conecte-se conosco


Carros

Os três pecados capitais do Fiat Cronos

Publicado

source
Cronos arrow-options
Divulgação

O Cronos tem a mesma distância entre-eixos do Fiat Argo, num momento em que os sedãs compactos crescem.

Diz a história que ao longo dos tempos a lista dos pecados capitais sofreu alterações e até foi reduzida. Desde o século XIII são sete:  soberba, avareza, luxúria, ira, gula, inveja e preguiça. Mas não é essa lista que nos interessa aqui, e sim os pecados capitais do Fiat Cronos. Aparentemente, o Cronos cometeu pelo menos três pecados capitais ao chegar ao mercado. E esses pecados não têm nada a ver com os pecados da esfera religiosa, mas sim com os poderosos mandamentos ditados pelo mercado consumidor.

LEIA MAIS: Golf Variant, a perua que morreu e não foi enterrada

O Fiat Cronos é um carro muito bom. Ele entrou na família Fiat para substituir, de uma só vez, o Linea e o Grand Siena. Sua missão era clara: tornar a Fiat competitiva num mercado onde nunca se deu muito bem. Baseado no Argo , o Cronos estreou bem e rapidamente conquistou elogios dos especialistas por seu design, seu comportamento dinâmico e a possibilidade de vir com os motores 1.3 e 1.8.

Mesmo assim, o Cronos entrou no último trimestre do ano num pífio 32º lugar no ranking dos carros de passeio. Considerando os 15 carros de seu segmento (sedãs pequenos e compactos), o Cronos está na oitava colocação, com 16.266 emplacamentos. Perde para Chevrolet Prisma (65.415), Ford Ka Sedan (36.500), VW Virtus (34.151), Hyundai HB20S (26.105), VW Voyage (23.494), Toyota Yaris (21.743) e Renault Logan (18.266).

Se serve de consolo, em setembro ganhou do Logan por 88 carros, mas perdeu para todos os citados. Entre os carros que o Fiat Cronos bate, estão o Chevrolet Onix Plus (acabou de estrear), Caoa Chery Arrizo 5 (não tem produção em grande volume) e o Chevrolet Cobalt (em fim de linha). Portanto, o Cronos só bate mesmo o Nissan Versa, o Toyota Etios, seu irmão Grand Siena (que ressuscitou por algum tempo) e o Honda City (muito mais caro).

Veja Também:  Bike elétrica Vela 2 é revelada com novas tecnologias e soluções de mobilidade

Como disse, o Cronos é um bom carro. Eu o compraria. Mas o mercado o rejeita, e acho que a razão não está nem Foro de São Paulo nem nas políticas de Donald Trump, para citarmos dois motivos, à direita e à esquerda, que são comumente usados no Brasil atual para justificar quando as coisas não dão certo. A razão, meus amigos, está nos três pecados capitais do Fiat Cronos.

Os pecados capitais do Fiat Cronos

Fiat Cronos arrow-options
Divulgação

O câmbio automatizado de embreagem simples definitivamente não é a melhor opção para um público cada vez mais exigente.

O primeiro pecado capital do Cronos foi ter mantido a distância entre-eixos no mesmo tamanho do Fiat Argo. O Cronos foi lançado praticamente junto com o VW Virtus, e uma das diferenças do sedã da Volks é que ele se aproveitou da plataforma modular para ser maior do que o Polo, seu irmão de linha. Bem, eu nunca ouvi falar que a FCA poderia ter feito o mesmo na linha Argo/Cronos, mas no avião que nos trouxe de Córdoba (Argentina) depois do lançamento do Cronos, sentei ao lado do diretor técnico da Fiat na ocasião, Claudio Demaria. Ele me disse que a Fiat poderia ter aumentado o entre-eixos do Cronos, mas decidiu não fazê-lo. Motivo: economia de custos.

LEIA MAIS: Arrizo 5e exibe consciência da Caoa Chery na carregoria dos carros elétricos

Curioso que naquele evento a Fiat disponibilizou um Prisma, um HB20S e um Etios. Mas, vejam só, as novas gerações do HB20S e do Prisma (rebatizado de Onix Plus ) vieram maiores do que eram. Ou seja: o Cronos perdeu a briga pelo espaço. Para além disso, ficou caracterizado como um carro do segmento B, enquanto seus principais concorrentes migraram para o B+. Traduzindo: optaram por ser maior, seguindo uma tendência de aumento dos carros. O mercado, aliás, comprova que só o Cronos errou. Segundo a Fenabrave, na comparação de 2019 com 2018, as vendas de sedãs compactos, o B+, cresceu de 4,0% para 4,9%, enquanto de sedãs pequenos, o B (caiu de 14,3% para 13,6%).

Veja Também:  Ferrari Roma é a nova estrela da Casa de Maranello

O segundo pecado capital do Cronos é o motor. Seus principais concorrentes utilizam motor turbo, mas a Fiat ainda equipa o Cronos com motores naturalmente aspirados. Enquanto não vier a nova família de motores, o Cronos, com seus motores 1.3 e 1.8, vai sofrer diante dos motores mais eficientes da concorrência. Por eficiência entenda-se mais potência com menos consumo.

Cronos arrow-options
Divulgação

O Cronos oferece motor 1.3 e 1.8, mas todos são aspirados, enquanto a concorrência aposta em motores 1.0 turbo.

Finalmente, o terceiro pecado capital do Fiat Cronos é o câmbio automatizado de embreagem simples, o famoso GSR. É verdade que esse câmbio ficou melhor do que o antigo Dualogic, mas ainda assim ele está a léguas de distância dos câmbios automáticos de verdade usados pela concorrência. O novo Onix Plus, por exemplo, tem motor 1.0 turbo com câmbio automático de seis marchas. O Cronos, coitado, só oferece a transmissão automática (muita boa por sinal, de seis marchas) nas versões topo de linha, com motor 1.8. Ou seja: só para o consumidor mais abonado.

Já a versão 1.3, que é a de melhor relação custo-benefício do Cronos, só vai bem com o câmbio manual. O motor até faz sua parte, mas ninguém mais no Brasil quer transmissão manual. Então, nessa versão, a única opção do Cronos é o automatizado GSR, que dá trancos a cada mudança de marcha e ainda é mais caro do que o carro equipado com a caixa manual. 

LEIA MAIS: Hyundai Creta puxa fila do mercado de SUVs

Infelizmente, essa é a sina atual do Fiat Cronos . Um carro muito bom, bem construído, bem desenhado, gostoso de guiar na versão 1.8, com posição elevada como gosta o consumidor atual, com acabamento caprichado, ótimo porta-malas, suspensão acertadinha, um painel primoroso, com uma das melhores conectividades do mercado e um quadro de instrumentos matador (o melhor de todos), porém com alguns pecados que o deus mercado não perdoa. Que a Fiat corrija logo esses problemas e dê uma carreira de sucesso ao Cronos, porque ele merece.

Fonte: IG Carros
publicidade

Carros

Ford Mustang Lithium, Chevy E-10 e Bronco R querem dar alma aos eletrificados

Publicado

source
Ford Mustang arrow-options
Divulgação

Totalmente elétrico, o conceito Ford Mustang Lithium tem mais de 900 cv

As duas maiores montadoras dos Estados Unidos têm grandes planos de eletrificação e utilizam eventos para mostrá-los. No SEMA Show em Las Vegas, principal exposição comercial de modelos especiais do mundo, a Ford exibiu o Ford Mustang Lithium e, a General Motors, a picape E-10 num design retrô. Já no deserto do México, foi vez do Ford Bronco R. Em comum, potência é o ponto alto desses veículos-conceito que querem dar alma aos veículos eletrificados.

LEIA MAIS: Fusão entre PSA e FCA vai beneficiar 12 marcas com modelos eletrificados

Ford Mustang arrow-options
Divulgação

O Mustang Lithium propõe total envolvimento com o carro e tem um interior totalmente conectado

Os fãs do Ford Mustang terão novidades com a derivação de um SUV elétrico que chega em 2021. Mas tiveram uma prévia de como poderá ser o famoso automóvel cupê esportivo – aliás, o mais vendido do mundo. E potência não faltará ao novo modelo EV. O protótipo do Mustang Lithium é a bateria. Possui mais de 900 cavalos de potência (671 quilowatts) sob o capô com transmissão manual de seis marchas. O objetivo é manter o motor em seu ponto ideal da potência para o uso elétrico.

Veja Também:  Nissan e-Power: sistema híbrido diferente que logo chegará ao Kicks brasileiro

É alimentado por um sistema de energia de 800 volts, mais do que o dobro da maioria dos carros elétricos em circulação atualmente, segundo a Ford. O motorista do carro elétrico pode selecionar entre quatro modos de condução, incluindo esporte, pista e animal. O quarto é o modo valet, para quando você precisa entregar a chave a outra pessoa.

Chevy E-10 arrow-options
Divulgação

O conceito Chevy E-10 tem um design retrô baseado na primeira picape S10 de 1962, um dos veículos mais carismáticos

O Mustang Lithium também foi criado como uma maneira de testar sistemas de gerenciamento de calor de um carro elétrico: a suspensão rebaixada visa dar segurança nas curvas e, é claro, ajuda no visual esportivo. O envolvimento com o carro também está presente no seu interior conectado.

LEIA MAIS: Corsa e Peugeot 208 ganham versões elétricas

Já a Chevy, como é chamada a GM nos EUA, exibiu a E-10, que tem muita potência para uma picape, segmento altamente disputado. Em contraste com a atual S10, o veículo mostrado em Las Vegas é conceitual, com estilo vintage.

Este novo conceito de picape elétrica é baseado na primeira picape S10, de 1962. Tem um pacote de propulsão elétrica oriundo da experiência obtida com o Chevrolet Bolt, o sucesso da montadora entre os modelos totalmente EVs. Seu trem de força tem 450 cv de potência com duas baterias de 60 kWh. A GM diz que o E-10 atingirá 100 km/h em cinco segundos e percorrerá 400 metros em 13 segundos.

Ford Bronco Hybrid

Ford Bronco arrow-options
Divulgação

O SUV off-road Bronco R mostra como será o futuro veículo da Ford, ressuscitado agora com a tecnologia híbrida

A Ford prepara ainda a reedição do novo Bronco, um tradicional SUV off-road que agora será híbrido. Trata-se de um utilitário grandalhão, ícone norte-americano nos anos 70, que será ressuscitado.

LEIA MAIS: Saiba quais são as novidades de carros elétricos e híbridos no Japão

Sua revelação ocorrerá no início de 2020, mas a montadora fez uma demonstração prévia com um veículo de corrida chamado Bronco R para a competição Baja 1000 no deserto do México. O novo Ford Bronco Hybrid terá um motor V6 3.5 turbo de 450 cv de potência combinado com um elétrico. Ele virá em duas e quatro portas para competir com o Jeep Wrangler. Terá uma versão do novo chassi T6 que vai também ser usado na futura picape Ranger.

Afinal, as centenárias montadoras americanas correm contra o tempo. Além de manter seus clientes atuais com veículos potentes (como o Ford Mustang ), elas precisam atrair uma nova geração de pessoas desejam modelos econômicos e de reduzidas emissões.

Fonte: IG Carros
Continue lendo

Carros

Ferrari Roma é a nova estrela da Casa de Maranello

Publicado

source

Motor Show

Ferrari arrow-options
Divulgação

Ferrari Roma: visual conta com uma dianteira longa e uma traseira curta, aliado a equipamentos de última geração

Eis o novo ícone da Casa de Maranello: a Ferrari Roma. Ela foi apresentada durante uma festa para convidados especiais e presta uma homenagem a cidade de Roma, na Itália. Lado a lado com o modelo Portofino , a Roma cresceu 70 mm no comprimento (4,656 m) e 44 mm na largura (1,974 m), enquanto a altura diminuiu 17 mm (1,301 m) e o entre se manteve inalterado (2,670 m).

LEIA MAIS: Avaliação: Ferrari 488 Pista é um esportivo impecável

O visual exibe uma dianteira longa associada a traseira curta. Aliás, alguns elementos de design roubam os olhares, como os faróis Matrix LED com barra horizontal, inspirados nos modelos Monza SP1 e Monza SP2, e as lanternas divididas em quatro seções (uma clássica solução de estilo nos carros da Ferrari ).

LEIA MAIS: Ferrari revela novo 812 GTS, o conversível mais potente do mundo

Interior e mecânica

Por dentro, a cabine adota o conceito “Dual Cockpit”, com duas células bem divididas para motorista e passageiro. O habitáculo oferece três telas, com novo multimídia vertical de 8,4″, um display para o passageiro e o quadro de instrumentos de 16″. Outro destaque do super-carro aparece no volante com botões táteis.

LEIA MAIS: Ferrari lança o conversível F8 Spider que será vendido no Brasil em breve

Sob o capô, se esconde um motor V8 3.9 turbinado, na posição central-traseira, com 620 cv de 5.750 a 7.500 rpm e torque de 77 kgfm disponível entre 3.000 e 5.750 rpm. O câmbio é de dupla embreagem derivado da Ferrari SF90 Stradale , mas com oito marchas. Com 1.570 kg e relação peso-potência de 2,53 kg/cv, é possível acelerar de 0-100 km/h em baixos 3,4 segundos, de 0-200 km/h em 9,3 segundos, e atingir 320 km/h de velocidade máxima.

Fonte: IG Carros
Continue lendo

Carros

Novo Chevrolet Onix aparece com traje esporte e sem disfarces

Publicado

source


Chevrolet Onix RS preto arrow-options
Reprodução/Instagram

Chevrolet Onix RS: versão esportiva terá ampla grade frontal, defletores de ar e rodas pintadas de preto brilhante


Bem que a GM queria fazer uma surpresa e mostrar a nova versão esportiva RS do novo Chevrolet Onix mais adiante. Mas imagens da novidade acabaram sendo postadas nas redes sociais antes do previsto.

LEIA MAIS:  Chevrolet Onix hatch tem mais imagens e especificações divulgadas pela GM

As fotos do novo Chevrolet Onix RS revelam que o carro terá itens exclusivos, como as rodas pintadas de preto, o defletor de ar na traseira, a grade frontal estilo “colmeia” e a sigla “RS” no canto do para-choque, detalhe que lembra o antigo Corsa GSi, de meados dos anos 90.

Pelo o que se sabe até agora, o novo Chevrolet Onix RS terá o mesmo motor 1.0, turbo, de 116 cv das versões mais equipadas do compacto, com a diferença de vir acoplado ao câmbio manual, de seis marchas, e não ao automático. Isso deverá dar mais agilidade ao carro, além de garantir total controle do carro a quem estiver dirigindo, que decidirá quando trocar de marcha ou fazer reduções e não um sistema eletrônico. 

Veja Também:  Nissan e-Power: sistema híbrido diferente que logo chegará ao Kicks brasileiro

Mais detalhes do Chevrolet Onix RS

Chevrolet Onix RS arrow-options
Reprodução/Instagram

Interior do Chevrolet Onix RS contará com volante revestido de couro com costuras vermelhas entre os itens exclusivos


Ainda como parte do visual do Onix RS, destacam-se itens como a mesma sigla RS na traseira o acabamento preto brilhante nas rodas. Por dentro, o carro vem com volante revestido de couro com costuras vermelhas, cor também utilizada nas molduras das saídas de ar. Pelo o que as imagens mostram, os bancos são bem parecidos com os das demais versões, revestidos de courino e tecido, nada de largos apoios laterais. 

 LEIA MAIS: Confira como deverá ficar a versão com apelo aventureiro do novo Onix

As versões hatch do novo Chevrolet Onix  deverão começar a chegar às lojas entre o fim do mês e o início de dezembro. Como a nova versão RS está pronta, é provável que também faça parte das que serão oferecidas ao público assim que o carro começar a ser vendido nas lojas, o que deverá ser confirmado no evento de apresentação da novidade.



Fonte: IG Carros
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana