conecte-se conosco


Tecnologia

Apple deve lançar fones de ouvido “grandão” por US$ 399

Publicado

source

Recentemente, rumores apontavam que a Apple estava prestes a lançar um fone de ouvido “diferente”. Ao que tudo indica, o produto é um headphone “over-ear” – aqueles que cobrem toda a orelha e isolam quase todo o ruído externo.

Leia também: Com coronavírus, MIUI 11 atrasa em alguns smartphones da Xiaome; veja quais

Novos fones da Apple arrow-options
Reprodução/wccftech

Novos fones da Apple


Leia também: Android poderá rodar jogos antes do fim do download

A novidade foi compartilhada pelo youtuber  Jon Prosser , em sua conta no Twitter. Os fones foram listados no estoque da gigante varejista norte-americana Target. Além do possível nome, Apple Airpords X , o acessório tem preço sugerido de US$ 399 (cerca de R$ 1750,00 em conversão direta).

Segundo Prosser, os fones podem chegar às lojas em três cores; isso ele deduziu a partir da existência de três códigos diferentes para um mesmo produto registrado na loja.

Veja Também:  Torres de 5G são incendiadas devido a teorias da conspiração sobre coronavírus


Ao serem procuradas para falar sobre o suposto vazamento, nem a Apple e nem a Target confirmaram se o produto é real.

O site Apple Insider afirma ter conversado com vários funcionários da Target sobre os vazamentos. Eles afirmaram que as pessoas informaram que, embora não pudessem confirmar a proveniência da imagem, disseram que reservar espaços para novos produtos é uma prática comum. No entanto, os nomes nem sempre são os do produto final.

Leia também: Samsung Galaxy S20 e Z flip devem chegar ao Brasil em março

Ainda de acordo com os funcionários, os produtos que aparecem no sistema geralmente são recebidos pela loja dentro de uma semana ou até um mês após a primeira aparição no estoque da empresa. Por enquanto, sem confirmação oficial da Apple , é difícil dizer com precisão se os fones estão de fato nos planos da empresa. Teremos de aguardar um pronunciamento oficial. 

Fonte: IG Tecnologia
publicidade

Tecnologia

Em casa: veja como usar o Google Maps para encontrar restaurantes que entregam

Publicado

source

Olhar Digital

Google Maps arrow-options
Unsplash/henry perks

Veja como encontrar restaurantes no Google Maps


O Google Maps é um dos aplicativos mais utilizados para se obter informações de rotas e trajetos, já vindo até mesmo pré-instalado nos celulares com o sistema Android. Por sua vez, além de oferecer essas informações importantes, o Google Maps também conta com uma lista de restaurantes e de demais lojas das regiões consultadas nele.

Com o surto do novo coronavírus (Sars-Cov-2), agora, o aplicativo ganhou um novo filtro para restaurantes, que pode ser bem útil para as pessoas, podendo mostrar apenas locais que realizam entregas a domicilio, algo que está sendo regra em cidades para que estabelecimentos continuem abertos. A seguir, veja como encontrar restaurantes de sua região que estejam realizando entregas a domicilio.

Leia também: Google Maps completa 15 anos de cara nova e em busca de maior impacto social

Importante

Apesar de o Google Maps já vir pré-instalado apenas no Android, este novo recurso também está disponível para o aplicativo em sua versão para iOS (sistema do iPhone).

Veja Também:  Lançamento se aproxima: iPhone 9 tem pré-venda em site chinês

Como encontrar restaurantes delivery com o Google Maps

O processo para achar um restaurante que realize entregas na sua região é bem simples de ser realizado no aplicativo do Google Maps. Confira o passo a passo:

  1. Acesse a Google Play ou a App Store e atualize Google Maps para a sua última versão;
  2. Caso o Google Maps esteja aberto no celular, encerre o seu processo e abra-o;
  3. Com o app já aberto, deslize a parte inferior de sua tela para cima e selecione a opção “Entrega”. Em alguns celulares testados, esta opção também apareceu na parte superior de sua tela, sem precisar deslizar;
  4. Para evitar problemas, também aplique o filtro “Abertos agora” e selecione um dos restaurantes disponíveis;
  5. Agora, veja o cardápio do local, se disponível, e faça uma ligação para ele.

Pronto! Agora, você já sabe como encontrar restaurantes de sua região abertos que realizem entregas a domicilio.

Fonte: IG Tecnologia
Continue lendo

Tecnologia

Em meio à pandemia, WhatsApp limita ainda mais encaminhamento de mensagens

Publicado

source

Olhar Digital

WhatsApp arrow-options
Reprodução

WhatsApp limita encaminhamento de mensagens


Para reduzir a disseminação de fake news , especialmente as relacionadas à pandemia de Covid-19 , o WhatsApp está definindo novos limites para o encaminhamento de mensagens. A partir de hoje, mensagens identificadas como “altamente encaminhadas” (ou seja, que foram enviadas para mais de 5 pessoas) só poderão ser encaminhadas para um contato por vez.

Segundo a empresa, a eficácia da medida é historicamente comprovada: “No ano passado, quando criamos o limite de encaminhamento para conter a disseminação de notícias falsas, ajudamos a diminuir em 25% o número de mensagens encaminhadas em todo o mundo”, diz um comunicado.

Leia também: WhatsApp vai permitir login em mais de um dispositivo; entenda

A empresa justifica a medida citando um “aumento significativo na quantidade de mensagens encaminhadas que, de acordo com nossos usuários, podem contribuir para a disseminação de boatos e informações falsas”.

O WhatsApp tem colocado em prática várias medidas para evitar a disseminação de fake news durante a pandemia de Covid-19 . Entre elas, a divulgação de um guia para ajudar os usuários a identificar informações falsas e um bot, desenvolvido pela Organização Mundial de Saúde , que traz informações precisas e verificadas sobre a doença.

Veja Também:  Vendas online na quarentena: veja o que está bombando nos e-commerces

Fonte: IG Tecnologia
Continue lendo

Tecnologia

Torres de 5G são incendiadas devido a teorias da conspiração sobre coronavírus

Publicado

source
5G arrow-options
Reprodução/Facebook

Vídeos no Facebook mostraram as torres de 5G em chamas


Torres de 5G estão sendo incendiadas no Reino Unido depois que uma teoria da conspiração unindo a tecnologia à pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) começou a se espalhar pela internet em alguns países. 

De acordo com a BBC, pelo menos três torres de 5G foram incendiadas na última semana. Ao The Verge, a operadora de telefonia Vodafone afirmou que foi ateado fogo em quatro torres em apenas 24 horas. Policiais e bombeiros foram chamados para apagar as chamas, e a polícia já investiga o caso. 

A teoria da conspiração

Vídeos das torres incendiadas foram publicados no Facebook , onde diversos grupos se destinam a discutir sobre o assunto: por lá, se acredita que o 5G faz mal à saúde e está relacionado à pandemia do novo coronavírus. 

Leia também: Pensando no 5G? Cidades brasileiras ainda estão presas no 2G; entenda

A teoria mais forte sobre o assunto afirma que o vírus começou a ser disseminado em Wuhan , na China, porque a cidade estava testando a tecnologia 5G . Agora, a Covid-19 estaria se espalhando por cidades que também utilizam a tecnologia. 

Além disso, uma entrevista dada por uma mulher identificada como enfermeira a uma rádio comunitária britânica se espalhou pela internet. No vídeo, ela argumenta que o 5G suga o oxigênio dos pulmões das pessoas , associando isso à falta de ar causada pela Covid-19.

Veja Também:  Além de La Casa de Papel, veja os lançamentos da semana na Netflix


As conspirações, porém, não possuem nenhum embasamento científico. O novo coronavírus já está, inclusive, espalhado por cidades e países que ainda não fazem uso do 5G, como é o caso do Brasil . Além disso, reguladores no Reino Unido registraram, na rede 5G , níveis de radiação eletromagnética bem abaixo dos estipulados pelas diretrizes internacionais. 

Leia também: Huawei vai poder participar do leilão do 5G no Brasil

O diretor geral da GSMA , organização que representa as empresas de telefonia no mundo todo, disse que a indústria está trabalhando para manter os serviços no ar. Além disso, ele reiterou que a rede 5G não representa riscos à saúde . “É deplorável que a infra-estrutura crítica de comunicações esteja sendo atacada com base em tamanhas mentiras. Pedimos a todos que confiem nas autoridades de saúde e tenham certeza de que a tecnologia de comunicação é segura. Não há ligação entre 5G e Covid-19”.

A união dos conspiracionistas nas redes sociais, porém, tem dado força para que internautas gerem conteúdo sobre o assunto. No vídeo da publicação abaixo, uma mulher confronta dois trabalhadores que estavam instalando redes de 5G , alegando que o trabalho deles vai “matar todo o mundo”. 


O impacto dos incêndios no combate à pandemia

Quando saem das redes sociais , notícias falsas como essa podem ter grandes impactos na vida real. Ao The Verge, o CEO da Vodafone, Nick Jeffery, afirmou que o caso dos incêndios nas torres de 5G são “uma questão de segurança nacional”, e que “as autoridades policiais e de combate ao terrorismo estão investigando”.

Veja Também:  Anvisa bloqueia Zoom em seus computadores

Os danos causados pelos incêndios afetam não só os serviços de telefonia móvel das regiões, mas também serviços essenciais à população no momento da pandemia da Covid-19 . Em seu boletim diário, o diretor do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido, Stephen Powis, disse que os hospitais também serão prejudicados. 

Leia também: Em parceria, Claro, Ericsson e Qualcomm testam conexão 5G no Brasil

“Estou absolutamente indignado e enojado que as pessoas tomem medidas contra a infraestrutura de que precisamos para enfrentar esta emergência”, afirmou.

O papel das redes sociais

O Departamento de Digital, Cultura, Mídias e Esportes do Reino Unido disse que também é papel das redes sociais controlar informações falsas deste tipo. “Devemos ver as empresas de mídia social agindo com responsabilidade e adotando ações muito mais rápidas para impedir que as bobagens se espalhem em suas plataformas, o que incentiva tais atos”, disse o órgão. 

Depois que a história dos incêndios ganhou as manchetes de jornais no país, um dos principais grupos de Facebook sobre o assunto, que já havia sido denunciado anteriormente, foi excluído pela rede social. 

O YouTube , por sua vez, resolveu agir mais ativamente no caso. Na plataforma, vídeos que conspirarem contra a segurança do 5G , mas não mencionarem o novo coronavírus , serão suprimidos. Isso significa que eles terão seus anúncios suspensos e serão eliminados dos resultados de busca. Já os vídeos que relacionarem e tecnologia à Covid-19 serão removidos por completo.

Fonte: IG Tecnologia
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana