conecte-se conosco


Economia

Especialistas questionam modelo atual de Previdência no Senado

Publicado

Painel do plenário do Senado arrow-options
Jefferson Rudy/Agência Senado

Plenário do Senado iniciou as discussões sobre a Reforma da Previdência ouvindo especialistas no assunto

O Senado deu início  nesta terça-feira (10) às  discussões sobre a  reforma da Previdência . O texto, que já passou pela Câmara dos Deputados,  foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)  na semana passada e aguarda contagem de prazo para ser votado pelo plenário da Casa.

Leia também: Relator admite rever mudanças no texto da Previdência no Senado por prazo curto

Convidados a participar do debate, especialistas destacaram a importância da proposta para equilibrar as contas públicas .

Segundo o economista José Márcio Camargo, o Brasil é o sétimo país mais jovem do mundo e em 20 anos, será o sétimo mais idoso

O problema é que o gasto com aposentadoria e assistência social equivale a 14% do Produto Interno  Bruto (PIB), sendo que apenas 9,5% da população  brasileira tem 65 anos de idade ou mais e 25% têm 15 anos ou menos.

Senado terá semana de negociações para votar reforma da Previdência

Veja Também:  Home office será mantido pela maioria das empresas de Minas Gerais

Mantido o teto do gasto público, destacou o economista, dentro de 20 anos, 100% do gasto será com pagamento de aposentadoria e assistência social.

“Significa que não vai ter dinheiro para mais nada”, disse Camargo, acrescentando que “o sistema atual prioriza idosos em detrimento de adolescentes e crianças”, declarou.

Segundo o economista, entre 2001 e 2018, o déficit da previdência dos servidores públicos superou em 50% os gastos com educação. Somando o regime de aposentadoria dos trabalhadores do setor privado, o déficit representou o dobro dos investimentos em educação .

Para o especialista Paulo Tafner, o texto da reforma resolve o problema do passado , mas “esqueceu” do futuro.

Segundo ele, diante da mudança no perfil demográfico da população brasileira, que passa por um rápido processo de envelhecimento, o sistema atual de repartição “não pára de pé”. O modelo atual é o de repartição em que os trabalhadores ativos ajudam a pagar os inativos.

“Temos que começar a pensar  um sistema que venha substituir o atual”, destacou Tafner.

A equipe econômica tentou incluir na reforma da Previdência  o regime de capitalização, mas foi derrotada ainda na Câmara dos Deputados. Por este modelo, os trabalhadores contribuem para a própria aposentadoria. 

Veja Também:  Auxílio emergencial: Caixa fará depósitos na quarta-feira; veja quem recebe

publicidade

Economia

Quina acumulada: veja os números sorteados nesta segunda

Publicado


source
Quina está acumulada
Reprodução

Quina está acumulada

O concurso 5330 da Quina desta segunda-feira (3), tem um prêmio estimado em R$ 2,5 milhões. As dezenas sorteadas foram:

01 – 04 – 20 – 25 – 76

A Caixa ainda não informou se houve ganhadores deste sorteio.

Como apostar

Para apostar na Quina , o participante deve escolher de 5 a 15 números dentre os 80 disponíveis nas lotéricas credenciadas pela Caixa, ou no site especial de loterias do banco.

Ganham prêmios quem acerta de 2, 3, 4 ou 5 números. Além disso, a pessoa pode concorrer com a mesma aposta por 3, 6, 12, 18 ou 24 concursos consecutivos com a Teimosinha.

Segundo a Caixa , ninguém acertou as cinco dezenas sorteadas no último sábado (1). Os números sorteados foram: 12 – 31 – 36 – 52 – 74.

Veja Também:  Auxílio Emergencial: Caixa vai pagar a 805 mil novos beneficiários

A aposta mínima na Quina custa R$ 2,00. Os sorteios da Quina são realizados, normalmente, de segunda-feira a sábado, às 20h.

Continue lendo

Economia

Auxílio Emergencial: Caixa vai pagar a 805 mil novos beneficiários

Publicado


source
Trabalhadores nascidos nos meses de setembro e outubro recebem nova parcela nesta sexta
Leonardo Sá/Agência Senado

Trabalhadores nascidos nos meses de setembro e outubro recebem nova parcela nesta sexta

A Caixa Econômica Federal aprovou nesta segunda-feira (3) a inclusão de 805 mil novos beneficiários do auxílio emergencial de R$ 600 , pago pelo governo federal para combater a crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus ( Sars-Cov-2 ). Além dessas pessoas, outras 345 mil tiveram o cadastro validado para receber as parcelas 3 e 4 do auxílio.

O pagamento dos novos elegíveis será feito a partir de quarta-feira (5). Nesse dia, os nascidos de janeiro a maio (483 mil pessoas) terão o crédito disponibilizado na poupança social digital. Os pagamentos aos nascidos nos meses posteriores, considerando os novos elegíveis, ocorrerão nos dias seguintes.

No dia 7 de agosto será a vez dos nascidos em junho; no dia 12, dos nascidos em julho; no dia 14, dos nascidos em agosto; dia 17, dos nascidos em setembro; dia 19, dos nascidos em outubro; dia 21, dos nascidos em novembro e no dia 26 de agosto, dos nascidos em dezembro.

Veja Também:  Quina acumulada: veja os números sorteados nesta segunda

A Caixa tem disponibilizado o auxílio em uma poupança digital, acessível pelo aplicativo Caixa Tem.

Pelo aplicativo é possível fazer compras online em estabelecimentos autorizados e pagar boletos. O saque em dinheiro do benefício, em uma agência do banco, é autorizado posteriormente, conforme calendário estipulado pela Caixa .

As 483 mil pessoas que receberão o auxílio no Caixa Tem na próxima quarta-feira, por exemplo, poderão sacar o valor a partir do dia 8 de agosto.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães , afirmou que o pagamento tem sido feito “com muita tranquilidade” e que não é necessário chegar muito cedo nas agências. “Estamos tendo o pagamento, com muita tranquilidade, de todos os beneficiários, embora com uma intensidade muito grande. Não há nenhuma necessidade de chegar cedo nas agências antes de elas abrirem”.

Considerando o auxílio emergencial, o benefício emergencial de preservação de emprego e renda, pago pelo governo para impedir que as empresas em crise demitam seus funcionários e o saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço ( FGTS ), no valor de R$ 1.045, a Caixa está fazendo pagamento a 121 milhões de pessoas. Segundo cálculos do banco, oito em cada dez adultos no Brasil receberão algum desses benefícios.

Veja Também:  Auxílio emergencial: Mais de 600 pessoas são investigadas por fraude no RS

Continue lendo

Economia

Banco Central libera testes para pagamentos via WhatsApp

Publicado


source

Banco Central libera testes para pagamentos via WhatsApp

Pouco tempo após iniciar pagamentos via WhatsApp , o Facebook foi proibido de ofertar a funcionalidade no Brasil.

O Banco Central do Brasil e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica ( CADE ) apontaram possíveis falhas em termos de competição.

Contudo, o CADE retirou a tutela de urgência, restando apenas a ressalva do Banco Central. No dia 31 de julho, a instituição liberou a plataforma para testes.

Retorno do WhatsApp Pay

O WhatsApp Pay ( WAP ) foi liberado para termos de testes de pagamentos e transferências.

De acordo com a Exame, o lançamento comercial ainda continua sem autorização. A informação da fase de testes foi prestada pela Visa.

O período de testes é justamente para sanar problemas de competitividade, levantados pelo CADE e pelo Banco Central .

Roberto Campos Neto , presidente do Banco Central do Brasil, estipulou como condição para liberar o WAP:

“[…] assim que for comprovado que é um arranjo competitivo e tem a proteção de dados necessária, será aprovado.”

Durante este período, novos credenciadores e emissores serão testados. A Cielo, parceira do Facebook no WAP, se beneficiou.

Veja Também:  Quina acumulada: veja os números sorteados nesta segunda

O anúncio se deu no fim do pregão da última sexta-feira, o que não impediu as ações da Cielo de valorizarem 10%.

Enquanto isso, a Mastercard solicitou o Banco Central do Brasil (Bacen) para participar como emissor interessado.

Os testes

Serão considerados como testes transações de baixo valor, limitadas a apenas um pequeno grupo de cartões.

A Mastercard declarou que está contribuindo com o Bacen, visando a liberação do WAP comercialmente.

Campos Neto, destaca que não “proibiu” o WAP no Brasil. Segundo ele:

“Em nenhum momento o BC [Banco Central] proibiu o WhatsApp de funcionar. O que o BC entende é que é um arranjo relevante para a economia e precisa passar pelos mesmos processos de aprovação dos outros arranjos.”

Recentemente, o CADE pediu que Cielo e Facebook prestem explicações sobre o WAP.

Facebook e Cielo têm uma semana para prestar os esclarecimentos requeridos pelo CADE.

Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana