conecte-se conosco


Mulher

Tenho muita lubrificação e não sinto prazer; o que fazer? Delas responde

Publicado

source

A lubrificação vaginal é essencial para que a mulher sinta prazer durante o sexo, mas, assim como muitas questões relacionadas ao corpo feminino, isso não funciona da mesma forma para todas. No caso de uma leitora do Delas , por exemplo, o problema é ficar lubrificada em excesso – o que, segundo ela, acaba diminuindo a sensibilidade na hora da penetração.

Leia também: É normal “ficar seca” na hora de fazer sexo? Delas responde

fruta cortada ao meio dando alusão à vagina lubrificada arrow-options
shutterstock

Lubrificação vaginal é uma questão importante para o prazer da mulher, mas ficar ‘molhada’ demais nem sempre é bom

No relato enviado à nossa equipe, a leitora (cuja identidade não foi divulgada) diz: “Tenho muita lubrificação a ponto de me atrapalhar na hora do sexo. Eu não sinto prazer nenhum, o que eu posso fazer para diminuir a lubrificação ?”, questiona. 

Respondendo a pergunta,  Débora Pádua , sexóloga e fisioterapeuta pélvica, afirma que, antes de mais nada, isso não deve ser vista como um problema para as mulheres. “Quanto mais lubrificada a mulher está, menos dificuldade ela vai ter na penetração. Então, é muito bom que ela esteja excitada, lubrificada e sem sentir dor por causa desse ‘excesso’”, comenta.

A ginecologista e obstetra Patrícia Varella concorda: “Isso é um sinal de que o organismo está respondendo do ponto de vista químico e hormonal, quer dizer que o parceiro está dando prazer e eles adoram saber disso.”

Veja Também:  Criança decide não responder pergunta em lição de matemática e motivo surpreende

Então, por que incomoda? “Algumas mulheres acham ruim ficar ‘molhada’ demais, porque desliza muito e ela perde um pouco do contato com o pênis. Outras ficam com vergonha por causa desse excesso, mas ela apenas tem facilidade com as glândulas que a deixam lubrificada e a excitação acaba sendo um pouco mais fácil, consequentemente”, completa a sexóloga.

É possível diminuir a lubrificação natural?

Existem algumas dicas para aquelas que não se sentem confortáveis com a sensação “molhada” no dia a dia. Evitar calças muito apertadas, por exemplo, é uma delas, já que às vezes pode estimular o clitóris. Outra sugestão é usar mais de uma calcinha durante o dia, sempre trocando quando sentir incômodo.

“É sempre melhor usar calcinhas de algodão e até dormir sem calcinha. Se for preciso, tome dois banhos por dia. Caso a umidade traga desconfortos, como coceira, vermelhidão, odor forte e diferente do habitual, a dica é procurar um ginecologista”, indica Patrícia. 

Consultar um especialista também pode ajudar a saber se há alguma desregulação hormonal, já que medicações, como o anticoncepcional, podem alterar a produção de lubrificação.

Leia também: 11 coisas que você precisa saber sobre lubrificação feminina

Veja Também:  6 famosas que assumiram os cabelos brancos para você se inspirar

E na hora do sexo?

“Se a mulher não tiver sentindo o atrito do pênis na vagina , ela pode fazer um pouquinho mais de contração e não deslizar demais o pênis, isso já ajuda. Curta a relação sem ficar preocupada com o que o parceiro está pensando sobre a sua lubrificação, apenas deixe seu corpo responder pelo prazer que você está recebendo”, recomenda Débora.

“Se de fato estiver atrapalhando, use uma toalhinha limpa e seque a região externa na entrada da vagina”, diz a ginecologista. Porém, ela afirma que a melhor coisa é usar isso à seu favor, já que os homens gostam de saber que estão agradando as parceiras. “Você pode até pedir um oral se estiver muito molhada, para que ele saiba disso.” 

Ambas reforçam que é essencial conhecer o próprio corpo para saber o que pode te deixar mais “molhada” e a sexóloga dá um último lembrete para perder a “nóia” sobre o tema: “Lembre-se que não existe uma regra do quanto lubrificada você tem que ficar durante o sexo, o importante é se sentir bem”, finaliza. 

Leia também: Como usar lubrificante? Veja diferentes tipos e dicas de especialista

Tem alguma dúvida que envolva sexo, sexualidade ou até mesmo posições sexuais? Faça como a leitora que nos mandou a questão sobre   lubrificação e entre em contato conosco pelo email sexo@igcorp.com.br . Nós traremos uma especialista para respondê-la com sigilo total!

Fonte: IG Delas
publicidade

Mulher

Bebê nasce em bolsa amniótica em parto impressionante na China

Publicado

source

Um bebê na China impressionou médicos e a nova mamãe ao nascer ainda envolto pela bolsa amniótica . Conhecida como “parto empelicado”, a ocorrência de maneira natural é muito rara, mas não oferece riscos altos para o bebê ou para a mãe. 

Leia mais: Três bebês nascem empelicados e fotos impressionam

bebê em bolsa amniótica arrow-options
Reproduçao/DailyMail

Parto empelicado é o nome dado ao nascimento do bebê ainda dentro da bolsa amniótica

De acordo com o médico obstetra que realizou o parto, o bebê veio ao mundo “ainda flutuando tranquilamente” em seu líquido amniótico , e lá permaneceu por cerca de dois minutos até que os médicos fizessem o corte que o tirou da bolsa

Como o bebê ainda “se sentia” na barriga da mãe e continuou envolto em líquido amniótico, o sistema respiratório não apresentou sinais de asfixia. Após o rompimento, ele finalmente conseguiu dar o primeiro choro. 

O menino apelidado de “bebê bolha” nasceu após 36 semanas e 2,5kg – peso considerado saudável – na província de Fujian, na China. A mãe, de 36 anos, engravidou após uma fertilização in vitro bem sucedida. 

Veja Também:  Enfermeiras buscam lar para bebê que nasceu sem olhos na Rússia

A escolha pelo  parto empelicado veio dos médicos, que optaram pela operação incomum após identificarem que o bebê estava mal posicionado para o parto, além de apresentar complicações com o cordão umbilical. 

Ao portal Daily Mail , os médicos também explicaram que o procedimento é uma opção mais segura em casos de partos prematuros , nos quais os bebês nascem antes de completar as 38 semanas de gestação. O parto empelicado também é recomendado em alguns casos em que a mãe é HIV positivo, pois reduz o contato do sangue com o bebê.

 “No caso de a operação dar errado e a bolsa amniótica ser rompida, nós ainda poderíamos tentar a cesariana convencional, o que nos oferece uma opção a mais”, disse o representante da equipe médica do hospital de Fujian. 

Confira fotos de outros casos:


Fonte: IG Delas
Continue lendo

Mulher

Bebê nasce com quase 6 kg na Austrália: “Uma mini lutadora de sumô”

Publicado

source

O casal australiano Emma e Daniel Millar teve uma surpresa quando viu a filha deles, Remi, pela primeira vez. Isso porque o bebê nasceu com 5,88 kg na 38ª semana de gravidez, ou seja, sem ter completado as 40 semanas de getação. A menina foi considerada “grande” pelos médicos, pois o peso médio dos recém-nascidos na Austrália é 3,3 kg.

Leia também: Bebê nasce com 6,27 kg em Sergipe e é considerado “gigante” pelo médico

Remi nasceu com 5%2C8 kg arrow-options
Reprodução/Today

Remi nasceu com 5,88 kg e foi considerada ‘grande’ por pesar quase o dobro da média dos recém-nascidos na Austrália

Em entrevista ao Illawarra Mercury , Emma disse que não esperava que a filha fosse tão grande. “Ela é como uma mini lutadora de sumô. Eu sabia que teria um bebê grande por causa da diabete gestacional, mas não assim. Com 35 semanas de gravidez, vimos no ultrassom que ela estava com quase 4kg, mas não achávamos que ela fosse crescer muito mais.”

O casal tem outros dois filhos, Willow, de dois anos, e Ace, de quatro anos, que também foram recém-nascidos com peso acima da média, 5,5kg e 3,8kg, respectivamente.

Veja Também:  Tome nota

Leia também: Mãe dá à luz bebê grande de 6,8 kg nos Estados Unidos e bate recorde

Remi deitada no colo da mãe arrow-options
Reprodução/Today

Os pais tiveram que comprar novas roupas para o bebê, pois as que ganharam antes do nascimento são pequenas

Segundo o pai, as pessoas ficaram chocados com o tamanho de Remi no hospital. “Quando eu fui apresentá-la para as pessoas — obstetrizes, familiares e visitantes —, todos me perguntaram o tamanho dela, porque é muito maior do que os outros bebês”, diz. 

Emma também comenta que, como o parto aconteceu antes das 40 semanas, foi preciso fazer uma cesárea de emergência e que “não aguentaria” um parto normal. Em fase de recuperação, ela foi recomendada a não pegar nada que pese mais do que o bebê até os pontos cicatrizarem. 

Leia também: Bebê gigante nasce com mais de 6 kg e usa roupas de criança de 9 meses

Os pais também precisaram comprar novas roupas para a menina, já que as peças que haviam ganhado antes do nascimento são pequenas demais para ela. 

Veja Também:  Criança decide não responder pergunta em lição de matemática e motivo surpreende

Fonte: IG Delas
Continue lendo

Mulher

Mulher adepta do poliamor que vive relação a três afirma: “Não é apenas sexual”

Publicado

source

O técnico Cody Kurkowski, de 28 anos, e a professora de dança Kayla, de 27, são namorados desde o Ensino Médio e possuem três filhos. Em 2016, Kayla começou a conversar pelo Facebook com Katherine Zepernick, de 27, e logo de imediato sentiu uma conexão entre elas. Em pouco tempo, os três se tornariam adeptos do poliamor.

Leia também: Tatuadora vive poliamor e prova que é possível reatar com ex-namorado

poliamor arrow-options
Reprodução/Instagram/thektribe_

Eles são adeptos do poliamor e mostram que é possível viver um relacionamento a três; juntos, cuidam de três crianças

Depois do primeiro contato entre as mulheres, elas marcaram um encontro em um café e convidaram Kurkowski para participar. Os três se deram bem e, no ano seguinte, se tornaram oficialmente praticantes do poliamor . Katherine se mudou para a casa do casal e todos se tornaram uma só família. 

Naquela época, Kayla deu à luz seu terceiro filho, o primeiro que chegou já com a relação do trisal . As outras crianças, na qual a mais velha tem cinco anos, sabem sobre a natureza de seu relacionamento. Cody, Kayla e Katherine, que planejam se casar em 2022, também querem mais filhos. 

Veja Também:  Tchau, flacidez! 4 exercícios físicos para tonificar os braços após os 50 anos

“Tivemos muitos aprendizados no caminho, como qualquer relacionamento, mas sempre fazemos o possível para fazer a nossa família funcionar”, diz Katherine, de acordo com o metro.co.uk . “Foi amor à primeira vista para todos nós. Havia um sentimento que sabíamos que significava que tinha algo de especial”, destaca.

Leia também: “Não há nada de errado nisso”, diz mulher que vive relação com mais duas pessoas

“Para nós, o poliamor oferece a capacidade de construir a estrutura de relacionamento que realmente funciona para você. Uma formação de tríade é o que está funcionando para nós agora. Não temos planos de mudar isso no futuro, mas também não somos contra a expansão de nossa tribo no futuro. Mas estamos felizes como estamos agora”, continua.

poliamor arrow-options
Reprodução/Instagram/thektribe_

“Foi amor à primeira vista”, diz Katherine, que ainda declara que sabia que havia um sentimento especial entre eles

Em janeiro de 2019, Cody e Kayla propuseram oficial Katherine, com velas, flores e balões, em um gesto romântico e especial, para deixá-la surpresa quando chegasse em casa do trabalho. Antes da proposta, o casal escreveu uma carta conjunta aos pais de Katherine detalhando seus planos de receber suas bênçãos. 

Veja Também:  Tome nota

“Nós três fazemos o possível para sermos abertos e honestos, demonstrando que nenhum relacionamento é perfeito, mas com bastante trabalho e dedicação, fazemos com que durasse”, pontua Katherine. Sobre ciúmes, ela diz que é preciso lidar com isso e comunicar os parceiros sobre esse sentimento para não fazer acusações. 

Trisal recebe críticas

poliamor arrow-options
Reprodução/Instagram/thektribe_

Trisal passou a expor o relacionamento nas redes sociais e, por conta disso, passaram a receber diversas críticas de usuários

Desde que passaram a divulgar o relacionamento nas redes sociais, os três recebem diversas críticas. “Sabemos que o poliamor não é para todos, mas achamos que mais pessoas devem saber que é uma opção se você achar que é certo para você”, explica Katherine. “Não é apenas uma coisa sexual. Essa é uma das primeiras perguntas que recebemos”, continua. 

Leia também: Família de 3 pais e 2 filhos diz que viver como “trisal” fortalece relação

Ela ainda ainda diz que recebe muitos olhares confusos de pessoas estranhas. “Nós só queremos que as pessoas saibam que o poliamor não é uma ameaça à monogamia”, diz. “Somos todos feministas e estamos criando nossos filhos para serem pessoas inclusivas e abertas e estamos muito orgulhosos disso”, finaliza.

Fonte: IG Delas
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana