conecte-se conosco

Policia Federal

PF deflagra Operação Contorno Norte para combater contrabando de cigarros

Publicado

Maringá/PR – A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (11/6) a Operação Contorno Norte, para prender  líderes de organização criminosa especializada no contrabando de cigarros de origem paraguaia.

Cerca de 80 policiais federais cumprem 20 mandados de prisão preventiva e 17 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Nova Esperança/PR, Guaíra/PR, Umuarama/PR, Alto Paraíso/PR e Mundo Novo/MS. Além disso, foram deferidos judicialmente o bloqueio de contas bancárias, o sequestro de bens imóveis e a apreensão de veículos vinculados aos investigados.

As investigações tiveram início em maio de 2016, após uma carreta carregada com cigarros contrabandeados colidir com um veículo onde estavam um casal e uma criança no Contorno Norte de Maringá/PR, levando à morte a mulher.

As apurações permitiram identificar uma organização criminosa responsável pelo transporte da carga contrabandeada. Foi constatado que os cigarros eram introduzidos em território nacional a partir de Salto Del Guairá, no Paraguai, utilizando uma rede de funcionários, olheiros, barqueiros, carregadores e motoristas.

Durante os três anos de apuração, a Polícia Federal prendeu 204 membros da organização criminosa, realizou 130 flagrantes de contrabando, além da apreensão de 156 caminhões e outros 60 veículos utilizados nos crimes. Também foram apreendidas cerca de 105 mil caixas de cigarros, o equivalente a 52 milhões de maços. As mercadorias foram avaliadas em R$ 250 milhões pela Receita Federal, gerando aproximadamente R$ 360 milhões em tributos e multas.

Veja Também:  Operação SOS Karipuna investiga organizações criminosas que atuavam em terra indígena em Rondônia

Verificou-se ainda que grande parte das carretas utilizadas nos transportes ilícitos eram oriundas de furtos e/ou roubos, com posterior clonagem das placas. O grupo chegou a utilizar 6.700 linhas telefônicas cadastradas em nome de terceiros para a prática do crime.

Os presos responderão, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de organização criminosa, contrabando, receptação qualificada, adulteração de sinal identificador de veículo automotor, falsidade ideológica e corrupção ativa, bem como pelo homicídio culposo, lesão corporal culposa, abandono do local do acidente e favorecimento pessoal, quanto ao acidente que iniciou os trabalhos.

Será concedida entrevista coletiva, às 10 horas, na Delegacia de Polícia Federal em Maringá/PR.

 

 

 

Fonte: Polícia Federal
publicidade

Policia Federal

PF deflagra 2ª fase da Operação Reboot para investigar fraudes em licitação

Publicado

Marília/SP – A Polícia Federal deflagrou hoje (18/6) a segunda fase da Operação Reboot, em continuidade às investigações de irregularidades praticadas no âmbito na Secretaria Municipal de Saúde de Marília, durante procedimento licitatório levado a efeito em 2016, por meio do qual foram adquiridos 450 Tablets com verbas provenientes do Ministério da Saúde, por valores, ao que tudo indica, superfaturados.

Estão sendo cumpridos 3  mandados de busca e apreensão, expedidos pela 3ª Vara Federal de Marília/SP, após manifestação favorável do Ministério Público Federal, sendo dois nesta cidade e um na cidade de Cotia/SP.

Conforme restou apurado, há indícios de prejuízo aos cofres públicos federais na ordem de aproximadamente meio milhão de reais, em decorrência da inclusão de cláusulas no edital que restringiram a participação de licitantes.

Durante a análise do material apreendido na primeira fase da operação foram identificados outros possíveis envolvidos, o que justificou o requerimento de novas medidas constritivas.

A investigação encontra-se em fase final, e os envolvidos poderão responder, no limite de suas responsabilidades, pelos crimes de organização criminosa (art. 2º da Lei nº. 12.850/2013 – pena de 3 a 8 anos de reclusão), fraude à licitação (art. 90 da Lei nº. 8.666/93 – pena de 2 a 4 anos de detenção), corrupção passiva (art. 317 do Código Penal – pena de 2 a 12 anos de reclusão), corrupção ativa (art. 333, do Código Penal – pena de 2 a 12 anos de reclusão) e lavagem de dinheiro (art. 1º, da Lei nº. 9.613/98 – pena de 3 a 10 anos de reclusão).

Veja Também:  PF investiga estelionato contra a Caixa Econômica Federal

 

Fonte: Polícia Federal
Continue lendo

Policia Federal

PF combate exploração sexual de crianças e adolescentes

Publicado

Belo Horizonte/MG – A Polícia Federal deflagrou na manhã de hoje (17/6) a Operação “Curie”, para combater distribuição  e arquivamento de imagens pornográficas envolvendo crianças e adolescentes, em Minas Gerais.

Foi cumprido um mandado judicial de prisão preventiva, expedido pelo 35ª Vara da Justiça Federal de Belo Horizonte. O preso é médico, tem 37 anos e reside no bairro da Pampulha, em Belo Horizonte. Além de guardar e compartilhar arquivos de pornografia infanto-juvenil por meio da internet, ele filmava exames médicos íntimos que realizava em suas pacientes.

Ele foi encaminhado para a penitenciária Nelson Hungria, onde permanecerá à disposição da Justiça. Se condenado, poderá cumprir até 6 anos de reclusão e pagar multa.

As investigações prosseguirão no sentido de verificar as redes de contato do preso.

Fonte: Polícia Federal
Veja Também:  Operação SOS Karipuna investiga organizações criminosas que atuavam em terra indígena em Rondônia
Continue lendo

Policia Federal

PF combate trabalho escravo no ES

Publicado

Vila Velha/ES – A Polícia Federal no Espírito Santo realizou, entre os dias 7 e 12 de junho, operação de combate ao trabalho escravo no interior do Estado, juntamente com o Ministério do Trabalho, Defensoria Pública da União e o Grupo Especial de Fiscalização Móvel da Secretaria Especial da Previdência do Trabalho, identificando 132 trabalhadores em situação irregular, sendo sete deles menores de idade em situação de trabalho infantil.

 Nas abordagens, foram identificados 90 trabalhadores sem contrato empregatício. Não houve prisão em flagrante pois em nenhuma situação fora constatada condição análoga a de escravo.

 A operação foi realizada nas cidades de Sooretama, Pancas, Santa Teresa, São Roque e Vila Valério, na região Norte do Estado, em propriedades de cultivo de café e coco.

 

 

 

 

Fonte: Polícia Federal
Veja Também:  PF combate exploração sexual de crianças e adolescentes
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana