conecte-se conosco


Carros

Fiat Toro Ranch ou Ford Ranger Storm? Veja qual picape vence

Publicado


source
Fiat Toro
Evandro Enoshita

Ranger Storm e Toro Ranch: propostas diferentes, mas com preços semelhantes com motor turbodiesel, câmbio automático e cabine dupla

As duas são a movidas a diesel e gostam de poeira. Só que uma prefere ficar com os vidros elétricos fechados, ar-condicionado ligado, indo para o sítio com piscina. E a outra encara uma trilha até o alto da montanha, sem frescuras. Por quase o mesmo preço, com qual você ficaria? Estamos falando das picapes Fiat Toro Ranch (R$ 171.990) e Ford Ranger Storm (R$ 174.890), respectivamente. Vamos ao embate.

Bem, antes de mais nada também é bom dizer que a Storm é uma picape média e a Ranch, intermediária, acima das pequenas. Isso implica em mais espaço disponível na Ford, que leva 1.180 litros na caçamba ante 880 litros da Fiat. A capacidade de carga também é maior no modelo da marca americana, 1.040 kg ante 1.000 kg da rival. Então, se você quer um utilitário valente e espaçoso, já começa a enxergar seu caminho.

A picape da Fiat se aproxima mais de um SUV confortável, com toques extras de sofisticação e exclusividade, como os bancos revestidos de couro marrom, sendo o do motorista com ajustes elétricos. Há também botão de partida, retrovisores rebatíveis eletricamente, quadro de instrumentos com mostrador digital de 7 polegadas, soleiras nas portas, rodas diamantadas de aro 18 com pneus 225/60R 18, entre outros itens.

A Ford é mais “casca grossa”, pero no mucho. Os bancos são de tecido, os plásticos do painel e do console são bem simples, assim como as laterais das portas, mas a lista de equipamentos de série é bem interessante. Há vidros elétricos, sistema multimídia com espelhamento, câmera de ré, duas entradas USB no console (uma delas para carregar o celular mais rápido), volante multifuncional, sensor de estacionamento traseiro, parte do cluster digital e configurável e até CD player…

Veja Também:  Honda WR-V 2021 estreia nova versão LX e retoques no visual

Com distância entre-eixos de 3,22 metros, ante 2,99 m da Toro, a Ranger leva cinco ocupantes com mais folga de espaço. Porém, a suspensão traseira é de eixo rígido, com feixe de molas semielípticas, feita para aguentar o tranco em piso irregular, diferente da picape da Fiat, com mulibraço, que garante mais firmeza nas curvas e conforto. Apesar disso, ambas têm controle eletrônico de estabilidade.

Na Toro, o motor é 2.0 de 170 cv e bons 35,7 kgfm de torque a 1.750 rpm, força suficiente para fazer ultrapassagens com segurança. Ao acelerar, ouve-se o sibilar da turbina, o que pode até empolgar os entusiastas, mas mostra que poderia ter havido mais refinamento para evitar isso. Também turbodiesel, o 3.2 da Ranger tem 200 cv e 47,9 kgfm na mesma faixa de giro da rival. Ronca forte, mas sem vibrar demais e transmitindo uma sensação de qualidade, além de garantir fôlego para o que vier pela frente.

Embora a Storm seja maior e mais pesada, sua relação entre peso e torque é mais favorável: 46,6 kg/kgfm ante 52,4 kg/ kgfm, que ajuda nas retomadas. Mesmo assim, conforme dados das fabricantes, a picape da Ford leva mais tempo para acelerar de 0 a 100 km/h: 11,6 segundos, ante 10 s da Fiat. De qualquer forma, fica claro que a vocação do modelo da marca americana é mais para trechos de terra até porque os pneus Pirelli Scorpion AT Plus 265/65R 17 foram desenvidos para essa versão e feitos para atender o perfil de uso 60% fora de estrada e 40% rodoviário.

O que também contribui com a valentia da Ford Storm a enfrentar terra, lama e poeira à vontade é a distância livre do solo de 23,2 cm ante 21,7 cm da Ranch. Ambas contam com tração 4×4 acionada por botão no painel, com reduzida. Além disso, as duas também têm câmbio automático com opção de trocas sequenciais. Mas na Toro são 9 marchas (ante 6 da Ranger) e com hastes atrás do volante, o que ajuda a manter o motor em rotações mais baixas em viagens, reduzindo o nível de ruído.

Entretanto, bem que a FCA poderia procurar melhorar o raio de giro da Toro, de exagerados 12,9 metros, o que atrapalha nas manobras de estacionamento, principalmente nas garagens de shoppings e condomínios. É preciso ficar indo para frente e para trás para entrar e sair de espaços apertados. Para se ter uma ideia, mesmo com seus 5,35 m de comprimento, a Ranger chega a ser até mais fácil de manobrar, com raio de giro de 12,2 m.

Veja Também:  Flagra! Pegamos o VW Taos com pouca camuflagem antes da estreia

E se a ideia é enfrentar longas viagens ao bordo dessas picapes a diesel, a Ranger vai um pouco mais longe, com maior autonomia, levando em conta os dados do Inmetro. Em trechos rodoviários, a Storm pode rodar 752 km, ante 738 da Ranch, mas por causa do tanque maior, de 80 litros, ante 60 da Fiat, que é mais econômica (9,4 km/l na cidade e 12,3 km/l na estrada, ante 8,7 km/l e 9,4 km/l da Ford), sempre conforme o Inmetro.

Conclusão

Entre as picapes médias, a Ranger Storm tem boa relação custo benefício, a ponto de custar quase o mesmo que uma Toro mais equipada. Se você não faz questão de muito conforto e quer bastante espaço (inclusive, na caçamba), o modelo da Ford é mais interessante que o Fiat.

Fichas técnicas

Fiat Toro Ranch

Motor: 2.0, quatro cilindros, turbodiesel

Potência (cv): 170 a 3.750 rpm

Torque (kgfm): 35,7 a 1.750 rpm

Transmissão:  Automático, 9 marchas, tração integral

Suspensão:Independente (dianteira) e multibraço (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e tambores na traseira

Pneus: 225/60 R18 

Dimensões: 4,94 m (comprimento) / 1,84 m (largura) / 1,74 m (altura), 2,99 m (entre-eixos)

Tanque : 60 litros

Caçamba: 820 litros

Consumo: 9,9 km/l (cidade) /12,3 km/l (estrada) com diesel

0 a 100 km/h: 10 segundos 

Vel. Max: 188 km/h

Ford Ranger Storm 3.2

Motor: 3.2, quatro cilindros, diesel

Potência: 200 cv a 3.000 rpm

Torque: 47,9 kgfm a 1.750 rpm

Transmissão:  Automático, 6 marchas, tração integral

Suspensão:Independente (dianteira) e eixo rígido (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e tambores na traseira

Pneus: 265/65 R17 

Dimensões: 5,35 m (comprimento) / 1,86 m (largura) / 1,63 m (altura), 3,22 m (entre-eixos)

Tanque : 80 litros

Caçamba: 1.180 litros

Consumo: 8,4 km/l (cidade) /9,4 km/l (estrada) com diesel

0 a 100 km/h: 11,6 segundos 

Vel. Max: 180 km/h

Fonte: IG CARROS

publicidade

Carros

Veja os novos caminhões eletrificados de Mercedes-Benz e Scania

Publicado


source

A eletrificação da frota de veiculos comerciais é decisiva no continente europeu para atingir a meta do Acordo Climático de Paris. Por isso, as grandes montadoras da Europa estão apresentando seus caminhões eletrificados. Neste cenário a Daimler-Benz e Scania, dois dos maiores fabricantes do mundo, acabam de anunciar seus novos produtos para este mercado.

A Daimler Trucks, divisão de caminhões comerciais da Mercedes-Benz , revelou o eActros LongHaul, um novo caminhão elétrico de longo alcance. Este veiculo será incorporado à linha que já tem modelos como o eCascadia, caminhão semi-elétrico, e o eActros, caminhão elétrico urbano de curto e médio alcances.

eActros
Divulgação

A Daimler-Benz apresentou os protótipos de sua nova linha de seus caminhões elétricos e movido a hidrogênio

O novo eActros LongHaul terá uma autonomia de cerca de 500 km. A produção em série começa em 2024. Junto com o novo modelo elétrico a bateria, a Daimler também mostrou o Mercedes-Benz GenH2, um caminhão movido a hidrogênio composto por células de combustível, com um alcance de até 1.000 quilômetros.

Mercedes-Benz eActros Longhaul
Divulgação

Mercedes-Benz eActros Longhaul

O Mercedes-Benz eActros longHaul está previsto para 2024 no segmento de caminhões pesados

Veja Também:  Ferrari Portofino M evolui e promete entrar para a história da marca

Segundo a empresa, os veículos comerciais elétricos da marca já registraram mundialmente mais de sete milhões de quilômetros em testes e em programas especiais rodagem com frotistas. Como parte de sua estratégia de eletrificação, a montadora planeja oferecer veículos elétricos em todas as principais regiões de vendas até 2022 com os modelos Mercedes-Benz eCanter e eActros nos segmentos leves e médios, além da sua marca norte-americana Freightiner com os caminhões eM2 e eCascadia nos segmentos de semi e pesados.

O modelo eActros elétrico já se encontra em testes reais para o lançamento em 2022

Scania Electric
Divulgação

Scania Electric

A Scania também apresentou sua nova linha de veículos comerciais elétrico e híbrido plug-in das séries L e P. O modelo totalmente elétrico destina-se a aplicações urbanas, como a distribuição varejista. A autonomia é de até 250 km com uma única carga.

O Scania 100% elétrico está equipado com com um motor de 230 kW, equivalente a 310 cv. Ele vem com a opção de cinco baterias para um total de 165 kWh ou de nove baterias para 300 kWh de capacidade instalada. O tempo de carregamento é de cerca de 55 minutos para a opção de cinco baterias e de 100 minutos para a opção de nove, considerando meia carga elétrica.

Scania Hybrid
Divulgação

Os caminhões Scania 100% elétrico destina-se a aplicações urbanas, com um alcance de 250 km com uma carga

O caminhão Scania híbrido plug-in é destinado para o uso em longas distâncias combinando o modo de motor a combustão e modo elétrico, este até uma distância de 60 km.O trem de força conjunto tem potência de 280 ou 360 cv, conforme as opções de bateria.

Veja Também:  Flagra! Pegamos o VW Taos com pouca camuflagem antes da estreia

Ele é equipado com três baterias para uma capacidade instalada de 90 kWh para o motor elétrico de 115 kW. O tempo de carregamento de zero a 80 por cento é de aproximadamente 35 minutos, além de carregar por meio de energia de frenagem regenerativa com o veículo em movimento.

A Scania ressalta que continuará desenvolvendo veículos eletrificados para todas as aplicações de curta, média e longa distâncias e para o segmento da construção. “Sabemos que muitos motoristas serão atraídos para um sistema de transportes sustentáveis com esses caminhões do futuro”, diz a empresa.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros

Conheça a nova Ducati Multistrada 950S

Publicado


source
Ducati Multistrada 950S
Divulgação

Ducati Multistrada 950S

Há exatos três anos chegava ao Brasil a versão mais comportada da Ducati Multistrada, a 950, produzida em Manaus, AM (veja aqui). Comportada mas não tanto, pois continuava sendo uma italiana de sangue quente. Só que, com uma cilindrada pouco menor que a das irmãs 1200 e bem mais leve e ágil, essa motocicleta me conquistou. Era, também mais barata do que as Multistrada maiores.

A Ducati Multistrada 950 agora dá lugar à Ducati Multistrada 950S , que chega com a mesma mecânica da antecessora mas com muito mais equipamentos eletrônicos. Visualmente, chega a ser difícil distiguir as duas versões, mas as rodas raiadas de série não deixam dúvida de que se trata da Ducati Multistrada 950S 2021.

A apresentação da nova Ducati Multistrada 950S foi feita em uma live na internet, mas desta vez eu pude ir até lá para conhecer a motocicleta de perto. Em breve estarei pilotando uma pelas ruas e, preferencialmente, por estradas.

Além das rodas raiadas, que têm construção de forma a permitir o uso de pneus sem câmara, a nova Multistrada 950S ganhou uma série de itens eletrônicos de conveniência e segurança, como o cruise control (erroneamente conhecido por piloto automático), quick shift DQS (permite troca de marchas ascendentes e descendentes sem usar a embreagem), e suspensões semiativas totalmente eletrônicas DSS (compressão e retorno são continuamente ajustados durante a pilotagem).

Veja Também:  Veja 5 SUVs econômicos seminovos até R$ 60 mil

O novo sistema eletrônico de medição inercial de seis eixos IMU controla diversos sistemas na motocicleta, desde o Cornering ABS dos freios, que podem ser acionados em curvas, com a motocicleta inclinada, até o desligamento dos piscas, pois o sistema entende que a conversão terminou quando a motocicleta volta à vertical.

Faz parte do sistema de iluminação totalmente de leds da 950S o DCL, Ducati Cornering Lights, que direciona as luzes externas do conjunto ótico para dentro da curva, sistema também controlado pelo IMU.

Compondo um pacote de itens bastante interessantes, a Ducati Multistrada 950S tem ainda o novo painel de instrumentos de TFT, controles dos punhos do guidão retroiluminados e o VHC, que auxilia paradas e arrancadas em aclives, mantendo os freios acionados por até 9 segundos.

Foram mantidos os sistemas já conhecidos na Multistrada anterior, como o Hands Free, que dispensa a chave para acionamento da ignição, o controle de tração ajusteavel em oito niveis, os quatro modos de pilotagem (Touring, Sport, Urban e Enduro). O motor bicilíndrico Testastretta desmodrômico de 937 cm3 mantém a potência de 113 cv (75 no modo Urban) e o torque de 9,6 kgfm.

Veja Também:  Mitsubishi revela primeiro teaser do Eclipse Cross 2021

Depois de desembolsar R$ 94.990, coça as mãos a ideia de gastar mais um pouco para equipar a Ducati Multistrada 950S com um ou mais acessórios disponíveis, todos muitíssimo atraentes. O conjunto de malas, duas laterais e o top case, pode ser o de alumínio, grande porém ideal para longas viagens, ou o de plástico, pequeno mas belo e bem mais prático.

Há também o para-brisa escurecido e mais alto, o escapamento Termignoni, o protetor da bomba d’água, setas de led, barras de proteção do motor, proteção do carter, proteção do radiador, manoplas aquecidas, cavalete central, bocal de abastecimento rápido e bolsas sobre o tanque, que são fixadas diretamente no bocal original de abastecimento. É claro que cada um desses itens é compatível com determinadas utilizações prioritárias da motocicleta.

Acompanhei a live pela internet e depois fui até o local conhecer a motocicleta. Agora só falta pilotar a nova Ducati Multistrada 950S, o que deverá acontecer muito em breve. Aguardem ansiosos, como eu.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros

Chevrolet confirma Onix Plus Midnight, que deve chegar às lojas em outubro

Publicado


source
Chevrolet Onix Plus Midnight
Divulgação

A primeira imagem do Chevrolet Onix Plus Midnight mostra o que podemos esperar do acabamento externo

A Chevrolet publicou o primeiro teaser do Onix Plus Midnight , novo integrante da família “sombria” da GM que conta com os mesmos elementos da picape S10 e do SUV Equinox . O irmão do Onix RS poderá chegar às concessionárias no início de outubro, mas o preço ainda não foi revelado.

Os veículos da linha Midnight costumam trazer a gravata da Chevrolet pintada de preto e rodas exclusivas com acabamento “black piano”. Os faróis devem contar com o revestimento em máscara negra, assim como o irmão Onix RS . Por dentro, podemos esperar acabamento totalmente preto no painel e tecidos, com central multimídia MyLink e sistema de assistência OnStar.

O Onix Plus Midnight não terá novidades abaixo do capô. O motor será o mesmo 1.0 turbo de 3 cilindros, com 116 cv de potência e 16,8 kgfm de torque, e câmbio automático de 6 marchas, que equipa o resto da linha.

Veja Também:  Mitsubishi revela primeiro teaser do Eclipse Cross 2021

Linha Midnight

Chevrolet Equinox Midnight
Divulgação

Chevrolet Equinox Midnight, o SUV médio com acabamento especial

A Chevrolet está investindo pesado na linha Midnight, que já conta com dois veículos: S10 e Equinox. Antes do lançamento do Novo Tracker em março de 2020, a antiga geração do SUV compacto também contou com uma versão “escurecida”. Há a expectativa de que o modelo retorne durante a nova geração.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana