conecte-se conosco


Agro News

TRIGO/CEPEA: Custo de trigo importado cai, mas ainda supera preço interno

Publicado

Cepea, 13/08/2019 – As cotações mais baixas do trigo na Argentina e a desvalorização do dólar frente ao Real em julho resultaram em novas oportunidades de fixação de preços para os moinhos nacionais, que, tradicionalmente, dependem das importações. As aquisições do trigo no mercado externo seguem crescentes e os volumes que chegaram aos portos brasileiros em julho foram realizados nos menores preços dos últimos cinco meses. Mesmo assim, levantamento do Cepea aponta que o valor do produto importado ainda ficou acima do registrado no mercado disponível brasileiro. Em dólar, o preço médio do importado foi de US$ 228,93/tonelada e, em moeda nacional de R$ 865,36/t (FOB, Free on Board origem), considerando-se o câmbio a R$ 3,78 em julho. Ao adicionar os custos logísticos e despesas portuárias, a média do trigo importado supera a nacional, fator de sustentação aos preços internos. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA
Veja Também:  MILHO/CEPEA: Preços seguem em alta, mas intensidade varia dentre regiões
publicidade

Agro News

Projeto leva crianças para conhecer dia a dia na fazenda

Publicado

Fortalecimento Institucional

Projeto leva crianças para conhecer dia a dia na fazenda

Estudantes das escolas municipais Alcides Visione e Boa Vista, localizadas em Paranatinga

10/12/2019

Para ensinar como são produzidos os alimentos e mostrar o dia a dia dos produtores rurais, cerca de 200 crianças de Paranatinga participaram da primeira edição do projeto “Futuro em Campo”, realizada nos dias 05 e 06 de dezembro, pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT). Os pequenos, com idades entre 06 e 14 anos, visitaram a Fazenda Jatobá e conheceram um pouco de cada processo de plantio de soja e criação de bovinos.

Nos dois dias, a programação contou com a participação de estudantes das escolas municipais Alcides Visione e Boa Vista, esta segunda localizada no Distrito de Santiago do Norte.

Os alunos das escolas públicas passaram por estações de conhecimento. Primeiro os pequenos entenderam sobre o plantio de soja, desde a semeadura até a colheita. Conheceram a semente, a planta, os cuidados, e visitaram a lavoura da Fazenda Jatobá. Eles também aprenderam que a soja está presente em diversos alimentos e produtos como óleos, chocolate, suplementos alimentares e até itens de higiene pessoal.

“Gostei muito de participar, de aprender muitas coisas. Eu não sabia que tinha soja no chocolate, agora já sei e vou contar para os meus pais quando eu chegar em casa”, disse Gabriela Vitória, aluna do 9º ano da escola Alcides Visone.

Depois os pequenos adquiriram conhecimento sobre a criação de bovinos, com todas suas etapas. Visitaram os animais, aprenderam sobre alimentação, cuidados com a saúde e abate. “Eu vim aprender muita coisa, não sabia como os gados se alimentavam, não sabia como plantava a soja. Vou falar pra minha casa, ensinar minha mãe e outras pessoas de fora”, contou a estudante Analice Brandit 5º ano.

Veja Também:  SOJA/CEPEA: Melhora do clima beneficia lavouras e preços recuam

Para diretora da escola Alcides Visione, Manoela Pacheco, o projeto é uma oportunidade de aprendizado unido a pratica. Além disso, ela explica que o conhecimento adquirido pelos alunos pode despertar o desejo de serem profissionais que atuam no agronegócio brasileiro.  “Nos sentimos lisonjeados em participar. Mesmo sendo uma escola do campo não conseguimos ensinar tantas coisas sobre o campo na sala de aula. Eles podendo visitar, conhecer e aprender em um local diferente nos ajuda a plantar uma semente, despertar eles para serem profissionais no mercado de trabalho que poderão atuar no agronegócio. Acredito que saíram com uma bagagem cheia e com certeza muito felizes”, disse.

A delegada do núcleo agregado de Paranatinga e uma das proprietárias da fazenda Jatobá, Daila Dellai, disse que se sentiu feliz em iniciar o projeto na propriedade dela.  “Eles puderam aprender como produzir o alimento, como ele chega nas mesas, que vai para o mundo. Conseguimos trazer duas escolas e ensinar essas crianças que passaram em diversos setores da fazenda. Alcançamos o objetivo de plantar uma sementinha na vida deles, para que propaguem o que aprenderam para os pais, os coleguinhas, familiares”, comemorou a delegada.

A delegada coordenadora do núcleo de Primavera do Leste, Rosana Galbieri Leal, parabenizou e elogiou a iniciativa da Aprosoja Mato Grosso. “Parabéns aos proprietários da Fazenda Jatobá e a Aprosoja por esse projeto que é lindo. Momento em que a Aprosoja vem até as propriedades com as crianças, mostrar o dia a dia do produtor que alimenta esse país, além de ensinar que o alimento que está na mesa deles vem do campo”, enfatizou.

Veja Também:  Estradeiro celebra avanços em rotas de escoamento agrícola

Presidente da entidade, Antonio Galvan, contou que em 2020 o projeto será ainda mais fortalecido e percorrerá diversos núcleos da Aprosoja Mato Grosso. “Esse projeto é importante, tanto na propriedade, quanto nas feiras como o que houve em Tangara da Serra. Podemos dizer que é um projeto de sucesso da Aprosoja que liga a vida urbana com a rural. E principalmente ensinar de onde sai os alimentos. Com certeza vamos tocar, com apoio dos nossos delegados e apoio dos sindicatos rurais dos municípios”, pontuou Galvan.

O projeto – “Futuro em Campo” nasceu da iniciativa do núcleo de Tangará da Serra, que levou aproximadamente 240 alunos de escolas públicas e privadas do município para conhecer o agro durante a Exposerra de 2019. Os estudantes passavam por estações de conhecimento e viram todo processo do plantio de soja e milho. “Foi um projeto que nasceu lá, agora foi para Paranatinga e a Aprosoja deu total apoio, em 2020 vai ganhar mais corpo, será um projeto da entidade que irá passar por mais núcleos”, finalizou Galvan.

 

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Fonte: APROSOJA
Continue lendo

Agro News

ETANOL/CEPEA: Em alta há 3 meses, preço do hidratado supera os R$ 2,00/l

Publicado

Cepea, 10/12/2019 – Mesmo diante da demanda um pouco desaquecida, os preços dos etanóis hidratado e anidro seguem em alta em São Paulo neste início de dezembro. O movimento de aumento nos valores tem sido verificado há três meses, o que, inclusive, levou o etanol a ser fechado acima de R$ 2,00/litro na semana passada. Entre 2 e 6 de dezembro, o Indicador CEPEA/ESALQ do etanol hidratado (preço ao produtor) fechou a R$ 2,0097/litro (sem ICMS e sem PIS/Cofins), alta de 2,48% em relação ao da semana anterior. Quanto ao anidro, o Indicador CEPEA/ESALQ foi de R$ 2,1721/litro (sem PIS/Cofins), aumento de 1,17% no mesmo período. Segundo colaboradores do Cepea, distribuidoras seguiram retirando o produto comprado anteriormente. Do lado vendedor, houve participação menos efetiva de algumas usinas nos últimos dias. Parte dos agentes acredita que um maior número de compradores volte ao mercado nos próximos dias, devido à proximidade do Natal e do Ano Novo. O Indicador diário ESALQ/BM&Bovespa do etanol hidratado (posto Paulínia) também está em alta há três meses. As médias mensais foram de R$ 1.786,50/m3 em setembro, de R$ 1.874,00/m3 em outubro e de R$ 1.976,00/m3 novembro (sem impostos). Entre 2 e 6 de dezembro, especificamente, o Indicador teve média de R$ 2.075,50/m3 (sem impostos), avanço de 1,6% no comparativo com a da semana anterior. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Veja Também:  SOJA/CEPEA: Melhora do clima beneficia lavouras e preços recuam

 

Fonte: CEPEA
Continue lendo

Agro News

IPPA/CEPEA: Boi gordo impulsiona IPPA/Cepea em novembro

Publicado

Cepea, 10/11/2019 – Em novembro, o IPPA/Cepea (Índice de Preços ao Produtor de Grupos de Produtos Agropecuários) subiu expressivos 5,4% frente ao mês anterior, em termos reais. Trata-se da maior variação mensal desde março de 2018. O Índice foi impulsionado pelo IPPA-Pecuária/Cepea, que teve significativa alta 9,6% de outubro para novembro, e também pelo IPPA-Grãos/Cepea, que aumentou 2,6%. Novamente em movimento contrário, o IPPA-Hortifrutícolas/Cepea recuou 0,6% no período. Segundo pesquisadores do Cepea, o produto que impulsionou o Índice de pecuária entre outubro e novembro foi o boi gordo. Neste caso, vale lembrar que o Indicador do boi gordo ESALQ/B3 (arroba no mercado paulista) atingiu em novembro recorde real da série histórica do Cepea, iniciada em 1994. Para o IPPA-Grãos/Cepea, a alta no mês se deve à soja e ao milho. Já o produto que pressionou o Índice dos hortifrutícolas foi a banana, ao passo que as valorizações da uva e do tomate limitaram a queda o Índice. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA
Veja Também:  FRANGO/CEPEA: Exportação para a China bate recorde
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana