conecte-se conosco


Agro News

BOI/CEPEA: Vantagem da carne sobre boi se reduz em junho

Publicado


.

Cepea, 2/7/2020 – Em junho, o preço médio da arroba da carne bovina negociada no atacado da Grande São Paulo seguiu superior ao do animal para abate (Indicador CEPEA/B3, mercado paulista), contexto que vem sendo verificado, em termos gerais, desde o encerramento de 2016. No entanto, essa vantagem diminui bastante no mês. Segundo pesquisadores do Cepea, isso evidencia que o ritmo de alta dos preços do boi está acima do observado para a carcaça, o que, por sua vez, pode estar atrelado ao recente enfraquecimento da demanda brasileira pela carne, diante do menor poder de compra da população, que deve estar em busca de proteínas mais competitivas. Segundo dados do Cepea, em junho, a diferença entre os preços da arroba do animal e da carcaça casada foi de apenas 1,18 Real/@, com vantagem ainda para a carne negociada no atacado. Essa é a menor diferença desde agosto de 2018, quando esteve brevemente negativa, em 0,4 Real/@, ou seja, com a arroba do animal negociada acima da carne no atacado. Como comparação, em junho do ano passado, a diferença era de 10,24 Reais/@, com vantagem para a carne no atacado. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Veja Também:  OVOS/CEPEA: Preços recuam pelo 3º mês consecutivo
Fonte: CEPEA

publicidade

Agro News

OVOS/CEPEA: Preços recuam pelo 3º mês consecutivo

Publicado


.

Cepea, 03/08/20 – Mesmo com a leve valorização na última semana de julho, os preços dos ovos caíram na média do mês, acumulando três períodos consecutivos de recuos, segundo dados do Cepea. A pandemia de covid-19 e seus impactos no poder de compra da população têm gradativamente reduzido a liquidez do produto nas principais regiões consumidoras, pressionando as cotações. Com a demanda desaquecida, os descartes das poedeiras mais velhas devem ser antecipados, de acordo com colaboradores do Cepea, em uma tentativa de diminuir a oferta de ovos e impulsionar os preços, uma vez que as margens do setor têm estado muito estreitas, devido aos elevados patamares dos preços dos principais insumos consumidos na atividade, milho e farelo de soja. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA

Veja Também:  CITROS/CEPEA: De junho para julho, preço médio da tahiti sobe 84%
Continue lendo

Agro News

MILHO/CEPEA: Preços voltam a subir, mesmo com avanço da colheita

Publicado


.

Cepea, 03/08/20 – As cotações do milho voltaram a subir na maior parte das regiões acompanhadas pelo Cepea, devido à retração vendedora e à demanda aquecida. Segundo pesquisadores, apesar de a colheita avançar, cooperativas e compradores mostram dificuldades em adquirir novos lotes e, quando conseguem, adquirem pequenos volumes para o curto prazo. Entre 24 e 31 de julho, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa registrou alta de 3,1%, fechando a R$ 50,79/saca de 60 kg nessa sexta-feira, 31. No campo, com a colheita ganhando ritmo em todas as regiões, agricultores começam a indicar ajustes negativos na produtividade, especialmente nas lavouras do Paraná, de São Paulo e Mato Grosso do Sul, prejudicadas pela seca durante o desenvolvimento. Esse contexto somado ao fato de que boa parte da produção já está comercializada devem manter limitada a disponibilidade do cereal. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA

Veja Também:  FRANGO/CEPEA: Demanda aquecida e oferta limitada elevam preços da carne e do vivo
Continue lendo

Agro News

FRANGO/CEPEA: Demanda aquecida e oferta limitada elevam preços da carne e do vivo

Publicado


.

Cepea, 31/07/20 – As cotações da carne e do frango vivo subiram ao longo de julho, em movimento de recuperação, de acordo com informações do Cepea. Os valores foram impulsionados pela demanda nacional aquecida e pela oferta controlada de animais para abate – na indústria, agentes também relatam diminuição no ritmo de produção. Além disso, a valorização de importantes insumos da atividade (como milho e farelo de soja) também influenciaram as altas domésticas da carne e do animal vivo. As condições favoráveis de mercado para a carne de frango, com oferta controlada e boa liquidez no mercado doméstico, compensam o enfraquecimento das exportações do setor. Segundo relatório parcial da Secex, nos 18 primeiros dias úteis de julho, foram embarcadas 15,3 mil toneladas/dia de carne de frango, recuo de 4,7% frente à média de junho e ainda 5,5% abaixo do ritmo verificado em julho/19. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA

Veja Também:  SUÍNOS/CEPEA: Preço recorde do vivo aumenta poder de compra do produtor
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana