conecte-se conosco


Política Nacional

Lula pede que STF anule decisão do TRF-4 que o condenou a 17 anos

Publicado

source
Lula preocupado arrow-options
Marcelo Camargo

Lula foi condenado em segunda instância em dois processos da Lava Jato

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a anulação da decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) que o condenou a 17 anos, um mês e 10 dias de prisão no processo do sítio de Atibaia, um dos que foram abertos no âmbito da Operação Lava Jato. Lula foi considerado culpado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Leia também: Campanhas de Gleisi e Fátima Bezerra receberam propina, diz Palocci em delação

Na segunda-feira da semana passada (25), o ministro Edson Fachin, relator dos processos da Operação Lava Jato no STF, negou um pedido apresentado pela defesa que queria suspender o julgamento do caso. Com isso, o TRF-4 pôde analisar o processo na quarta-feira (27). O novo pedido para anular a condenação foi apresentado como recurso no mesmo habeas corpus rejeitado por Fachin na semana passada.

Na última quarta, por unanimidade, os três desembargadores da 8ª Turma do TRF-4 votaram para manter a condenação imposta pela juíza Gabriela Hardt, que cuidou por alguns meses dos processos da Lava Jato após a saída do ex-juiz Sergio Moro. Além disso, aumentou a pena de 12 anos e 11 meses para 17 anos, um mês e 10 dias.

Veja Também:  Prefeitos do ABC pedem que Doria afrouxe quarentena nas sete cidades da região

Leia também: “Lula faz parte do passado do país”, diz Sergio Moro

Lula é acusado de aceitar reformas na propriedade feitas pela Odebrecht e OAS, com dinheiro de propina decorrente de contratos da Petrobras , no valor de R$ 1 milhão.

Fonte: IG Política
publicidade

Política Nacional

Moraes tem informação para operações mais explosivas, mas prefere esperar

Publicado


source
Alexandre de Moraes inquérito das fake news
Marcos Oliveira/Agência Senado

Alexandre de Moraes é o relator do inquérito das fake news

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF),  Alexandre de Moraes gerou polêmica, nesta quarta-feira (27), ao decretar operações policiais do inquérito das fake news . Contudo, Moraes possuía informações para realizar operações de potencial político ainda mais explosivo, segundo informou nesta sexta (29) a coluna de Mônica Bergamo da Folha de S. Paulo .

Leia também: Sara Winter diz que Alexandre de Moraes “nunca mais vai ter paz”; assista

Alexandre de Moraes , no entanto, resolveu esperar os resultados da operação de quarta e acumular mais materiais antes de realizar a próxima operação, segundo articuladores do ministro informaram à coluna.

Nesta quarta, Moraes solicitou que a Polícia Federal (PF) realizasse 29 operações de busca e apreensão nas casas de alvos do inquérito das fake news. Entre os alvos estavam empresários e ativistas aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

O presidente teme que seu filho , o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), seja um dos próximos alvos do inquérito. Em abril, Carlos foi apontado pela PF como articulador de um esquema criminoso  de fake news .

Veja Também:  Prefeitos do ABC pedem que Doria afrouxe quarentena nas sete cidades da região

Leia também: Alexandre de Moraes tem maioria: STF deve manter inquérito das fake news

Na operação de quarta, Alexandre de Moraes determinou que fossem apreendidos computadores e celulares dos alvos para investigar um suposto grupo criminoso de disparo de fake news e ataque contra o STF. As informações encontradas nos dispositivos podem embassar os próximos passos do inquérito.

Continue lendo

Política Nacional

Toffoli receberá alta, mas ficará 10 dias afastado

Publicado


source

Agência Brasil

Dias Toffoli
Carlo Moura/SCO/STF

Dias Toffoli testou negativo para Covid-19.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, deverá ter alta médica nos próximos dias, mas terá que ficar afastado do trabalho por mais 10 dias . De acordo com boletim médico divulgado hoje (29), Toffoli apresentou melhora do quadro de saúde nas últimas 48 horas e ficará em repouso domiciliar após deixar o hospital onde está internado em Brasília.

Leia também: Weintraub fica em silêncio durante depoimento à PF

No sábado (23), Toffoli passou por uma cirurgia para retirada de um ˜pequeno abscesso”. Apesar de a cirurgia ter transcorrido bem, o ministro apresentou sintomas da covid-19 e ficou internado para observação. Os exames realizados pelo ministro deram negativo para Covid-19 .

Na ausência de Toffoli, o Supremo é comandado pelo vice-presidente, ministro Luiz Fux .

Boletim médico

A íntegra do boletim sobre o estado de saúde de Toffoli, é a seguinte:

“O presidente do STF, Ministro Dias Toffoli, foi internado no Hospital DFStar, no último dia 23, e submetido a um pequeno procedimento cirúrgico de urgência. Devido a um quadro de pneumonia, foram realizados testes específicos para covid-19, cujos resultados foram negativos. Houve melhora clínica significativa com as medidas terapêuticas implementadas nas últimas 48 horas, com previsão de alta para os próximos dias. O paciente permanecerá com a recomendação de repouso domiciliar, afastado das atividades laborais pelo menos por dez dias, quando será reavaliado pela equipe médica.”

Veja Também:  Prefeitos do ABC pedem que Doria afrouxe quarentena nas sete cidades da região

Leia também: Moro diz que vetos de Bolsonaro ao projeto anticrime foram para proteger Flávio

Assinam o boletim os médicos João Pantoja, pneumologista e diretor-geral do Hospital Copa Star; Ludhmila Abrahão Hajjar, cardiologista e intensivista do Villa Nova Star; Pedro Loretti, diretor-geral do DF Star; e. Luiz Lobato, cirurgião.

Continue lendo

Política Nacional

Weintraub fica em silêncio durante depoimento à PF

Publicado


source
Weintraub
Marcos Corrêa/PR

Durante o depoimento, Weintraub não respondeu às perguntas.

O Ministro da Educação , Abraham Weintraub, ficou em silêncio e não respondeu à perguntas durante depoimento prestado à Polícia Federal (PF) na tarde desta sexta-feira (29). Interrogatório faz parte do inquérito das fake news e foi realizado por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia também: ‘Odeio o termo povos indígenas’, diz Weintraub em reunião ministerial

O objetivo do depoimento de Weintraub era esclarecer a afirmação feita pelo ministro na reunião ministerial do dia 22 de abril. Na ocasião, Weintraub disse que ” botava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF “.

O governo tentou impedir a realização do depoimento. O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça , chegou a entrar com um pedido de habeas corpus preventivo para suspender o interrogatório. 

Veja Também:  Moraes tem informação para operações mais explosivas, mas prefere esperar
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana