conecte-se conosco


Agro News

ALGODÃO/CEPEA: Indicador sobe mais de 13% na parcial do mês e renova máxima nominal

Publicado


Cepea, 13/01/2021 – As valorizações do dólar e dos contratos futuros na Bolsa de Nova York (ICE Futures) neste início de ano têm impulsionado as cotações do algodão em pluma no mercado brasileiro. Segundo pesquisadores do Cepea, esse cenário favorece a paridade de exportação. Nessa terça-feira, 12, o Indicador do algodão em pluma CEPEA/ESALQ, com pagamento em 8 dias, fechou a R$ 4,3137/lp, o maior, em termos nominais, de toda a série história desse produto, iniciada em julho de 1996. Na parcial deste mês (até o dia 12), o avanço do Indicador é de expressivos 13,24%. Fonte: www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA

Veja Também:  TRIGO/CEPEA: Valores internos seguem avançando, mas liquidez ainda é baixa
publicidade

Agro News

IPPA/CEPEA: Após 10 meses sucessivos de alta, IPPA/Cepea cai em dezembro

Publicado


Cepea, 20/01/2021 – Depois de avançar por 10 meses consecutivos, o IPPA/CEPEA (Índice de Preços ao Produtor de Grupos de Produtos Agropecuários) registrou queda em dezembro, de 5,8%, em termos nominais, frente a novembro. O resultado do índice geral reflete as variações negativas observadas nos índices IPPA-Grãos, de 9,5%, e do IPPA-Pecuária, de 4,9%. Por outro lado, o IPPA-Hortifrutícolas subiu 10,4% de novembro para dezembro e o IPPA-Cana-Café, 2,4%. Entre os grãos, todos os itens que compõem o índice registraram queda, com destaque para o importante recuo observado no preço da soja. Na pecuária, por sua vez, o resultado do índice foi conduzido pelas desvalorizações dos suínos e dos bovinos. Já dentre os hortifrutícolas, as altas registradas para a banana e, de forma mais sutil, para laranja, garantiram o avanço observado para o índice, apesar das baixas nos preços do tomate e da uva. Por fim, as elevações observadas para a cana-de-açúcar e para o café explicam o desempenho do índice composto por esses produtos. Na mesma comparação, o IPA-OG-DI Produtos Industriais, calculado e divulgado pela FGV, teve alta de 3% – assim, de novembro para dezembro, os preços agropecuários se desvalorizaram frente aos industriais da economia. É importante destacar que, mesmo com as quedas dos grãos e da pecuária registradas em dezembro, o IPPA teve alta importante frente aos preços industriais em 2020, que foi de 19%. Para o IPPA-Grãos e para o IPPA-Pecuária, os aumentos relativos foram de expressivos 29,7% e 15,5%, respectivamente. O IPPA-Cana-Café subiu 2,6% frente aos preços industriais no acumulado do ano. O IPPA-Hortifrutícolas foi o único que recuou no ano passado, 0,6% frente ao IPA-OG-DI- Produtos Industriais. Fonte: www.cepea.esalq.usp.br 

Veja Também:  CENOURA/CEPEA: Colheita ganha força, e preços podem cair ainda mais até o fim do mês
Fonte: CEPEA

Continue lendo

Agro News

CAFÉ/CEPEA: Arábica avança 7,2% na parcial de janeiro

Publicado


Cepea, 20/01/2021 – Dados levantados pelo Cepea mostram que os preços do café arábica seguem em forte alta no Brasil. Na parcial deste mês (de 30 de dezembro de 2020 a 19 de janeiro), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, posto na capital paulista, avançou 43,85 Reais por saca de 60 kg (ou +7,2%). Na sexta-feira, 15, especificamente, o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 renovou o recorde nominal da séria do Cepea (iniciada em 1996), quando fechou a R$ 651,99/sc. Segundo pesquisadores do Cepea, o impulso vem da alta externa e, sobretudo, da retração de vendedores no spot nacional. Neste caso, ressalta-se que a maior parte dos produtores segue afastada do mercado, tendo em vista o elevado percentual de café já comercializado anteriormente e a expectativa de quebra de produção na safra 2021/22. Fonte: www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA

Veja Também:  ETANOL/CEPEA: Preços do hidratado continuam firmes em SP
Continue lendo

Agro News

CENOURA/CEPEA: Colheita ganha força, e preços podem cair ainda mais até o fim do mês

Publicado


Cepea, 20/1/2021 – As cotações das cenouras estão em queda em quase todo o Brasil neste mês de janeiro, exceto nos estados do Sul. Segundo colaboradores do Hortifruti/Cepea, o mercado começou a dar sinais de baixa já na segunda quinzena de dezembro, quando as vendas ficaram abaixo do esperado em MG e GO durante as festividades de Natal e Ano Novo. Com o início da colheita da temporada de verão, os preços médios no último mês de 2020 registraram queda de 6,8% em relação a novembro, sendo a caixa de 29 kg de “suja” comercializada por R$ 28,26. Ainda assim, a rentabilidade dos produtores permaneceu positiva, com preços bem superiores aos custos de produção. Com a chegada de 2021, a colheita da safra de verão ganhou força, principalmente em São Gotardo (MG), elevando a oferta. Nesse cenário, os preços caíram de forma significativa: na parcial de janeiro (1° a 15), a caixa de 29 kg de “suja” foi comercializada na média de R$ 22,85, 19% abaixo da média de dezembro. No início de fevereiro, a expectativa é de que haja um maior descarte nas lavouras, devido ao clima quente e úmido de verão – o que pode reduzir a oferta de raízes no mercado. Fonte: www.cepea.esalq.usp.br

Veja Também:  ARROZ/CEPEA: Comprador pressiona, e Indicador segue em queda
Fonte: CEPEA

Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana