conecte-se conosco


Mato Grosso

Politec apresenta resultado de ações de perícias em incêndios florestais

Publicado

De janeiro a novembro de 2019, 20 perícias de incêndios florestais foram realizadas pela Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), na Região Metropolitana de Cuiabá. As perícias ambientais desta natureza buscam a identificação da origem do fogo, a causa, o agente causador e a quantificação das áreas atingidas pelos incêndios.  

Os dados foram apresentados na sexta-feira (08.11), durante a 3ª Reunião Ordinária do Comitê Estadual do Fogo, com a participação de diferentes agências estaduais e federais que atuam na prevenção, monitoramento e controle das queimadas e dos incêndios florestais no Estado.

O grupo é presidido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e a secretaria executiva é de responsabilidade do Corpo de Bombeiro Militar (CBMMT), por meio do Batalhão Especial de Emergências Ambientais (BEA). Integram o grupo instituições públicas, empresas privadas, ONGs e entidades de classe.

Durante a apresentação, a perita oficial criminal Quezia Vicente Pereira citou as principais ações realizadas pela Politec no apoio às operações de combate a incêndios florestais em 2019, como as três edições da Operação Abafa (Amazônia e Araguaia), que mobilizaram cinco peritos.

Veja Também:  Governo capacita e incentiva mais de 150 pessoas a investir em negócios

Ela explicou que a preparação para atender a estas demandas mais críticas do ano teve início em maio e junho, por meio de duas capacitações junto ao Corpo de Bombeiros Militar no curso de geoprocessamento para incêndios florestais.

“A Politec está inserida no contexto da responsabilização criminal dos autores, que pode gerar penalidade ou detenção. Nossa atribuição é identificar a origem do incêndio, e o agente causador, que pode ser causado pelo homem ou por causas naturais. Mesmo que o proprietário não seja o agente causador, ele é responsável pelos aceiros e proteção da área para se evitar o incêndio florestal”, pontuou.

A reunião contou com a participação de representantes do Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Militar de Proteção Ambiental, do Ibama, Funai, Famato, ICMBio, Universidade Federal de Mato Grosso, Sesc Mato Grosso e Politec.

Fonte: GOV MT
publicidade

Mato Grosso

Participação familiar é maior desafio enfrentado por gestores escolares

Publicado

O Dia do Diretor Escolar, comemorado nesta terça-feira (12.11), é uma oportunidade para refletir sobre o papel deste profissional que é responsável pela administração e gestão da unidade escolar.

Eleitos pela comunidade escolar, os diretores das escolas estaduais de Mato Grosso têm, entre seus maiores desafios, trazer os pais para para dentro da escola. Para a maior parte dos gestores, esta é uma tarefa difícil, mas compensadora e, principalmente, necessária.

Na concepção da maioria dos diretores, a participação dos pais no dia a dia da escola é fundamental para um ensino de qualidade e ter a escola como referência.

A diretora da Escola Estadual Fernando Leite de Campos, Leyde Laura de Sousa, em Várzea Grande, elencou como prioridade a participação dos pais nas atividades escolares. “Desde a elaboração de meu plano de trabalho, uma das prioridades é buscar o envolvimento da família na escola”, assegura.

Ela considera os resultados excelentes, pois os pais participam das reuniões e vão à escola não apenas para buscar os boletins escolares, eles se envolvem com todas as atividades.

Leyde Laura frisa que na maioria das vezes em que liga para os pais para falar sobre os alunos eles são atenciosos e, ao final, sempre agradecem pela preocupação que a escola tem com os seus filhos.

O maior desafio é justamente com os pais ausentes, cujos filhos encontram-se com desafazem na aprendizagem e na disciplina. “Infelizmente são pais em que ligamos duas, três vezes e não conseguimos contato. Então, acionamos o Conselho Tutelar para tomar as providências. Temos uma porcentagem de pais que não participam. Esse é o nosso alvo, porque a família na escola faz a diferença”, assinala.

Veja Também:  Polícia Civil cumpre prisões contra autores de tráfico, roubos e organização criminosa em Sorriso

A escola, que está localizada na região central de Várzea Grande, atende 1.240 alunos, do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e do 1º ao 3º ano do ensino médio.

Para Conceição Aparecida Bastos, que há dez meses está à frente da Escola Estadual Nova Chance, que atende 2.800 alunos privados de liberdade, o maior desafio nesse período em que está como gestora foi promover uma gestão participativa e democrática, pautada em uma escola transformadora e libertadora, onde o aluno é parte específica e protagonista do processo de ensino-aprendizagem.

Professora da rede estadual há 28 anos, a diretora destaca que sempre acreditou que a educação é realmente o instrumento mais eficaz de transformação social, de qualificação e inserção, tanto na estruturação de vida quanto no mercado de trabalho.

“Justamente por crer na humanidade, é que vejo o estudo para os alunos privados de liberdade como um novo caminho, uma nova chance para ressocialização, construção e reconstrução de uma nova vida ao se reintegrarem na sociedade. Uma das funções da escola, como um todo, é dar a este aluno, uma chance de mudar e ter um futuro melhor. Estou convencida de que as opções de vida nessas circunstâncias específicas só podem ser melhores por meio da educação, portanto, o papel do gestor nesse processo é imprescindível”, observa.

Veja Também:  Governo negocia R$ 37,7 milhões em dívidas na primeira semana do Mutirão Fiscal

O diretor da Escola Estadual Marcio Schabtt Souza, localizada em Lucas do Rio Verde (a 354 quilômetros de Cuiabá), Wellington José Gobi Zarelli, concorda que ser gestor não é uma tarefa fácil, mas é imprescindível para a melhoria das condições de vida das pessoas que passam pela unidade escolar.

“Para mim, o mais prazeroso em ser diretor é servir à comunidade e fazer o possível para garantir as melhorias para esse espaço educacional, ou seja, é fazer o possível para melhorar a condição de vida de quem passa pela escola, mudando tanto a questão cognitiva quanto o contexto social. Ser diretor é dedicar-se ao máximo e mostrar-se à comunidade com respeito e de maneira democrática”.

Em seu segundo ano de gestão como diretor, Wellington Zarelli, que também foi coordenador por oito anos, acredita que a escola é protagonista quando se refere à mudança do contexto social. Por isso, o gestor deve trabalhar para fazer desse espaço um ambiente mais atrativo aos alunos para que os mesmos se integrem cada vez mais à escola e não fiquem em meios vulneráveis.

“A escola é o refúgio para nossas crianças e esse refúgio além de acolher é um espaço que vai moldar esse cidadão para ter desenvoltura tanto na sua vida social quanto nas questões financeiras, ou seja, a escola é um meio para alavancar a vida de qualquer ser que passe por esse espaço”, observa.

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Mato Grosso

Sistema Socioeducativo de Cuiabá recebe doações de materiais esportivos

Publicado

Adolescentes do Sistema Socioeducativo de Cuiabá receberam doações de materiais esportivos em um evento realizado no sábado (09.11), no Centro de Atendimento Socioeducativo de Cuiabá. Os recursos da doação são da Prefeitura Municipal de Cuiabá, por meio da Secretaria de Esporte, Cultura e Lazer.

Segundo o superintendente do Sistema Socioeducativo de Mato Grosso, Iberê Ferreira Junior, os materiais foram solicitados pela Secretaria Adjunta de Justiça da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) ao município.

O objetivo da doação é a melhoria nas atividades esportivas e recreativas ofertadas pela equipe de educadores físicos do sistema. Os materiais são destinados para os adolescentes internos do Sistema Socioeducativo em Cuiabá, tanto garotas quanto os garotos. 

“Os materiais são importantes para o fortalecimento das ações sociopedagógicas, que são previstas no atendimento socioeducativo. Dentre essas ações, nós temos as atividades esportivas e recreativas”, afirma o superintendente.

Ao todo foram recebidas quatro bolas de futsal, três bolas de voleibol, uma rede de futsal, uma rede de voleibol, dois pares de raquetes para tênis de mesa e dez bolinhas de tênis de mesa. (Com supervisão de Débora Siqueira)

Fonte: GOV MT
Veja Também:  Encontro de gestores municipais vai debater Esporte e Lazer em dezembro
Continue lendo

Mato Grosso

Diagnóstico e tratamento precoce do câncer de próstata garantem 95% de cura

Publicado

A saúde do homem é uma das ações que integram a Política de Prevenção e de Atendimento realizada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) e voltadas, neste mês de novembro, especialmente para o combate ao câncer de próstata. Estimativa do Inca (Instituto Nacional do Câncer) aponta que, apenas neste ano, devem surgir 682.220 novos casos da doença entre os homens em todo o país, sendo que em Mato Grosso são previstos 1.100 novos casos.

Contudo, o câncer de próstata diagnosticado precocemente representa 95% de chance de cura, ressalta o oncologista e mastologista do Hospital Estadual Santa Casa, Wilson Garcia Pereira.

Para obter esse percentual de cura, é preciso que o tratamento da doença seja iniciado no prazo máximo de até 60 dias, a partir do diagnóstico precoce. O câncer de próstata se desenvolve até o tamanho de um centímetro dentro do prazo de 15 anos; a doença é silenciosa e os sintomas vão surgir somente na fase avançada, com o surgimento de retenção de urina; jato urinário fraco; dores pélvicas, sangramento na urina e dificuldade para urinar.

O Inca ainda estima que, no Brasil, em 2019, mais de 14 mil homens correm o risco de morte em razão da doença e por não ter procurado o tratamento precocemente. Em torno de 20% da incidência irá a óbito – evidência que demonstra a demora, por parte do homem, em buscar o diagnóstico e o tratamento da doença.

Veja Também:  Governo capacita e incentiva mais de 150 pessoas a investir em negócios

Tratamento pelo SUS

Na Rede Pública de Saúde, o homem pode ter acesso à consulta com um clínico geral, com o urologista ou mesmo com o médico de saúde da família, que pode ser encontrado no PSF (Programa de Saúde da Família), existente em unidades de saúde dos municípios. Nessa fase, o médico pode indicar o exame de rastreio, de sangue e o de toque retal, que é feito por médico urologista ou pelo médico de família.

Na fase do tratamento, o paciente é atendido por um especialista em oncologia ou em mastologia, esses profissionais podem indicar a cirurgia para a retirada do câncer e tratamentos a base de radioterapia, com alto índice de cura, além da hormonioterapia. Esses tratamentos também são realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sendo que a regulação do paciente é iniciada sempre pela rede de Saúde do município onde reside.

“Os tratamentos são altamente eficazes, ou seja, têm alto índice de cura, são menos mutilantes e impedem a incapacidade profissional e social”, enfatiza o especialista.

Veja Também:  Encontro de gestores municipais vai debater Esporte e Lazer em dezembro

Prevenção

O câncer de próstata é a doença mais comum nos homens e acomete, sobretudo, da fase idosa, acima de 65 anos. Entretanto, o INCA recomenda que o cuidado com a próstata comece a partir dos 40 anos de idade. A biópsia do tumor é o que vai indicar se é câncer ou não e isso somente pode ser descoberto pelo exame de toque no reto.

O oncologista Wilson Pereira ainda informa que 35% dos casos de câncer de próstata estão ligados à rotina alimentar equivocada, por meio de consumo de alimentos gordurosos em conservas e processados, que são pobres em fibras e com alto índice de calorias e de gordura. O excesso de bebida alcóolica e de cigarro contribui para o surgimento da doença.

“A qualidade alimentar e física é fundamental para evitar o câncer de próstata e outras doenças, e assegura melhores condições de vida para o homem”, conclui o médico.

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana