conecte-se conosco

Entretenimento

Mayra Cardi processa ex-panicat por plágio em projeto de emagrecimento

Publicado

A ex-panicat Carol Dias, atualmente coach de emagrecimento, usou suas redes sociais na última terça-feira (14) para revelar que está sendo processada por Mayra Cardi por plagiar seu projeto de emagrecimento. Enquanto Carol é criadora do “Emagrecendo Sem Neuras”, a ex-BBB é dona do “Seca Você Renove”.

Leia também: Novo amor! Ex-panicat Carol Dias começa 2019 ao lado de dentista dos famosos


Montagem de Carol Dias e Mayra Card
Reprodução/Instagram

Carol Dias e Mayra Cardi vão brigar na Justiça


“Meu recado hoje é para Mayra Cardi . Por quê você, que me bloqueou inclusive, se não eu estaria falando diretamente com você, por quê você pediu a sua equipe que eu fosse processada pelo meu projeto?”, começou a ex-panicat . “Existem muitos projetos na internet que fazem isso e acho que as pessoas estão querendo mesmo ajudar o próximo”, completou.

Leia também: Após tentativa de sequestro, Mayra Cardi reflete sobre a vida na web

“Eu nunca quis prejudicar o projeto de ninguém e nem desconsiderar profissionais, pelo contrário, eu os valorizo muito. Sempre deixei claro que o meu projeto é uma missão de ajudar mulheres que passam pelo o que eu já passei” disse Carol Dias .

Veja Também:  A sua está na lista? Confira as séries renovadas e canceladas nesta temporada

Carol ainda disse estar de coração aberto para conversar com Mayra.  “Eu queria entender o motivo de você ter me bloqueado, Mayra. Sempre tive carinho por você. Vejo as pessoas falarem tanto de você, te criticarem, e eu tento não criticar ninguém”.

Mayra Cardi já teve problemas por projeto de emagrecimento


Mayra Cardi
Reprodução/Instagram

Mayra Cardi


Leia também: Mayra Cardi revela complicação pós-parto por falta de repouso

Logo no início desse ano, Mayra Cardi foi denunciada pelo Ministério Público por exercício ilegal da profissão de nutricionista. Isso porque apesar de ser sócia-proprietária do projeto, que dá consultoria para quem busca uma vida mais saudável, ela não tem formação na área.

Fonte: IG Gente
publicidade

Entretenimento

Ex-guitarrista do Capital Inicial aciona Justiça e acusa banda de fraude

Publicado

Conforme publicado na coluna de Ancelmo Gois, no O  GLOBO , o guitarrista Loro Jones está processando sua antiga banda, o Capital Inicial, e gravadora Sony Music por direitos que lhe seriam devidos pelo disco “Acústico MTV”, que a banda lançou em 2000. Nenhuma das partes quis se pronunciar a respeito. Segundo Ramon Ramos, advogado de Jones, disse à coluna de Gois, o valor devido ao guitarrista não ficaria abaixo de R$ 1 milhão. 

Leia também: Após virar meme e “sem saco”, Dinho Ouro Preto corta o próprio cabelo; assista


Capital Inicial está sendo processado por ex-guitarrista, Loro Jones
Reprodução/Instagram

Capital Inicial está sendo processado por ex-guitarrista, Loro Jones

Existem, no entanto, alguns fatores que tornam o processo mais complicado. Primeiro: o “Acústico MTV” do Capital Inicial foi gravado pela Abril Music, companhia que foi à falência em 2003, e passou a fazer parte do catálogo da Sony, que contratou a banda. Loro, como todos os outros músicos, tinha contrato com a primeira gravadora – mas não com a segunda, pois já tinha saído da banda. 

O Capital foi fundado em 1982, em Brasília, pelos irmãos Flávio e Fê Lemos, ambos ex-Aborto Elétrico, mais Loro Jones ; em 1983, entrou o vocalista Dinho Ouro Preto . O grupo fez algum sucesso nos anos 1980, mas não não foi tão bem na entrada da década seguinte: Dinho saiu, e a banda interrompeu suas atividades, após lançar um disco com o substituto Murilo Lima, “Rua 47”, sem grande repercussão.

Veja Também:  A sua está na lista? Confira as séries renovadas e canceladas nesta temporada

Leia também: Criminosos tentam roubar caminhão do Capital Inicial no Rio de Janeiro


Capital Inicial
Reprodução/Instagram

Capital Inicial

Os quatro fundadores se reuniram em 1998 com “Atrás dos olhos”, de sucessos como “O mundo”, e conseguiram seu estouro definitivo com o “Acústico MTV”, de 2000, que, ao lado de antigos sucessos, trazia novidades como “Natasha” e a versão da banda para “Primeiros erros”, de Kiko Zambianchi (que integrava a banda de apoio do projeto).

Saída supresa em 2001


Capital Inicial
Reprodução/Instagram

Capital Inicial

Seguiu-se uma longa turnê acústica, que chegou ao Rock in Rio de 2001 (em um dos dias mais cheios da história do festival, com um público calculado em mais de 200 mil pessoas) e foi até o fim daquele ano. Ao fim do tour, Jones decidiu deixar a banda, movimento que deixou músicos e fãs surpresos. Os outros integrantes tentaram convencê-lo a ficar, mas ele foi irredutível: decidiu voltar a morar em Brasília e Yves Passarell (ex-Viper) foi chamado para o seu posto, onde está até hoje.

Veja Também:  Os problemas com Bran, o quebrado, como Rei ao fim de “Game of Thrones”

É possível que, por não ter assinado o contrato com a Sony, Loro tenha direito a royalties residuais sobre o “Acústico” e não os tenha recebido, mas como a mudança de gravadora só aconteceu em 2003, três anos após o lançamento do disco, sua fatia talvez não seja tão significativa.

Leia também: Assédio, plágio e direitos autorais: Rede Globo é alvo de processos na Justiça

Também existe um suposto processo por uso da marca Capital Inicial , que dificilmente vai à frente, visto que o músico deixou a banda de livre e espontânea vontade. E a pergunta que não quer calar: por que esperar 17 anos para processar, hoje, quando as vendas de discos são uma pequena fração do que já foram? 

Fonte: IG Gente
Continue lendo

Entretenimento

Em novo clipe, Madonna manda mensagens por pombo-correio

Publicado

Na tarde desta quarta-feira (22) Madonna lançou mais um clipe de seu novo álbum, “Madame X”. Batizada de Crave , a canção é uma parceria da americana com o músico Swae Lee.

Leia também: Valesca Popozuda se inspira em Madonna em novo clipe


Leia também: Madonna é proibida de gravar clipe em palácio de Portugal e se revolta

Em poucas horas de seu lançamento, o clipe já detém mais de 200 mil visualizaçõs na plataforma de vídeos mais conhecida do mundo, o Youtube. Apelando para um sample menos agitado, assim como seu último lançamento, Medellín , a canção foge dos padrões de Madonna , que é conhecida por apostar em um pop mais agitado. 

Leia também: Madonna fará show em Israel e diz que não vai se “adequar às questões políticas”

Swae Lee, que canta ao lado de Madonna em
Crave
, é um dos artistas mais procurados do momento. Além de seu trabalho com a rainha do pop, ele também já fez parcerias com Post Malone, em Sunflower , e com Anitta, na faixa Poquito .

Fonte: IG Gente
Veja Também:  Britney Spears treina pesado e público aposta em seu retorno aos palcos
Continue lendo

Entretenimento

Versão de Shallow de Paula Fernandes não é a melhor do mercado; entenda

Publicado

Paula Fernandes dividiu opiniões no domingo (19) ao lançar uma versão da música Shallow , que integra a trilha sonora de “Nasce Uma Estrela”. Misturando inglês com português, houve quem elogiasse os vocais da cantora, mas também quem a penalizasse a tradução medíocre. 

Leia também: Paula Fernandes e Luan Santana lançam “Juntos”, versão para “Shallow”


Paula Fernandes
Divulgação

Paula Fernandes

Porém, antes de Paula Fernandes outros artistas já haviam lançado suas versões da canção, só não gozaram do mesmo hype. Procurando mostrar como a sertaneja poderia ter feito melhor, internautas trouxeram à tona outras interpretações brasileiras da canção, como a de Priscila Senna, que inseriu o ritmo de forró na faixa e a batizou de Labirinto .

Leia também: Juntos e Shallow now? Versão brasileira de hit de “Nasce Uma Estrela” vira piada

Lançada em janeiro de 2019 – cinco meses antes de Paula -, à época, Labirinto levou Priscila Senna para o topo de rankings virtuais, como Google Trends e Trending Topics do Twitter.

Além disso, diferente da sertaneja, a cantora de forró não trouxe uma figura masculina para ser seu Bradley Cooper, ator que entoa a canção ao lado de Lady Gaga no filme “Nasce Uma Estrela”, o que além de dar tonificação aos seus vocais, permitiu que ela pudesse ter espaço para entregar-se aos seus sentimentos mais intensos.  

Veja Também:  A sua está na lista? Confira as séries renovadas e canceladas nesta temporada

Na letra, Senna canta sobre entregar-se para um amor sem medo de se machucar. Além disso, a artista mostra um lado resiliente ao cantar que após uma desilusão, independente do que aconteceu, as pessoas devem se reerguer, mesmo que tenham se perdido no “Labirinto” de seu amado, que na canção é uma analogia para se referir ao corpo da pessoa desejada.

Enquanto isso, Paula apostou em uma versão mais próxima da cantada por Lady Gaga e Bradley Cooper, o que a afastou da originalidade e a empurrou para o precipício das críticas. Além de misturar palavras em português com inglês, a faixa deixa a desejar na profundidade.

O próprio trecho “juntos e shallow now”, carro-chefe da canção, fica fora de contexto, já que em tradução livre soa como: “Juntos e, agora, rasos”. O sentido da canção original foi perdido. Além disso, Fernandes tentou dar uma pitada de Gaga na música e elevar seus vocais em uma nota altíssima, proeza essa que não chegou nem perto do esperado pelos fãs. 

Veja Também:  Os problemas com Bran, o quebrado, como Rei ao fim de “Game of Thrones”

Leia também: “Juntos e shallow now” é a principal pesquisa de brasileiros no Google

Em suma, apesar de Paula Fernandes ter tido mais sucesso publicitário e hype nas redes sociais, a versão de Priscila tem mais originalidade na letra, profundidade em suas emoções e, claro, o toque brasileiro que completa tudo: o forró. 

Fonte: IG Gente
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana