conecte-se conosco


Política Nacional

“Não podemos subestimar o Cão”, diz Damares sobre volta da esquerda ao poder

Publicado

source
Damares Alves participa de audiência pública na Câmara dos Deputados arrow-options
Marcelo Camargo/Agência Brasil – 22.5.19

Damares Alves participou de evento conservador em São Paulo

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves , conseguiu uma façanha neste sábado. Apesar da enorme concorrência com celebridades da direita na conferência conservadora CPAC Brasil, foi seu fervoroso discurso que levou o já empolgado público à euforia.

Entre aplausos frequentes, Damares comparou a esquerda ao diabo, rebateu a fala de um arcebispo em sermão na missa de Aparecida neste sábado e insuflou a direita a se organizar contra o “mal”. Mesmo com a presença de Eduardo Bolsonaro, dos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores) e Onyx Lorenzoni (Casa Civil), ela foi a conferencista mais aplaudida e ouviu coro de “fica! Fica!” antes de deixar o palco.

A ministra abriu o discurso citando a declaração dada pelo arcebispo Dom Orlando Brandes, horas mais cedo, em missa no Santuário Nacional de Aparecida. O religioso criticou “o dragão do tradicionalismo” e afirmou que a direita é “violenta e injusta”.

Leia também: Damares diz que violência sexual é principal preocupação do ministério

Damares disse que o arcebispo deve “estar com medo de nós, que somos terrivelmente cristãos”.

Veja Também:  Major Olimpio diz que Bolsonaro precisa internar Carlos em clínica psiquiátrica

“O conservadorismo vai dar certo. O povo de bem se levantou e agora está governando esta nação”, declarou ela, sendo aclamada pelo público.

Ela rasgou elogios ao CPAC Brasil, que definiu como um divisor de águas na história do conservadorismo no Brasil, e não poupou disparos contra a esquerda.

“Para a tristeza da esquerda nunca se defendeu tanto direitos humanos como hoje no Brasil. O presidente machista só neste ano já sancionou seis leis de proteção à mulher. Chora, esquerda! Aceita que dói menos.”

Leia também: MP cobra que Damares explique mudanças na Comissão sobre Mortos e Desaparecidos

Em seguida, ela alertou o público sobre as estratégias da esquerda para voltar ao poder e pediu organização à direita para impedir esse movimento. Damares comparou a esquerda ao diabo.

“Não podemos subestimar o outro lado. Eles estão à espera para poder usurpar o poder novamente. Nós não podemos subestimar o Cão. Não podemos subestimar o mal. Vamos ter que começar a ocupar as câmaras de vereadores e prefeituras, ouviram? Precisamos sair daqui com isso em mente”, disse.

Veja Também:  Deputados críticos a Bivar buscam aumentar apoio a Bolsonaro na Câmara

O restante do discurso foi repleto de críticas a deputados de esquerda, como Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e Jean Wyllys (PSOL-RJ) e ao PT e referências ao seu famoso bordão “meninos vestem azul, meninas vestem rosa”.

Leia também: Damares diz que governo Bolsonaro vai cancelar construção do Memorial da Anistia

Com uma retórica talentosa, a pastora ganhava aplausos a cada frase de efeito. O público pedia que ela ficasse mais sempre que ela mencionava o tempo curto para falar. Na reta final, Damares ainda teve tempo de atribuir a eleição de Jair Bolsonaro a uma vontade divina. Falando sobre o que afirmou ser um domínio da esquerda sobre a vontade dos povos indígenas, ela arrancou gritos de “Fora, Raoni”.

“Tupã ouviu o choro dos curumins e disse: chega! E então elegemos Jair Bolsonaro. A eleição dele interrompeu um ciclo de sofrimento e dor. Este país não vai mais suportar ser governado por sanguinários da esquerda”, declarou. “Pode bater, esquerda. Quanto mais bate, mais esse governo cresce.”

Em seguida, foi encoberta pelos aplausos e por um coro decorado. “Homem nasce homem, mulher nasce mulher, na nossa família você não vai poder mexer”.

Fonte: IG Política
publicidade

Política Nacional

Histórico da empresa pode influenciar pena por crime ambiental

Publicado

source

Agência Brasil

crime ambiental arrow-options
José Cruz/Agência Brasil

Testo foi aprovado no Senado nesta quarta-feira (16).

Em decisão terminativa, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou hoje (16) o projeto de lei (PL) 553/2019, no qual os antecedentes de uma empresa poderão ser determinantes em um julgamento de crimes ambientais.

Leia mais: Doria processa Kajuru por ser chamado de “picareta” e “mentiroso”

O texto seguirá para a Câmara dos Deputados, desde que não seja apresentado recurso para votação no plenário da Casa.

A proposta acrescenta à Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605 de 1998) considerações sobre os antecedentes da empresa autuada por delitos na área.

Leia também: Relator retira indiciamento de Lula e Dilma na CPI do BNDES

“Defendo que a lei considere se a empresa tinha boas práticas de gestão ambiental, se observava os procedimentos legais, se realizava auditorias periódicas e se punia os seus funcionários envolvidos em infrações ambientais. Isso é fundamental para o juiz graduar sua decisão”, disse o autor da proposta, senador Styvenson Valentim (Podemos-RN).

Veja Também:  Deputados críticos a Bivar buscam aumentar apoio a Bolsonaro na Câmara

Fonte: IG Política
Continue lendo

Política Nacional

Deputada do PSL “confessa” candidaturas laranjas ao tentar acusar adversários

Publicado

source
Deputada do PSL%2C Soraya Manato arrow-options
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Deputada do PSL, Soraya Manato (ES) “confessou” que houve candidaturas laranjas no partido ao tentar acusar adversários

A deputada Soraya Manato (PSL-ES) foi ao microfone na Câmara na noite desta terça-feira (15) para tentar atacar adversários e afirmou que todos os partidos utilizaram a prática de ” candidaturas laranjas ” nas eleições de 2018, mas acabou por admitir que a legenda da qual faz parte utilizou o expediente. A declaração foi feita no mesmo dia em que o  presidente da legenda, Luciano Bivar, foi alvo de uma operação da Polícia Federal que investiga a prática em Pernambuco.

Ela começou sua fala lendo um estudo feito pelas professoras Malu Gatto, da University College London, e Kristin Wyllie, da James Madison University, e divulgado pela BBC Brasil , que apontava a possibilidade de a irregularidade ter sido realizada por vários partidos. Segundo o estudo, no PSL a suspeita é que 15,9% das candidatas mulheres serem, na verdade, laranjas.

Leia também: “É para atingir a família Bolsonaro”, diz deputado do PSL acusado de rachadinha

Veja Também:  Tabata e mais seis deputados vão ao TSE para deixar PDT e PSB

O percentual seria de 11% no PT, 10,5% no PP, 15,6% no PSDB e as suspeitas se aplicariam a quase todos os partidos. Soraya Manato usou esses dados para dizer que seu partido não poderia ser atacado e acabou por confirmar a prática.

“Pessoal da esquerda, não tem ninguém santo aqui dentro não, tá? Tem laranja em tudo que é partido. Aqui no PSL tiveram os candidatos laranja, mas a grande maioria foi eleita honestamente”, disse a parlamentar.

Leia também: Bolsonaro diz que não quer ‘tomar’ PSL e que apenas defende transparência

A “confissão” de Soraya Manato ganhou as redes sociais. Até agora, o PSL tem negado as acusações. Segundo as investigações, mulheres eram inscritas como candidatas, recebiam recursos do fundo eleitoral, mas o montante era gasto em campanhas de candidatos homens. A prática teria sido usada porque na eleição passada vigorou uma obrigatoriedade de destinar 30% dos recursos para mulheres.

Fonte: IG Política
Continue lendo

Política Nacional

Relator retira indiciamento de Lula e Dilma na CPI do BNDES

Publicado

source
Lula e Dilma arrow-options
Twitter/Dilma/Reprodução

A ex-presidenta Dilma ao lado do ex-presidente Lula.

O deputado Altineu Cortês, relator da CPI do BNDES, retirou o indiciamento dos ex-presidentes Lula e Dilma . Além dos petistas, também foram removidos os indícios ligados à JBS do parecer final. 

A sessão , que acontece nesta quarta-feira (16) na Câmara dos Deputados, em Brasília, está em andamento .

Leia mais: “É para atingir a família Bolsonaro”, diz deputado do PSL acusado de rachadinha

O argumento utilizado por Cortês para retirar os indiciamentos é evitar que a CPI ‘termine em pizza’. Isso por conta do risco de o relatório ser derrubado e a comissão ser finalizada sem nenhum indiciamento.

Leia também: Olavo prega união do presidente e Forças Armadas e termo “AI-5” ganha força

O Centrão e o PT articulavam para retirar Dilma e Lula do relatório, de acordo com informações apuradas pelo portal O Antagonista.

Os parlamentares Sanderson, Paula Belmonte, Lucas Redecker e Kim Kataguiri vão apresentar votos em separado, com indicações para o indiciamento dos petistas. 

Fonte: IG Política
Veja Também:  Tabata e mais seis deputados vão ao TSE para deixar PDT e PSB
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana