conecte-se conosco


Mato Grosso

Escola realiza oficinas sobre intervenção pedagógica em alinhamento ao DRC

Publicado

A equipe gestora da Escola Estadual Iara Maria Minotto Gomes, localizada no município de Juara (a 709 quilômetros de distância de Cuiabá), realiza oficinas sobre intervenção pedagógica para todos os professores. A unidade educacional planejou esta ação para que as práticas pedagógicas aconteçam em sintonia com o Documento Referência Curricular (DRC-MT), conforme estabelece o caderno “Concepções para a Educação Básica”, versão homologada para Mato Grosso.

Com base nesse caderno, as escolas da rede pública estadual, assim como instituições de ensino de outras redes que dele fizerem uso, subsidiarão a reelaboração de seus Projetos Pedagógicos, a fim de adequá-los ao disposto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

As oficinas de intervenção pedagógica serão realizadas na escola Iara Minotto num período de 90 dias, com encontros três vezes por mês, sempre às quintas-feiras nos períodos matutino, vespertino e noturno. Os encontros vão oferecer a oportunidade formativa para todos os professores que atuam na unidade escolar.

Conforme explica o coordenador pedagógico da escola, Alexandre da Silva Colinsque, em atenção ao DRC-MT, a Escola Iara Minotto vem realizando ações que intencionam a implementação e a busca constante da prática efetiva do que estabelece a nova política curricular, neste caso, a política de intervenção pedagógica com o objetivo de melhorar a aprendizagem e modernizar as práticas pedagógicas, sempre pensando em colocar toda a estrutura escolar a serviço da aprendizagem.

Veja Também:  Órgãos estaduais e federais dão início à etapa de resposta aos incêndios florestais

“A política de intervenção vem ao encontro da necessidade de superar, potencializar e rever práxis pedagógicas no sentido de conquistar novos resultados em aprendizagem. Todas as questões que norteiam as práticas pedagógicas estão contidas no DRC, razão pela qual as ações formativas de implementação são necessárias para a garantia do direito de aprender, superar e obter melhores resultados”.

Para a professora pedagoga Janete Aparecida do Santos, que leciona nos anos iniciais, a oficina foi de grande valia, pois é algo novo para os educadores. “Penso que ações assim visam melhorar nossa ação, que sempre precisa passar por reflexão, buscando o aperfeiçoamento. Foi um momento para tirar dúvidas e aprender com o diálogo entre gestão e professores”, observou.

A professora alfabetizadora Patrícia Gonçalves destaca que a proposta apresentada na oficina foi de extrema importância, pois levou os professores a aprofundarem seus conhecimentos acerca de como planejar, desenvolver e analisar os resultados das intervenções pedagógicas. “Esperamos ter mais momentos formativos com esta dinâmica de organização, sempre pensando em levar aos alunos a oportunidade de aprender e superar as defasagens que porventura surjam”.

Veja Também:  Regionais Sema recebem Equipamentos de Proteção Individual

Segundo a professora Elizangela Teixeira de Miranda, pedagoga que também leciona nos anos iniciais, a partir do encontro todos puderam interagir e questionar a respeito das dúvidas que apareceram durante o planejamento do plano da intervenção. “Saímos daqui com toda bagagem necessária para elaboração de tal ação, e com a certeza de que, para educação ser sucesso, precisamos sempre buscar novos horizontes e conhecimentos, que colocaremos a serviço da aprendizagem dos nossos alunos, então sujeitos de nossa ação docente”.

Fonte: GOV MT
publicidade

Mato Grosso

Rotam prende traficante com três fuzis, droga e contabilidade do esquema criminoso

Publicado

Policiais do Batalhão de Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotam) prenderam um homem e, a partir da prisão dele, desmontaram um esquema de armas e venda de drogas de uma facção criminosa de Várzea Grande. A ação começou na Avenida Fernando Corrêa, altura do bairro Vista Alegre, em Cuiabá, onde ocorreu a prisão de E.A.R.S., 42.

No carro em que ele estava, um Gol modelo antigo, os policiais encontraram uma grande porção de cocaína. Nervoso, diante das indagações dos policiais, o suspeito entrou em contradição diversas vezes, até que acabou revelando o endereço de sua moradia e que no local era o responsável por “cuidar” de grande quantidade de droga.

Na casa apontada, no bairro Terra Nova, em Várzea Grande, foram apreendidos 18 barras e duas porções grandes de pasta base de cocaína, além de dois tabletes de maconha, balança de precisão, telefones celulares, papel filme e outros apetrechos do tráfico de droga.

Todavia, outras apreensões mais importantes ainda estavam por vir, fuzis, metralhadora e a uma grande quantidade de munição. Lá havia um Fuzil 762, um 556 e uma submetralhadora. E sete carregadores de fuzil, dois de pistola e mais de 150 munições diversas.

Veja Também:  Militares do Batalhão de Trânsito prendem passageiro de carro por aplicativo em Cuiabá

Dois cadernos da movimentação do tráfico, com anotações de vendas e nomes, também estavam na casa, que seria a base de apoio de uma facção criminosa.

A equipe da Rotam já havia recebido informações de atividades ilícitas de um ocupante de um Gol e sua ligação com uma facção e há dias procurava pelo suspeito com as mesmas características.

O suspeito e todo o material apreendido foi levado para a Central de Flagrantes do Cisc Verdão, em Cuiabá.

  O suspeito foi abordado enquanto circulava por uma avenida de Cuiabá(Foto Rotam/PMMT)

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Mato Grosso

PM prende caminhoneiro que matou colega em briga por vaga para abastecer

Publicado

Policiais da 2ª Companhia de Polícia Militar de Matupá (a 696 km de Cuiabá) prenderam em flagrante o caminhoneiro que matou o colega de profissão durante uma briga por vaga para abastecer os veículos. Identificado pelas iniciais D.C.,70 anos, matou a tiros V.S.,47 anos, em um posto na zona rural da cidade, às margens da BR-163.

O crime ocorreu na manhã deste sábado (20.07), por volta das 7 horas.

Após a comunicação da ocorrência, os policiais encontraram o caminhão que o suspeito dirigia, onde também estava um revólver calibre 32, com cinco munições deflagradas e uma intacta, considerada a possível arma utilizada no crime.

Logo depois, ao continuar as buscas, a equipe da PM conseguiu localizar e prender o suspeito em uma área de mata fechada, atrás do posto de combustíveis onde o crime foi cometido.

O caminhoneiro confessou a autoria, mas argumentou que havia sido agredido com socos e uma barra de ferro e, por isso, teria atirado. Disse ainda não lembrar de ter acertado o primeiro tiro, mas como a vítima ainda reagia, fez mais disparos.

Veja Também:  Polícia Civil prende suspeito de asfixiar, estuprar e matar criança em Sorriso

No caminhão da vítima foram encontrados alguns comprimidos de substâncias análogas à anfetamina (rebite), que foram apreendidos e entregues à delegacia local. V.S. dirigia uma carreta bitrem e trabalhava para uma transportadora.

D.C. pode responder por homicídio e porte ilegal de arma.

Os policiais miliares prenderam o caminhoneito em flagrante delito em uma área de mata próxima ao local do crime

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Mato Grosso

Penitenciária investe em qualificação profissional para reeducandos

Publicado

Vinte reeducandos da Penitenciária Regional Major Eldo Sá Corrêa, em Rondonópolis (214 km ao sul de Cuiabá), iniciaram nesta semana curso de qualificação profissional em panificação e confeitaria. As aulas são ministradas três vezes por semana, com orientações práticas e teóricas, na padaria instalada na unidade prisional e toda a produção é utilizada internamente.

A duração da capacitação é de dois meses e meio e foi elaborada pela equipe pedagógica da penitenciária e organizada pelos servidores que coordenam as atividades laborais do Projeto Alvorada. O curso é custeado com recursos da cantina da unidade prisional, para o pagamento do instrutor, e tem investimentos do Departamento Penitenciário Nacional, que por meio de convênio destinou verba para aquisição de equipamentos e insumos para a padaria, inaugurada na penitenciária há um ano.

Investimento em qualificação

O novo curso de panificação e confeitaria é mais uma qualificação dentro das atividades laborais ofertadas aos reeducandos na maior unidade prisional no interior do Estado. Atualmente, a penitenciária tem 1.500 presos custodiados, entre condenados e provisórios e destes, 450 estudam e trabalham em oficinas de corte e costura, serigrafia, marcenaria, padaria-escola, horta, serralheira, lavandaria e nas obras e serviços gerais.

Veja Também:  PM prende caminhoneiro que matou colega em briga por vaga para abastecer

Além disso, há seis salas de aula para oferta de educação básica e cursinho pré-vestibular, de onde já saíram reeducandos direto para cursar ensino superior em universidade pública.

Coordenado por dois servidores da penitenciária, o projeto Alvorada inclui a padaria, ateliê de corte, costura e serigrafia e uma lavanderia, que somam quase 50  recuperandos trabalhando. Estas iniciativas, junto a dezenas de outros projetos laborais nas demais unidades prisionais do Estado, ajudam a colocar o Sistema Penitenciário de Mato Grosso entre os principais números de presos exercendo alguma atividade educativa ou laboral – 33,9% da população prisional do Estado está trabalhando e estudando – uma realidade bem distinta da maioria dos Estados brasileiros e da média nacional, que é de 18,9%.

O assistente penitenciário, Emmanuel Carlos Rodrigues Silva, destaca que estas atividades extras são importantes para promover a capacitação dos internos.


Ateliê de corte e costura na penitenciária de Rondonópolis 

“Atuamos em várias frentes no intuito de dar oportunidade aos reeducandos para sair daqui e ter uma profissão. Sabemos que hoje há vagas disponíveis no mercado de trabalho que exigem capacitação e é dada ao interno a possibilidade de escolher a atividade que mais interessa. Além do aprendizado, este preso tem um dia de remissão de pena a cada três dias trabalhados”, pontua Emmanuel que, em conjunto com a servidora Maria Leite, cuida das atividades do projeto Alvorada.

Veja Também:  Polícia Militar lamenta morte de soldado no interior

No ano passado, o ateliê de corte e costura teve uma produção de quatro mil peças de roupas, entre uniformes para as unidades prisionais masculina e feminina e servidores, além de outras demandas externas. A parceria com uma empresa de uniformes da cidade também aproveita a mão de obra dos reeducandos, que são remunerados por produção. A empresa entrega as peças já cortadas e na oficina da penitenciária é feita a costura e arremate final.

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana