conecte-se conosco


Mato Grosso

Servidores da Sefaz são capacitados em auditoria contábil e fiscal

Publicado

Sessenta fiscais de tributos da Secretaria de Fazenda (Sefaz), participaram nesta semana de uma capacitação em auditoria contábil e fiscal do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), a fim de aprimorar as atividades inerentes ao fisco. As informações repassadas no treinamento serão aplicadas nas rotinas de monitoramento e fiscalização para a identificação de fraudes e crimes contra a ordem tributária.

De acordo com o superintendente de Fiscalização da Sefaz, José Carlos Bezerra, dentro das informações contábeis podem estar escondidas algumas condutas criminosas de sonegação e o processo de auditoria fiscal e contábil possibilita a recuperação desse débito tributário.

“Buscamos com essa capacitação outras técnicas de desenvolver a auditoria fiscal e contábil em que a gente foque na conduta que é fraude, que é crime contra a ordem tributária para recuperar justamente o imposto e encontrar os fraudadores. E para isso, a contabilidade pode ser uma grande aliada”.

José Carlos ressalta que esta é uma primeira etapa da implementação do processo de auditoria fiscal e contábil dentro das unidades sob responsabilidade da Superintendência de Fiscalização. Posteriormente, um grupo técnico especializado será formado para subsidiar as análises e tomadas de decisões. Essa é mais uma ferramenta e metodologia a ser utilizada pelo Fisco de Mato Grosso no combate às fraudes e crimes tributários.

Veja Também:  Ciretran de Terra Nova do Norte passa por revitalização

Com esse trabalho de auditoria dentro da fiscalização a pasta fazendária espera recuperar grande parte do imposto sonegado. “Temos cálculos estimados de fraude que giram em torno de R$ 1,3 bilhão por ano. É claro que a gente não recupera 100% disso, mas esperamos que resulte em recolhimento pelo menos metade desse valor dentro do trabalho de fiscalização, tendo em vista que algumas informações de eventos tributários, que deveriam ter seu recolhimento realizado e que não estão declarados nos registros fiscais, podem ser contatadas a partir das informações contábeis”, explica José Carlos.

Durante a capacitação, os servidores aprenderam os conceitos básicos em auditoria e os benefícios do uso dos roteiros de auditoria para fiscalização do ICMS. Dentre os facilitadores, estava o auditor fiscal da Secretaria de Economia do Estado de Goiás, Bruno Marçal, que apresentou aos fiscais a técnica em auditoria utilizado pela secretaria goiana, que desenvolve esse trabalho desde 2011.

“Essa é uma técnica antiga que ao longo dos anos foi deixada de lado pelos fiscos e que hoje, na busca de materializar outros crimes além dos crimes tributários, a exemplo do crime de lavagem de dinheiro, ela possibilita maior qualidade da prova e segurança jurídica dos autos de infração, decorrentes da auditoria”, afirma Bruno.

Veja Também:  Reeducandas de Tangará da Serra realizam curso de confeitaria

Para ele, a capacitação em auditoria contábil e fiscal é fundamental tendo em vista a evolução dos fiscos estaduais e também dos crimes tributários.

“Os Fiscos estaduais se desenvolveram muito nas questões dos documentos fiscais eletrônicos e com isso a fiscalização ficou mais eficiente. Então o contribuinte também já aprendeu como trabalhar para entregar informações eletrônicas que não despertem atenção do Fisco. E na auditoria contábil a gente une a informação fiscal com a financeira para pegar essas situações”.

Fonte: GOV MT
publicidade

Mato Grosso

Diretores de escolas relatam desafios do ensino especial

Publicado

Nesta terça-feira (12.11) é comemorado o Dia do Diretor Escolar. O sucesso da política de diversidade educacional não seria possível sem este profissional, que encara diversos desafios todos os dias. No caso dos gestores das escolas especializadas, os obstáculos podem ser ainda maiores, mas, nada que não possa ser resolvido.

Fátima Rosana Faria, da Escola Estadual Especial Livre Aprender de Cuiabá, leva em conta tanto o lado profissional como o lado humano para atender alunos com as mais diferentes deficiências.

A diretora explica que precisou conhecer aluno por aluno para entender melhor o desafio de ser gestora. A escola tem hoje 160 alunos especiais matriculados cuja idade vai de 7 a 41 anos com todo tipo de deficiência.

“Para atender a essa diversidade, você precisa trabalhar com profissionais que conhecem todas as deficiências em todos os níveis. O desafio é me colocar como parte dessa liderança de educação inclusiva. E tive que aprender muito também”, ressalta a diretora, que começou o desafio no ano passado..

Veja Também:  Detran-MT abre visitação aos 1.217 veículos do último leilão do ano

Ela assinala que todo pai, ao ver o filho nascer, deseja uma caminhada e a independência desse filho. “Esse desejo vem ainda no ventre da mãe e sofre uma mudança brusca, com um novo desafio é o acompanhamento por essa família. E o papel dessa família aqui na escola é integral”, explica.

Os alunos especiais são buscadas na prota de casa, com ônibus adaptados e com ar-condicionado. Na escola, cada um tem uma alimentação especial, com cardápio individualizado.

“A EEE Livre Aprender tem uma assessoria pedagógica especializada e uma Secretaria de Educação compromissada com a educação especial. O resultado é que hoje temos alunos alfabetizados e já solicitamos o segundo segmento para Educação de Jovens e Adultos (EJA) e assim vamos vencendo etapas por etapas”, comemora.   

Especial

Para a diretora há 12 anos do Centro Estadual de Atendimento e Apoio ao Deficiente Auditivo Professora Arlete Pereira Migueletti (Ceaada), Gláucia Inês Paes de Barros, o objetivo da gestora é realizar atendimento às perspectivas da comunidade escolar.

“É desafiador acompanhar o constante processo das inovações tecnológicas, que buscam facilitar o processo de ensino-aprendizagem. Buscamos sempre contornar essas dificuldades com criatividade e comprometimento de todos os nossos profissionais por mim dirigidos, em parceria com alunos e toda a comunidade, o que me faz sentir uma pessoa especial por fazer parte de uma equipe especial que trabalha com a Educação Especial”, ressalta.

Veja Também:  Condenado por estupro de vulnerável é localizado e preso pela Polícia Civil

A Escola tem 82 alunos matriculados na educação infantil, ensino fundamental e educação de jovens e adultos (EJA). Para estudar no Ceaada, é preciso ser surdo ou ter deficiência auditiva.

Expectativas

Em outra escola estadual especial, a Raio de Sol, os desafios não são diferentes. A diretora Leila Bacani Custódio Barbosa destaca que trabalha para promover uma educação de qualidade aos alunos especiais buscando atender às suas expectativas e seus responsáveis. “Tudo isso graças a uma administração pública, transparente e democrática. A ajuda dos pais é fundamental para termos um trabalho cada vez maior”, assegura.

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Mato Grosso

Gari é humilhada por estar maquiada enquanto varria as ruas

Publicado

Gari é humilhada por estar maquiada enquanto varria as ruas

Uma gari de Porto Velho, Rondônia, foi humilhada enquanto varria as ruas da cidade. Em depoimento em uma rede social, Paulina Carvalho, de 25 anos,  conta que sofreu “preconceito” por estar maquiada. De acordo com a moça, uma mulher parou o carro e questionou por que ela usava maquiagem, já que ficaria suja de qualquer forma, por estar limpando as ruas.

Paulina contou que estava trabalhando na rua à noite, quando um carro de luxo parou e uma mulher questionou a razão de ela estar arrumada. “A mulher me olhou de cima a baixo e falou “Nossa para que se emperequetar tanto assim? Você vai varrer o chão e vai estar com a cara cheia de poeira e não vai dar para ver nem pó no seu rosto’”, disse.

“Não é por trabalhar varrendo rua, lidando diretamente com lixo que deixaria de ser mulher”, disse Paulina. “Minha educação é humilde, vem de berço. Eu poderia tratá-la da mesma forma. Mas pela idade dela respeitei. A gente oferece o que tem, eu ofereci minha gentileza”, disse.

Veja Também:  Unidades do Ganha Tempo reforçam necessidade de realizar exame de próstata

A gari contou que na hora da agressão verbal ficou assustada, mas que respondeu a mulher. “Minha senhora, o fato de trabalhar de brincos, maquiada e bem cheirosa, não interfere na minha profissão. O importante é que estou de bem com a vida e não sou nenhuma mal resolvida que se incomoda com a vida alheia. Sou gari e com muito orgulho”, respondeu.

A postagem com a história acabou fazendo sucesso nas redes sociais e a gari recebeu várias mensagens de apoio. “Continue se arrumando, você é linda”, disse uma seguidora. “Tenha orgulho do seu trabalho. Girl Power”, declarou outra.

Continue lendo

Mato Grosso

Tradicional Festival da Jabuticaba começa nesta sexta (15) em Juscimeira

Publicado

A abertura da 32ª edição do Festival da Jabuticaba é nesta sexta-feira, 15 de novembro, a partir das 8 horas da manhã.  O evento segue até durar a safra dos quase mil pés da fruta. A entrada é R$ 10 (comer a vontade no pomar) e o balde ( 5 Kg) por R$ 20, para levar para casa.

Para este ano, os realizadores do tradicional evento prepararam muitas novidades e melhorias na infraestrutura do espaço para receber os visitantes dos quatro cantos de Mato Grosso e de outros estados.

Além das receitas tradicionais do bolo de jabuticaba, geléia, licor e almoço, neste ano tem outras novidades como: casca cristalizada, farinha de jabuticaba, vinagre, concentrado, picolé, sorvete, dentre outros.

O Sítio Colina Verde está localizado na estrada Cachoeira do Prata, distante 2 km do Centro de Juscimeira.

Veja Também:  Ciretran de Terra Nova do Norte passa por revitalização
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana