mortos para atingir quem você não gosta”. “Não percebe que isso é asqueroso?”, completou a colunista da Folha .

Na última polêmica envolvendo Augusto Nunes, ele agrediu o jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil . Os dois participavam do programa Pânico , da rádio Jovem Pan, que era também transmitido ao vivo em vídeo pelo internet quando Greenwald chamou Augusto Nunes de covarde por usar os filhos dele, que ele adotou junto com o deputado federal David Miranda (PSOL-RJ), para atingi-lo.

Veja Também:  Bebianno rebate acusações de Eduardo e dispara: “só contei 3% do que eu sei”

Augusto Nunes, então, tentou golpeá-lo. Glenn se protegeu e os dois levantaram, quando Nunes o acertou. A briga logo foi separada e o programa cortado.

Assista ao momento da discussão:

Fonte: IG Política
Continue lendo

Política Nacional

Bolsonaro sinaliza que pode assumir presidência do Aliança pelo Brasil

Publicado

source
Bolsonaro arrow-options
Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro pode ser o líder da legenda “Aliança pelo Brasil”.

O presidente Jair Bolsonaro sinalizou pela primeira vez, nesta segunda-feira (17), que poderá assumir a presidência do Aliança pelo Brasil, partido que deseja criar. Entretanto, ao conversar com jornalistas, não respondeu se ele estaria disposto a acumular as funções da Presidência da República com o comando da nova sigla.

Ao ser questionado se assumiria a presidência do Aliança , o presidente respondeu: “acho que sim”. Em seguida, ao ser perguntando se conciliar a Presidência da República e o comando da legenda não seria um acúmulo de tarefas, Bolsonaro se esquivou. O presidente oficial do ” Aliança pelo Brasil ” tem de ser apresentado até convenção da nova sigla no dia 21 de novembro, em Brasília. A executiva terá 15 pessoas.

Leia mais: Toffoli volta atrás em solicitação de dados sigilosos de 600 mil ao Coaf

“Eu não vou discutir o partido. Está previsto quinta-feira, dia 21, a gente lançar a pedra fundamental do partido”, respondeu Bolsonaro ao chegar ao Palácio do Alvorada na noite desta segunda-feira.

Veja Também:  Aras diz que Coaf enviou 972 relatórios espontaneamente ao Ministério Público

Conforme o Gbolo antecipou, o senador Flávio Bolsonaro ( PSL -RJ) pode ganhar o comando do novo partido político que está sendo formado pelo pai. Ele é a segunda opção para assumir a presidência do ” Aliança pelo Brasil ” , caso o presidente Bolsonaro , que é a expectativa da maioria dos apoiadores, decida não ocupar a liderança formal da sigla que está sendo gestada para aglutinar apoiadores do bolsonarismo .

Leia também: Aras diz que Coaf enviou 972 relatórios espontaneamente ao Ministério Público

A estratégia que vem sendo discutida na criação do “Aliança pelo Brasil” é Bolsonaro assumir a presidência de seu novo partido e, imediatamente, se licenciar, passando o comando para Flávio. Bolsonaro, então, seguiria como uma espécie de presidente de honra.

Investigado no caso envolvendo a atuação de seu ex-assessor Fabrício Queiroz , Flávio se tornou o nome da família viável para o cargo. Isso porque o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) , considerado entre os filhos uma liderança política mais ativa entre os apoiadores, não pode se desfiliar da legenda sob o risco de perder o mandato do Legislativo.

Veja Também:  Bolsonaristas acusam Bivar de envolvimento na morte de ex-namorada

Fonte: IG Política
Continue lendo

Política Nacional

Toffoli volta atrás em solicitação de dados sigilosos de 600 mil ao Coaf

Publicado

source
Toffoli falando a microfone arrow-options
Tomaz Silva / Agência Brasil

Toffoli já havia feito um primeiro pedido ao Coaf

O ministro Dias Toffoli , do Supremo Tribunal Federal (STF), voltou atrás em uma decisão que pedia ao antigo Coaf (Conselho de Constrole de Atividades Financeiras), renomeado para Unidade de Inteligência Financeira (UIF), relatórios sigilosos de 600 mil pessoas físicas e jurídicas dos últimos três anos.

O presidente da Suprema Corte já tinha recebido da UIF o acesso aos relatórios, mas afirmou que as informações prestadas pelo órgão foram satisfatórias e, segundo ele, o Supremo não acessou nenhuma informação sigilosa.

Leia também: Aras diz que Coaf enviou 972 relatórios espontaneamente ao Ministério Público

“Diante das informações satisfatoriamente prestadas pela UIF, em atendimento ao pedido dessa Corte, em 15/11/19, torno sem efeito a decisão na parte em que foram solicitadas, em 25/10/19 cópia dos Relatórios de Inteligência Financeira (RIFs), expedidos nos últimos 3 (três) anos”, escreveu o ministro na decisão.

Na sexta-feira (15), o procurador-geral da República, Augusto Aras, havia pedido ao magistrado que revogasse a decisão . No mesmo dia, Toffoli negou a solicitação e pediu novos dados à UIF.

Veja Também:  Janaina diz que não se filiará a novo partido de Bolsonaro: “Não vejo sentido”

Para a PGR, a ordem do presidente do STF foi uma “medida desproporcional que põe em risco a integridade do sistema de inteligência financeira, podendo afetar o livre exercício de direitos fundamentais”.

Fonte: IG Política
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana