conecte-se conosco


Agro News

ETANOL/CEPEA: Preço do hidratado sobe após 2 semanas em queda

Publicado

Cepea, 10/09/2019 – As cotações do etanol hidratado subiram no mercado paulista depois de duas semanas de baixas, conforme indicam dados do Cepea. Entre 2 e 6 de setembro, o Indicador CEPEA/ESALQ do etanol hidratado fechou a R$ 1,7031/litro (sem ICMS e sem PIS/Cofins), avanço de 0,73% em relação à semana anterior. O suporte veio da menor oferta, já que algumas unidades precisaram interromper a moagem no início da semana passada, devido às chuvas. Além disso, a volta, ainda que pontual, de algumas distribuidoras ao mercado também influenciou a alta. No caso do anidro, o volume de negócios esteve maior na última semana, mas, no balanço do período, a oferta seguiu um pouco superior à demanda. Assim, o Indicador CEPEA/ESALQ foi de R$ 1,888/litro (sem PIS/Cofins), queda de 1,06% no mesmo período. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA
Veja Também:  TRIGO/CEPEA: Baixa disponibilidade e dólar recorde mantêm preços em alta no BR
publicidade

Agro News

Produtores temem prejuízos com suspensão do plantio excepcional da soja em fevereiro

Publicado

Defesa Agrícola

Produtores temem prejuízos com suspensão do plantio excepcional da soja em fevereiro

A pesquisa deixa claro que o plantio de soja em fevereiro respeita o vazio sanitário.

28/02/2020

 
Produtores das 21 áreas experimentais selecionadas para realização de pesquisa de plantio excepcional de soja em fevereiro, com uso de fungicidas biológicos e com multissítios para o combate à Ferrugem Asiática, em Mato Grosso, podem ter prejuízos. É que mesmo após acordo com órgãos de controle para realização do estudo, o Ministério Público Estadual (MPMT) recomendou a suspensão dos trabalhos. A orientação foi acatada pelo Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), que realizou aplicação de multas em algumas áreas. Os agricultores ainda temem ter que destruir o plantio de semente de soja para uso próprio e arcar com prejuízos.
 
A pesquisa realizada pela Fundação Rio Verde e Instituto Agris foi iniciada após acordo extrajudicial, válido legalmente pela Lei de Mediação nº 13.140/2015, entre a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), com o Indea, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).
 
Produtor em Primavera do Leste, Cristian Braun, participa da pesquisa com uma área de 50 hectares da propriedade. Ele teme os prejuízos que podem ocorrer a partir de agora com a quebra do acordo feito com o Indea. “Deixamos de plantar em outubro e novembro, e separamos uma área para essa pesquisa. O Indea veio no final de janeiro, vistoriou essa área e aprovou a mesma para a pesquisa. Não tinha soja anteriormente plantada, portanto, não seria plantio de soja sobre soja. Uma semana depois voltou com a proibição, de forma ríspida, porém grande parte já tinha sido plantada”, contou.
 
A pesquisa deixa claro que o plantio de soja em fevereiro respeita o vazio sanitário. Além disso, o cultivo será de semente para uso próprio, que cultivadas nesse período, tem maior qualidade.
Marcos Roberto Bravin, produtor de Primavera do Leste, também participa da pesquisa e demonstra preocupação e indignação diante da situação. “Fica aqui a minha indignação e protesto quanto ao que está acontecendo. Porque estávamos fazendo tudo legalmente. Antes da calendarização do plantio da soja, a gente fazia semente salva em fevereiro, e nunca adentramos o vazio sanitário, e sempre foi a melhor semente para produção em cima de germinação, vigor e controle de Ferrugem”, pontuou. 
 
De acordo com a pesquisa, a diferença cai de no mínimo oito aplicações de fungicida em dezembro, para quatro em fevereiro, conforme comprova, o produtor. “Em dezembro eu fazia até 11 aplicações de fungicidas e muitas de inceticida para o percevejo. Já em fevereiro reduziu para quatro aplicações para combater a Ferrugem e menos aplicações ainda, para o percevejo”, explicou Bravin. 
Ele acredita que também faltou apoio de outras entidades ligadas ao agronegócio. “Estou muito triste porque a Famato que era para nos defender, simplesmente nos abandonou e foi contra o produtor não sei o porquê. Fica aqui meu apelo e tristeza por combinar algo com os órgãos do estado e agora vai tudo por água abaixo? Fomos notificados e não sabemos como faremos diante do prejuízo que poderemos ter com tudo isso. Os fiscais ficaram de voltar na propriedade para falar o que vai ter que fazer daqui para frente”, desabafou o produtor Marcos Bravin.
 
“O produtor não pode mudar as coisas de um dia para outro, qualquer planejamento leva meses e agora com essa ameaça de multa, e até mesmo de destruição de lavoura, corremos o risco de perder a safra do ano todo, e o pior perder toda produção de semente para o resto da área da propriedade. E eles não têm nenhum dado científico, nem respaldo para tomarem essa decisão”, ressaltou Cristian Braun. 
 
Conforme o vice-presidente da Aprosoja, Fernando Cadore, o trabalho é realizado dentro da lei e baseado em um acordo com todos os entes interessados e órgãos de controle. “Todos concordaram com essa pesquisa, os produtores plantaram a soja em fevereiro e agora podem ter um grande prejuízo.  O Ministério Público, atendendo uma demanda de outras entidades, que não representam os produtores de soja, cometeu essa injustiça que pode ser prejudicial para a próxima safra. Nós esperamos que isso seja revertido”, defendeu Cadore.

Fonte: APROSOJA
Continue lendo

Agro News

BOI/CEPEA: Baixa oferta de animais mantém preços do boi firmes em fevereiro

Publicado

Cepea 28/02/2020 – De acordo com levantamento do Cepea, os preços do boi gordo se mantiveram firmes ao longo de fevereiro, sustentados pela baixa oferta de animais para abate. No final do mês, o Indicador do boi gordo CEPEA/B3 esteve por volta dos R$ 200,00. Na média parcial de fevereiro (de 1º a 27), o Indicador foi de R$ 196,78, sendo 1,93% superior ao de janeiro e quase 23% acima do de fevereiro de 2019, em termos reais (os valores foram deflacionados pelo IGP-DI). Para a carne negociada no mercado atacadista da Grande São Paulo, a carcaça casada registra média de R$ 13,77/kg (à vista) na parcial deste mês, com altas de 2,76% em relação à de janeiro e de 24% frente à de fevereiro do ano passado. Diante disso, pesquisas do Cepea apontam que a diferença entre os preços da arroba bovina e da carne se ampliou, para 9,77 Reais/@, com vantagem para a carcaça casada negociada no atacado – os dados foram deflacionados. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Veja Também:  MANDIOCA/CEPEA: Oferta cai e interrompe queda nos preços

Fonte: CEPEA
Continue lendo

Agro News

CAFÉ/CEPEA: Preços do arábica oscilam e afastam agentes do mercado no BR

Publicado

Cepea, 28/02/2020 – Os preços do café arábica oscilaram com certa força nos últimos dias, influenciados pelo cenário externo, de acordo com pesquisas do Cepea. Esse movimento afastou agentes do mercado físico nacional, mantendo a liquidez baixa. Os momentos de queda nos valores externos foram resultados de estimativas indicando produção recorde no Brasil na safra 2020/21, ao passo que os aumentos estiveram atrelados a fatores técnicos e às altas do dólar. Nessa quinta-feira, 27, o Indicador CEPEA/ESALQ do café tipo 6 bebida dura para melhor, posto na capital paulista, fechou a R$ 511,41/sc, elevação de 5,03% em relação à quinta-feira, 20. Quanto ao robusta, pesquisas do Cepea apontem que a retração vendedora e elevação do dólar sustentaram os preços na maior parte da semana. O Indicador CEPEA/ESALQ do tipo 6 peneira 13 acima fechou a quinta-feira a R$ 312,29/sc de 60 kg, alta de 0,9% em relação ao dia 20. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA
Veja Também:  MANDIOCA/CEPEA: Oferta cai e interrompe queda nos preços
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana