conecte-se conosco

Política Nacional

São Paulo tem clima frio e interdição no Túnel Sebastião Camargo nesta sexta

Publicado


São Paulo
shutterstock

Frente fria retorna a São Paulo hoje

O retorno da frente frio traz temperaturas baixas e chuva para São Paulo nesta sexta-feira (24). De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE), a máxima será de 19º e a mínima de 14ºC. A sensação de frio aumenta no fim da tarde e pancadas de chuva estão previstas durante todo o dia. 

Leia também: Mortes em acidentes de trânsito cresceram 6,5% na cidade de São Paulo em 2018

O rodízio na cidade de São Paulo  vale hoje para veículos com placa de final 9 e 0, das 7h às 10h da manhã e das 17h às 20h da noite. Nesses períodos, fica proibida a circulação desses veículos na região do centro expandido, no perímetro entre as marginais Pinheiros e Tietê, a Avenida Luís Ignácio de Anhaia Mello e a Avenida Salim Farah Maluf.

A companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou que vai interditar o túnel Sebastião Camargo, sentido centro, para serviços de varrição e limpeza. De acordo com a empresa, o bloqueio começa às 23h30 e vai até as 4h30 de sábado. 

Veja Também:  Marido da deputada Flordelis é executado dentro de casa em Niterói

O transporte público deve funcionar normalmente em
São Paulo

durante todo o dia. 


Fonte: IG Política
publicidade

Política Nacional

Bolsonaro anuncia que Brasil foi aceito como aliado extra-Otan

Publicado

Bolsonaro
Rovena Rosa/Agência Brasil

Bolsonaro anuncia que Brasil foi aceito como aliado extra-Otan

O presidente Jair Bolsonaro disse nesse sábado (15) em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, que o Brasil foi aceito pelos Estados Unidos (EUA) como um aliado extra-Otan, a Organização do Tratado do Atântico Norte. De acordo com Bolsonaro, com a “aliança” o país terá mais assistência no campo militar e também no mercado de defesa.

Leia também: Marido da deputada Flordelis é executado dentro de casa em Niterói

“Com muito orgulho, anuncio que há pouco colhemos um dos frutos da nossa viagem aos Estados Unidos, ao sermos aceitos pelo presidente Donald Trump como aliado extra- Otan ”, disse Bolsonaro ao discursar em um evento militar na cidade gaúcha. “Possibilidade que permite nos equiparmos melhor e interagir mais com o mercado de defesa”, acrescentou

O presidente participou da Festa Nacional da Artilharia (Fenart), no 3º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado, que marca o aniversário do marechal Emílio Luiz Mallet.

Veja Também:  Bolsonaro posta mensagem de retratação a Maria do Rosário após decisão judicial

Em seu discurso, ele voltou a defender o armamento da população. “Nossa vida tem valor, mas tem algo muito mais valoroso do que a nossa vida, que é a nossa liberdade. Além das Forças Armadas, defendo o armamento individual para o nosso povo, para que tentações não passem na cabeça de governantes para assumir o poder de forma absoluta. Temos exemplo na América Latina. Não queremos repeti-lo. Confiando no povo, confiando nas Forças Armadas , esse mal cada vez mais se afasta de nós”, disse.

Bolsonaro afirmou ainda que é preciso mais que o Parlamento para implementar as medidas políticas. “Precisamos, mais que um Parlamento, do povo ao nosso lado para que possamos impor uma política que reflita paz e alegria para todos nós”.

Fonte: IG Política
Continue lendo

Política Nacional

Marido da deputada Flordelis é executado dentro de casa em Niterói

Publicado

deputada Flordeli
Reprodução

Marido da deputada Flordelis, Anderson do Carmo foi executado dentro de casa em Niterói

O marido da deputada federal Flordelis (PSD-RJ) foi assassinado a tiros dentro de casa, no final da noite deste sábado, em Pendotiba, em Niterói, Região Metropolitana do Rio. Segundo informações, o pastor Anderson Carmo foi executado com pelo menos 15 tiros minutos depois de chegarem na residência.,

Leia também: Levy pede demissão da presidência do BNDES após ameaças públicas de Bolsonaro

Segundo fontes da Polícia Civil, a parlamentar estava ao lado do marido no momento da execução. Ela ligada ao senador Arolde de Oliveira, do Partido Social Democrático (PSD) — foi a sexta deputada federal mais votada no estado do Rio de Janeiro e Anderson era o seu articulador político. Segundo pessoas ligadas à Flordelis , Anderson planejava lançá-la como candidata a prefeita de São Gonçalo, em 2020.

Em março de 2018, a parlamentar e o marido foram alvos de bandidos. À época, Anderson disse que “teve um livramento” na tentativa frustrada de assalto. Ainda segundo o pastor, “mesmo com tanta violência, eles não deixariam de acreditar na restauração das pessoas”.

Veja Também:  Bolsonaro deve enviar projeto de lei para extinguir conselhos mantidos pelo STF

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, lamentou a morte de Anderson nas redes sociais. “Uma pessoa ímpar, exemplo para tanta gente”, declarou a ministro, que também é pastora.

Leia também: “Cristãos em perigo”, diz Feliciano sobre criminalização da homofobia

Pais de 55 filhos, o casal se conheceu em dezembro de 1991, durante um trabalho de evangelismo feito pela cantora. Em abril de 1994, eles se casaram e eram dirigentes da Cidade do Fogo, em São Gonçalo. Flordelis e Anderson são fundadores da igreja Ministério Flordelis, no Galo Branco, também em São Gonçalo.

Fonte: IG Política
Continue lendo

Política Nacional

Joaquim Levy pede demissão do BNDES após ameaças públicas de Bolsonaro

Publicado

Joaquim Levy
Agência Brasil

Joaquim Levy, presidente do BNDES, é mais um a desembarcar do governo Bolsonaro

Após  ameaças públicas de demissão do presidente Jair Bolsonaro, o presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES), Joaquim Levy, pediu dispensa do cargo na manhã deste domingo (16). O economista escreveu uma carta para formalizar o pedido para deixar o governo. A informação é da jornalista Miriam Leitão.

“Solicitei ao ministro da Economia Paulo Guedes meu desligamento do BNDES. Minha expectativa é que ele aceda”, escreveu. Agradeço ao ministro o convite para servir ao País e desejo sucesso nas reformas”, continuou Joaquim Levy .

“Agradeço também, por oportuno, a lealdade, dedicação e determinação da minha diretoria. E, especialmente, agradeço aos inúmeros funcionários do BNDES, que têm colaborado com energia e seriedade para transformar o banco, possibilitando que ele responda plenamente aos novos desafios do financiamento do desenvolvimento, atendendo às muitas necessidades da nossa população e confirmando sua vocação e longa tradição de excelência e responsabilidade”, diz a carta do agora ex-presidente do BNDES.

Veja Também:  Marido da deputada Flordelis é executado dentro de casa em Niterói

Ainda na noite deste sábado (15), Marcos Barbosa Pinto, diretor de Mercado de Capitais do  BNDES havia pedido as contas. Pinto afirmou que decidiu deixar o cargo em virtude do “descontentamento manifestado” pelo presidente da República. Mais cedo Bolsonaro ameaçara demitir Levy da presidência do BNDES se ele não dispensasse o diretor. “Eu já estou por aqui com o Levy. Falei para ele: demita esse cara na segunda-feira ou eu demito você sem passar pelo Paulo Guedes”.

Na conversa com os jornalistas na tarde deste sábado, o presidente disse o que espera de membros de sua equipe. “Um governo tem de ser assim. Quando coloca gente suspeita em cargos importantes e essa pessoa, como o Levy, já vem há algum tempo não sendo leal àquilo que foi combinado e àquilo que ele conhece a meu respeito. Ele está com a cabeça a prêmio já tem algum tempo”.

O ministro da Economia Paulo Guedes   tentou contemporizar antes da notícia do pedido de demissão de Pinto. “Eu entendo a angústia do presidente. É algo natural ele se sentir agredido quando o presidente do BNDES coloca na diretoria do banco nomes ligados ao PT”. 

Veja Também:  Bolsonaro defende Moro após vazamentos: “legado contra corrupção não tem preço”

Leia também: Governo Bolsonaro já conta com 17 baixas no segundo escalão

Agora, Guedes, que foi o responsável pela indicação de Levy e da maior parte da equipe econômica, deve ser o responsável por apontar um substituto. Em uma semana agitada, marcada pelo desligamento do  ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, terceiro ministro a deixar o governo, a onda de exonerações segue. Até a última sexta-feira, de acordo com um levantamento do jornal O Globo,  17 membros do segundo escalão de Bolsonaro já haviam deixado os cargos.

Fonte: IG Política
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana