conecte-se conosco

Nacional

Flávio Bolsonaro lucrou 292% em transação imobiliária suspeita, diz MP

Publicado


 Flávio Bolsonaro
Edilson Rodrigues/Agência Senado – 9.5.19

Senador Flávio Bolsonaro negou ter cobrado devolução de parte do salário de seus funcionários na Alerj

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) lucrou até 292% em transações imobiliárias suspeitas de lavagem de dinheiro, relata o Ministério Público do Rio de Janeiro no pedido de quebra dos sigilos bancário e fiscal. No total, ele adquiriu 19 imóveis por R$ 9,4 milhões entre 2010 e 2017 e fez operações de venda que lhe renderam lucros de R$ 3 milhões no período. 

Um dos casos relatados é o de um apartamento na Avenida Prado Júnior, em Copacabana , no Rio, adquirido por ele em novembro de 2012 por R$ 140 mil e revendido em fevereiro de 2014 por R$ 550 mil, gerando um lucro de R$ 410 mil em pouco mais de um ano.

Leia também: MP aponta ‘organização criminosa’ em gabinete de Flávio Bolsonaro desde 2007

Segundo levantamento feito pelo MP, a valorização do imóvel foi de 292% no período, em contraste com a valorização imobiliária média da região de Copacabana, que no mesmo período foi de 11%.

Veja Também:  Bolsonaro diz que Câmara votará porte de arma para produtor rural

Os investigadores apontam outra transação envolvendo imóvel no mesmo bairro, desta vez na Rua Barata Ribeiro. Comprado também em novembro de 2012 por R$ 170 mil, o apartamento foi vendido em novembro de 2013 por R$ 573 mil, gerando um lucro de R$ 403 mil, equivalente a 273%. Nesse período, os imóveis do bairro valorizaram em média 9%.

Leia também: Flávio Bolsonaro lucrou R$ 728 mil em negócios com investigados do caso Queiroz

Outro caso citado como suspeito de lavagem pelo MP foi a venda de imóveis para uma empresa com sede no Panamá. Entre dezembro de 2008 e setembro de 2010, Flávio Bolsonaro comprou 12 salas comerciais em um condomínio na Barra da Tijuca pelo preço total de R$ 2,6 milhões.

Elas foram revendidas em outubro de 2010 por R$ 3,1 milhões para a empresa MCA Exportação e Participações. “Mais do que o preço da transação, chama atenção o fato de a pessoa jurídica adquirente ter como sócia outra empresa com sede no Panamá (Listel)”, aponta o MP.

Veja Também:  ProUni abre inscrições no dia 11 de junho para bolsas no 2º semestre

Leia também: Queiroz tenta suspender quebras de sigilo em caso que envolve Flávio Bolsonaro

Segundo os promotores que assinam a peça, “um dos mais tradicionais métodos de lavagem de dinheiro consiste na remessa de recursos ao exterior através de empresas off-shore, sediadas em paraísos fiscais, onde torna-se mais difícil apurar os reais beneficiários das transações envolvendo essas companhias”.

Fonte: IG Nacional
publicidade

Nacional

Bolsonaro diz que Câmara votará porte de arma para produtor rural

Publicado


Jair Bolsonaro
Carolina Antunes/PR

Em live no Facebook, presidente Bolsonaro confirmou que acertou votação com Rodrigo Maia

O presidente Jair Bolsonaro disse que a Câmara dos Deputados votará um projeto de lei que autoriza o porte de armas para produtores rurais. Em transmissão ao vivo pelo Facebook, ele afirmou que teve uma conversa com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que lhe assegurou que pretende colocar em votação, em breve, o projeto do deputado Afonso Hamm (PP-RS), que cria o porte rural de arma de fogo.

Leia também: Bolsonaro tem até 15 dias para pagar indenização de R$ 10 mil a Maria do Rosário

“Estamos para aprovar este projeto, e o Rodrigo Maia disse que vai colocar em votação”, disse Bolsonaro durante a transmissão semanal. Segundo a proposta, o produtor poderá portar armas dentro de toda a área da propriedade rural.

Bolsonaro também afirmou que o porte de fuzil em área rural será regulamentado pelo
Exército
. Já as armas de menor porte, disse, serão liberadas de forma mais simples. “Sobre o porte de fuzil em área rural, fica definido que a aferição dos parâmetros será feita pelo Comando do Exército. Nas armas de menor porte, sem problema nenhum. Também fica definido como residência toda a área da propriedade rural e não apenas a casa”, disse.

Veja Também:  Caminhão brasileiro sai da pista e fica equilibrado em precipício, no Chile

O presidente também citou alguns pontos do decreto sobre a regulamentação da posse de armas de grosso calibre. O ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, acrescentou que a arma é um item de rotina em uma fazenda e que se o porte não se limita a autodefesa, mas também ao controle de animais que atacam as propriedades, como javalis.

“Não dá para chamar a polícia para controlar os javalis. Essa decisão é uma garantia para os nossos produtores rurais”, explicou Lorenzoni. O ministro comprometeu-se a ajudar na articulação. “O presidente Bolsonaro assumiu compromissos públicos de que o produtor rural possa se proteger, com direito à arma. O deputado Hamm está em condições de colocar essa votação em regime de urgência e, não tenho dúvida alguma, de que será aprovado.”

Também presente à transmissão, o deputado Hamm disse que conseguiu o aval dos líderes dos partidos para levar o projeto a votação e citou o apoio da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) em relação à proposta. “Nós queremos buscar mais tranquilidade para quem trabalha e produz no meio rural”, disse o parlamentar.

Veja Também:  ProUni abre inscrições no dia 11 de junho para bolsas no 2º semestre

Leia também: Câmara derruba ‘emenda Gilmar Mendes’ e devolve poder a auditores da Receita

A posse de arma de fogo permite ao cidadão manter o artefato apenas no interior da residência ou no local de trabalho. O porte autoriza a circulação fora desses locais, com exceções para as Forças Armadas e órgãos de segurança pública, entre outros.

Fonte: IG Nacional
Continue lendo

Nacional

Vídeo feito em 2016 mostra farra de detentos em presídio no Rio de Janeiro

Publicado


prisão do Rio de Janeiro
Reprodução

Seap identificou ao menos três presos que aparecem na filmagem em prisão do Rio de Janeiro

Um vídeo feito em 2016 e que circula nas redes sociais mostra uma verdadeira farra dentro do Instituto Penal Plácido de Sá Carvalho, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Na gravação, que dura 44 segundos, um dos presos filma os outros colegas de cela. Durante a gravação, um deles fuma dentro do cubículo, e outro exibe duas garrafas que afirma serem de uísque e energético. A Corregedoria da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) abriu uma sindicância para apurar o caso.

Leia também: Drone é apreendido levando droga e celulares para dentro de presídio do Rio

Em determinado momento, o preso que está fazendo o vídeo acaba flagrando outro detento com celular na mão, também filmando os colegas. A gravação foi feita no fim de 2016, entre o Natal e o Ano Novo, dentro da cela B-5.

“Olha o Natan, Tavinho, Sidney. Olha o Sidney… chefe da milícia, chefe da milícia fuma, cheira e bebe. Olha o bigode colado com a barba. Tá com o braço só porque ele não bota a cara não, mané. É o bigode colado com a barba. Olha o braço do coroa”, diz o preso que faz a gravação.

A Seap identificou ao menos três presos que aparecem na filmagem: Otávio Lair Velozo Marques, conhecido como Tavinho, Marco Antônio Titoneli e Sidnei Alves da Silva. Os dois primeiros já estão em liberdade desde o fim de 2017. Já Sidnei havia saído para uma Visita Periódica ao Lar, em dezembro de 2017, e não retornou ao presídio. Em maio de 2018, ele foi recapturado e desde então está no Presídio Evaristo de Moraes, na Quinta da Boa Vista.

Veja Também:  Caminhão brasileiro sai da pista e fica equilibrado em precipício, no Chile

Titoneli foi condenado a 25 anos de prisão, em março de 2018, quando já estava em liberdade, pela morte do vereador Lúcio Diniz Araújo, o Lúcio do Nevada. O crime aconteceu em outubro de 2012. Apesar da sentença, Titoneli conseguiu um habeas corpus para recorrer da condenação em liberdade.

Em nota, a assessoria de imprensa da Seap afirmou que “vídeos antigos estão sendo recorrentemente publicados com o claro objetivo de interromper o trabalho intenso de apreensões de materiais ilícitos que tem sido feito nas unidades prisionais”.

Leia também: Três detentos são mortos durante briga de facções em presídio do Pará

Veja, abaixo, a íntegra da nota da Seap:

“É importante informar que, mesmo tendo sido feito e gravado em outra gestão, o autor do vídeo já foi identificado e a corregedoria irá iniciar uma sindicância para apurar os fatos.

A Seap lamenta que vídeos antigos estejam sendo, recorrentemente, publicados com o claro objetivo de interromper o trabalho intenso de apreensões de materiais ilícitos que tem sido feito nas unidades prisionais. Informamos, ainda, que as ações de repressão não serão interrompidas e não há prazo para o fim das operações “Asfixia”, “Iscariotes” e “Bloqueio”.

Ressaltamos que a atual gestão não compactua com qualquer tipo de ostentação de poder dos presos e vai intensificar, ainda mais, as ações em andamento, utilizando alta tecnologia, com o uso de três drones, que servem como apoio à fiscalização das unidades prisionais, ajudando na vigilância e segurança do perímetro prisional. Também haverá a compra denovos portais, aparelhos de scanners, câmeras, e bloqueadores de sinal de aparelhos telefônicos.

A operação “Asfixia”, por exemplo, realizada pelos próprios inspetores penitenciários, já apreendeu de Janeiro a Abril, 4.160 celulares. No mesmo período do ano passado, apenas 2.972 aparelhos foram encontrados.

A Seap também implantou, desde o início do ano, duas ações importantes: a operação “Iscariotes”, que já flagrou NOVEinspetores penitenciários tentando entrar com objetos ilícitos nas cadeias. Todos os casos estão sendo apurados pela corregedoria e podem ter a pena máxima de demissão. Já a operação “Bloqueio”, tem como objetivo impedir que visitantes de presos burlem as regras de segurança, prendeu 16 visitas tentando entrar com drogas e celulares em cadeias.

No mesmo período do ano passado, NENHUM servidor foi flagrado tentando entrar com qualquer tipo de material ilícito nas unidades. Isso mostra o empenho da atual gestão em combater este tipo de crime, “cortando na própria carne”, se for preciso.

É importante afirmar que todas as operações são realizadas pelo próprio corpo funcional da Seap.”

Fonte: IG Nacional
Veja Também:  Bolsonaro prepara “agenda Nordeste” e fará primeira viagem à região nesta semana
Continue lendo

Nacional

Ministro promove seminário sobre “globalismo” em fundação ligada ao Itamaraty

Publicado


Relações Exteriores, Ernesto Araújo
Charles Sholl/Brazil Photo Press/Agencia O Globo Politica

Evento, marcado para o próximo 10 de junho, será aberto pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo

Expressão usada pelos movimentos de direita para definir o que chamam de “configuração atual do marxismo”, o“globalismo” será tema de um seminário na Fundação Alexandre Gusmão (Funag), órgão vinculado ao Itamaraty cujo objetivo é promover debates sobre temas ligados às relações internacionais. O evento, marcado para o próximo 10 de junho, será aberto pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

Além do chanceler, que em seu blog Metapolítica 17 definiu o globalismo como “a globalização econômica que passou a ser pilotada pelo marxismo cultural”, está confirmada a participação de outros expoentes da direita como Filipe Martins, assessor para Assuntos Internacionais da Presidência da República; Chris Buskirk, editor da revista “American Greatness”; e Alexandre Costa, autor dos livros “Introdução à Nova Ordem Mundial” e “O Brasil e a Nova Ordem Mundial”.

Leia também: Ernesto Araújo diz que onda nacionalista na Europa é “movimento natural”

Veja Também:  Estudantes poderão consultar vagas do Sisu a partir desta quinta

“Entenda melhor o conceito e o fenômeno do globalismo, assim como suas implicações para as relações internacionais dos nossos dias”, destacam os organizadores do seminário.

Em vídeo divulgado em 2016 na internet, Alexandre Costa, define a nova ordem mundial como um conjunto de fenômenos políticos, sociais e culturais que tende a transformar a civilização “com o objetivo de implantar um governo mundial, substituir os princípios e valores que regem a nossa sociedade por outros e que vão levar obrigatoriamente à perda de liberdades individuais, à concentração de poder, à repressão psicológica e física e à exclusão do debate intelectual”.

Leia também: “Com Brasil sem presidente”, Congresso tem que ter “agenda própria”, diz Renan

Segundo Costa, há três forças políticas que correm no sentido de estabelecer um governo mundial. A primeira delas são movimentos comunistas internacionais, notadamente o “império russo-chinês“, que estaria mais presente na América Latina e, portanto, no Brasil. A segunda é o islamismo e a terceira, o globalismo internacional. Este último seria formado por banqueiros, pelas grandes corporações e organizações não-governamentais.

Veja Também:  ProUni abre inscrições no dia 11 de junho para bolsas no 2º semestre

Fonte: IG Nacional
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana