conecte-se conosco


Carros

Volkswagen Tiguan R-Line chega com preparação Oettinger de 280 cv

Publicado

Oettinger arrow-options
Divulgação
Volkswagen Tiguan oettinger alia mais potência à tração integral, prometendo uma aceleração bruta

O Volkswagen Tiguan, na versão de topo R-Line, acaba de receber oferta de upgrade para aprimorar a esportividade. A Strasse, responsável pela preparação Oettinger, cobra R$ 13.900 para elevar a potência de 220 cv para 280 cv no motor 2.0 turbo, com torque que se eleva dos 35,6 kgfm originais para os 41,8 kgfm. Há ainda um pacote de rodas, de 19 ou 20 polegadas, com pneus de 255 mm, que custam R$ 29.900. O kit também pode ser aplicado em um carro que o cliente já tenha.

LEIA MAIS: Audi tem modelos customizados pela preparadora alemã Oettinger no Brasil

Oettinger arrow-options
Divulgação
Tal como o Passat e a Amarok (como verá a seguir), traz visual discreto, de modo a conservar a discrição

Segundo a marca, com a preparação Oettinger , o SUV acelera de 0 a 100 km/h em 6,5 segundos e a velocidade máxima fica em 228 km/h. Base para a modificação, o Volkswagen Tiguan R-Line custa R$ 187.990 e, além do motor turbo, vem com câmbio automatizado de sete marchas e dupla embreagem. De série, tem sete lugares, faróis de LED, controle de velocidade adaptativo, frenagem de emergência, seis air bags, ar-condicionado de três zonas, câmera de ré, entre outros.

Veja Também:  Mercedes de R$ 1,7 milhão tem 5 unidades vendidas no Brasil

Os outros VW Oettinger oferecidos

VW Passat arrow-options
Divulgação
O VW Passat Oettinger da Strasse é preparado na maldade, com 300 cv, e desempenho digno de esportivo

O Passat é o mais luxuoso a receber o pacote. Por R$ 13.900, inclui a modificação dos parâmetros do motor — com aumento da pressão do turbo — e alterações no gerenciamento eletrônico do câmbio. As modificações permitem aumentar a potência dos originais 220 cv para 300 cv, permitindo ao sedã acelerar de 0-100 km/h em 6,3 segundos e atingir os 256 km/h de velocidade máxima.

LEIA MAIS: Audi RS7 Performance: Aceleramos o supercarro do Neymar

VW Amarok arrow-options
Divulgação
Volkswagen Amarok V6 Oettinger: Mesmo que também ofereça discrição no visual, tem exclusividade de sobra

Na picape Amarok, o cliente pode optar pelo pacote 1 (R$ 19.900) ou o 2 (R$ 24.900). Neste, além de mais acessórios e componentes de alto desempenho, desenvolve 310 cv e 66,2 kgfm. Segundo a preparadora, chega aos 100 km/h em 7,7 segundos e à velocidade máxima de 197 km/h, limitada eletronicamente. Isso representa um aumento de 85 cv, 10,1 kgfm e diminuição de 0,3 segundo no 0 a 100 km/h. Enquanto isso, a opção mais branda entrega 280 cv e 61,1 kgfm.

Veja Também:  Jeep Compass fica mais completo e caro na linha 2020

LEIA MAIS: Veja 5 motivos para comprar a Volkswagen Amarok V6 e não Hilux SRX

VW Golf GTI arrow-options
Divulgação
Volkswagen Golf GTI Oettinger: A jóia da coroa entre os amantes de VWs esportivos

Por último, o hatch esportivo VW Golf GTI . Ele fica com visual ainda mais agressivo e com o motor mais forte. Além disso, recebe defletores de ar dianteiros, laterais e um novo spoiler traseiro. Há também sistema de escapamento com quatro saídas e rodas exclusivas de 19 polegadas, com preços a serem consultados pelo cliente. A preparação do motor, apenas, sai R$ 9.900, com potência que sai dos 230 cv — similar à do Volkswagen Tiguan — e chega aos 300 cv. O torque máximo, por sua vez, passa de 36 kgfm para 46,5 kgfm.

Fonte: IG Carros
publicidade

Carros

Mercedes de R$ 1,7 milhão tem 5 unidades vendidas no Brasil

Publicado


Mercedes AMG GTR Pro arrow-options
Divulgação
Mercedes-Benz AMG GTR Pro tem itens exclusivos baseados nos carros de corrida da marca alemã sediada em Stuttgart

A restrita lista dos supercarros mais caros do Brasil recebe mais um integrante: o Mercedes AMG GTR Pro, que tem 5 unidades vendidas o País, cada uma pelo equivalente a R$ 1,7 milhão. Ao todo, apenas 750 serão fabricadas. O modelo tem produção limitada e é considerado o mais rápido feito pela marca alemã com itens e acertos exclusivos para se aproximar dos carros de corrida.

LEIA MAIS: Veja quais são os 5 carros mais caros do Brasil hoje em dia

Estamos falando de um superesportivo com motor V8 4.0 biturbo, de 577 cv e 71,3 kgfm de torque, números para acelerar de 0 a 100 km/h em 3,5 segundos, diz a fabricante. Para conter todo esse ímpeto esportivo, o Mercedes AMG GTR Pro vem com freios de fibra de cerâmica que ficam parcialmente à mostra atrás das enormes rodas de aro 20.

Além disso, tanto a parte estrutural quando a aerodinâmica receberam mudancas em relação do AMG GTR convencional. Há defletores de ar e aerofólio de carbono, além de difusores na traseira para ajudar a manter o supercarro o mais grudado no chão possível. Para melhorar o arrefecimento do motor e dos freios, foram adotadas novas entradas de ar.

Muda também a suspensão, com ajustes manuais tanto das molas quanto dos amortecedores, seguindo o acerto adotado no AMG GT4 de competição. Para completar, instalaram novas barras estabilizadoras e vetorização de torque por frenagem, o que ajuda a tornar o carro ainda mais equilibrado nas curvas.

Veja Também:  Jeep Compass fica mais completo e caro na linha 2020

 LEIA MAIS: Aceleramos na pista o superesportivo Mercedes-AMG GT R de R$ 1,2 milhão

 Como não poderia deixar de ser em um superesportivo que deverá ser usado tanto nas ruas quanto nas pistas,  ao volante do Mercedes AMG GTR Pro é possível escolher por quatro modos de condução: básico, avançado pro e mestre, com variações em diversos ajustes, inclusive na atuação dos controles eletrônicos de estabilidade e tração.

Fonte: IG Carros
Continue lendo

Carros

Jeep Compass fica mais completo e caro na linha 2020

Publicado

Motor Show

Jeep Compass vinho arrow-options
Divulgação
Jeep Compass na versão S ficará R$ 8 mil mais caro e chegará nos R$ 195.990 como preço sugerido

Os novos equipamentos do série são a principal novidade da linha 2020 do Jeep Compass. É o que apontam materiais internos do fabricante a que a MOTOR SHOW teve acesso.

LEIA MAIS:  Por que o Jeep Compass é um dos carros mais desejados do Brasil?

O material não fala em mudanças mecânicas ou estéticas para o Jeep Compass, que segue disponível em cinco versões (Sport, Longitude, Limited, Trailhawk e S) e com os motores 2.0 flex de 166 cv (com câmbio automático de seis marchas e tração 4×2) e 2.0 turbodiesel de 170 cv (com câmbio automático de nove marchas e tração 4×4).

Segundo o material, aparentemente voltado para a área de vendas, a versão Sport Flex (R$ 116.990) terá a adição de chave presencial, acendimento automático dos faróis e sensor de chuva. As configurações Longitude Flex (R$ 132.990) e Diesel (R$ 161.990) ganhará o retrovisor eletrocrômico além dos sensores de chuva e crepuscular. E a oferta do Park Assist no pacote Premium de opcionais do SUV médio .

Veja Também:  Argo e Cronos levam três estrelas em teste de colisão. Assista ao vídeo

LEIA MAIS: Jeep Compass x Kia Sportage: acompanhe essa briga boa de titãs

Nas Limited Flex (R$ 149.990) e Diesel (R$ 181.990), o SUV compacto passará a sair de fábrica com o banco do motorista com ajuste elétrico. Mesmo item que será de série também na configuração Trailhawk (R$ 181.990). Já a versão de topo S (R$ 195.990) agora terá teto solar panorâmico.

Em relação aos preços, o reajuste da maior parte das versões do Jeep Compass será de R$ 5 mil. Com exceção das configurações Sport Flex e Limited Flex e da topo de linha S.

Confira os preços do Compass 2020 e os reajustes em relação à linha 2019:
Sport Flex: R$ 116.990 (R$ 3 mil)
Longitude Flex: R$ 132.990 (R$ 5 mil)
Longitude Diesel: R$ 161.990 (R$ 5 mil)
Limited Flex: R$ 149.990 (R$ 3 mil)
Limited Diesel: R$ 181.990 (R$ 5 mil)
Trailhawk: R$ 181.990 (R$ 5 mil)
S: R$195.990 (R$ 8 mil)

Fonte: IG Carros
Continue lendo

Carros

Toyota anuncia que fará veículo de seis rodas para ser enviado à Lua

Publicado

veículo Toyota na Lua arrow-options
Divulgação
Modelo de seis rodas da Toyota terá cabine pressurizada para ajudar nas missões dos astronautas a bordo

A Toyota anuncia que vai começar o desenvolvimento de um veículo de seis rodas para ser levado à Lua. Ainda conforme a marca japonesa, a fabricação dos primeiros componentes da versão conceitual vai começar no ano que vem para que os testes se iniciem a partir de 2021.

LEIA MAIS: Toyota mostra protótipo, no Salão de Tóquio, que valoriza ocupantes

Conforme as primeiras informações, o modelo lunar terá 6 metros de comprimento por 5,2 m de largura e 3,8 de altura. E será movido por células a combustível que usarão energia solar para ter as baterias recarregadas com ajuda de um painel removível, tudo para a missão do veículo na Lua.

Espera-se que os astranautas que estiverem a bordo do veículo da Toyota consigam operá-lo por seis semanas e que rodem cerca de 1.000 quilômetros. A cabine será pressurizada, o que vai ajudar nos trajes usados durante a operação.

Veículo Toyota na Lua arrow-options
Divulgação
Painel solar removível ajudará a recarregar as baterias das células a combustível do modelo da Toyota


Mais detalhes sobre o modelo da Toyota que será enviado até a Lua podem ser acessados pelo vídeo abaixo. A ideia é explorar áreas polares do solo lunar , o que inclui informações sobre a existência de água congelada no local. O novo veículo também deverá contribuir com o projeto de novos métodos de transporte para cobrir a superfície de outros planetas.

Veja Também:  Os carros mais vendidos de cada marca no 1º semestre

LEIA MAIS: Toyota apresenta híbrido conceitual que mistura jeitos de SUVs e vans



Fonte: IG Carros
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana