conecte-se conosco


Tecnologia

Microsoft lança versão retrô do Windows 1.0 para celebrar ‘Stranger Things’

Publicado

Para aproveitar o sucesso da terceira temporada do seriado “Stranger Things ”, a Microsoft criou um aplicativo que permite aos usuários experimentar o Windows 1.0 , versão lançada em 1985, mesmo ano em que se passam os episódios da série doNetflix.

Leia também: O erro de US$ 400 bilhões de Bill Gates: como a Microsoft perdeu para o Android

undefined

“Stranger Thing” inspira versão retrô do Windows 1.0

O aplicativo Windows 1.11 Stranger Thing Edition está disponível para download gratuito na loja virtual da Microsoft , mas ele só roda em computadores com Windows 10. Diferente do Windows 1.0, que cabia dentro de quatro disquetes de 360 KB, o aplicativo tem mais de 700 MB.

Leia também: Dia do Orgulho Geek: 7 apps e gadgets que todo geek deveria ter

No ambiente retrô, os usuários podem conhecer, ou relembrar, o primeiro ambiente multitarefas da Microsoft. Até então, o MS-DOS operava apenas por comandos escritos. Com o Windows 1.0, os usuários podiam usar o mouse e operar aplicações em janelas. Ele vinha com alguns programas, como Calculadora, Calendário, Relógio, Clipboard, Notepad e Paint.

Veja Também:  Busca do Google ganha mudança no algoritmo; aprenda a pesquisar melhor

Na edição Stranger Things, a Microsoft , tem jogos e outros conteúdos relacionados com a nova temporada da série, que entrou no ar na semana passada.

Leia também: 5 apps para organizar séries que vão te ajudar a não perder nenhum episódio

“Explore mistérios e segredos que assolam Hawkins, desbloqueie conteúdo exclusivo da série e surpresas, além de ter acesso a jogos e quebra-cabeças da época — todos construídos com base no universo da 3ª temporada de Stranger Things. Junte-se a Eleven, Steve, Dustin e a gangues enquanto eles tentam salvar Hawkins e o mundo. Mas, fica o aviso: cuidado com o Esfolador da Mente”.

Fonte: IG Tecnologia
publicidade

Tecnologia

Aplicativo de traição mostra que usuários são fiéis… aos seus empregos

Publicado

source
aplicativo Ashley Madison arrow-options
Reprodução

Ashley Madison é uma rede social de relacionamentos para pessoas comprometidas


Uma pesquisa realizada com membros do aplicativo Ashley Madison revelou que quem gosta de trair o parceiro pode ter uma postura bastante diferente quando o assunto é carreira. 74% dos usuários da rede social de namoro voltada para pessoas comprometidas passaram mais de 10 anos no mesmo emprego. 

Esse comprometimento com a vida profissional não se reflete na vida conjugal. Pesquisas anteriores da plataforma mostraram que a maioria dos membros de Ashley Madison levam apenas alguns meses para iniciar um caso extraconjugal. E, ao contrário do casamento, a carreira dos usuários do site vai muito bem, obrigado: 91% deles afirmaram gostar dos seus trabalhos atuais. 

Leia também: Fala de políticos com o crush? Tinder revela nomes mais citados no app nos EUA

Sobre a fidelidade às carreiras por parte dos infiéis nos relacionamentos, Isabella Mise, diretora de comunicações da Ashley Madison, brinca: “realmente, quando seu cônjuge diz que vai ficar até tarde no escritório hoje à noite e você acha que ele está em um caso, ele pode estar apenas dizendo a verdade”.

Veja Também:  Busca do Google ganha mudança no algoritmo; aprenda a pesquisar melhor

Tinder dos casados

Mais um dado paradoxal é que 55% dos membros da rede social nunca deixaram seus empregos para um concorrente. Concorrência é o que não falta, porém, no Ashley Madison. Hoje, a rede social já tem mais de 54 milhões de membros em todo o mundo, todos atrás de encontros extraconjugais. 

Leia também: Tinder do emprego: conheça a plataforma que vai dar seu match com a sonhada vaga

Lançada em 2001 nos Estados Unidos, a rede social faz sucesso também no Brasil. Em 2018, os brasileiros já eram o segundo maior público da plataforma, perdendo apenas para os norte-americanos.

Fonte: IG Tecnologia
Continue lendo

Tecnologia

Não precisa baixar: The Pirate Bay testa streaming de vídeo

Publicado

source

Olhar Digital

The Pirate Bay streaming arrow-options
Reprodução

The Pirate Bay testa streaming


O The Pirate Bay está testando um novo recurso. Agora, além de hospedar torrents de filmes e séries, os usuários também poderão fazer streaming de vídeo sem baixar nada para o computador.

Quem notou a novidade foi o site Torrent Freak, que percebeu uma letra B na cor laranja ao lado dos ícones para download dos arquivos. Ao clicar no ícone o usuário é levado para um site chamado BayStream e o conteúdo começa a ser reproduzido em uma aba do navegador.

The Pirate Bay streaming arrow-options
Reprodução

Os ícones em verde (no destaque) iniciam a reprodução de um arquivo


Em nosso teste, o B alaranjado já havia sido substituído por um triângulo verde como no símbolo de “Play”, mas o comportamento permaneceu o mesmo. A qualidade da reprodução depende da velocidade de sua conexão e quão popular é o arquivo.

Leia também: Férias à vista: confira os lançamentos da Netflix para dezembro

Em uma conexão de fibra de 150 Mbps, torrents populares (como episódios de The Mandalorian) foram reproduzidos quase sem problemas, salvo um ou outro pequeno “engasgo” em raros momentos quando um trecho do vídeo ainda não havia sido baixado no tempo correto.

Veja Também:  TikTok é processado por coletar dados de crianças sem consentimento dos pais

Segundo o Torrent Freak, não se sabe se o BayStream é uma iniciativa do The Pirate Bay ou um serviço associado. Não é a primeira vez que o site experimenta com a tecnologia: em 2016 todos os torrents de vídeo receberam um link dizendo “ Stream It! ”, que reproduzia o vídeo usando um plugin para o navegador chamado Torrents Time.

Fonte: IG Tecnologia
Continue lendo

Tecnologia

60% dos brasileiros tem internet mais lenta que a contratada; teste a sua

Publicado

source
internet arrow-options
iStock

Cheque se sua internet está sendo entregue na velocidade prometida


Seis em cada dez brasileiros não recebem a velocidade de internet que contrataram com suas operadoras. O dado é da PROTESTE , e foi obtido através de medições realizadas por uma plataforma disponibilizada pela associação. 

Das cerca de 124 mil pessoas que testaram suas conexões em todo o Brasil, apenas 47 mil registraram uma velocidade próxima à contratada. De acordo com a PROTESTE, é possível reivindicar um abatimento da fatura de internet caso o serviço entregue não seja o prometido. 

Leia também: Navegar na internet: principal fonte de lazer para 54% dos jovens brasileiros

Como testar minha conexão

Para testar sua conexão e descobrir se você está pagando por um serviço que não é prestado, é só acessar o velocímetro da PROTESTE . Lá, é preciso informar a operadora e a velocidade contratada antes de iniciar o teste. 

A plataforma realiza as medições e informa se sua velocidade está boa ou não, de acordo com o valor informado na contratação. Na página, também é possível armazenar os resultados, a fim de montar um histórico para poder apresentar à operadora em caso de internet lenta. 

Veja Também:  CCXP começa hoje em São Paulo; veja a programação e as atrações

Leia também: Meus dados vazaram, e agora? Veja como se proteger em situações como essa

A PROTESTE disponibiliza, ainda, uma  extensão para navegador que lembra o usuário de realizar as medições com frequência. 

Minha internet está lenta, e agora?

De acordo com a lei, a velocidade da internet nunca pode ser 40% abaixo da contratada, e a média mensal deve sempre ficar acima dos 80%. Caso suas medições indiquem algo diferente disso, é possível reivindicar um abatimento da fatura. Para isso, o mais indicado é entrar em contato com o serviço de defesa do consumidor da PROTESTE pelo telefone 4020-1878.

Fonte: IG Tecnologia
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana