conecte-se conosco


Mato Grosso

MEC exige que escolas deixem um responsável para receber livros didáticos para 2020

Publicado

O Ministério da Educação (MEC) solicita atenção às escolas que participam do Plano Nacional do Livro Didático (PNLD), uma vez que os livros didáticos para o ano letivo de 2020 serão distribuídos nos meses de dezembro de 2019 e janeiro de 2020. As escolas precisam informar no sistema PDDE Interativo/SIMEC, na aba “dados”, nome, CPF e telefone da pessoa que ficará responsável por receber os livros na escola nesse período.   

Segundo a responsável pelo livro didático da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Nilséia Maldonado, as entregas serão realizadas pelos Correios, de segunda a sexta-feira, em horário comercial e aos sábados, no período matutino.

“A entrega é feita para as escolas urbanas. As unidades escolares do campo, quilombola e indígenas ficarão sob responsabilidade das respectivas Assessorias Pedagógicas. Não havendo Assessoria Pedagógica no município, os livros ficarão nas secretarias municipais de educação à disposição das escolas”, esclarece Nilséia.

Matrículas

As escolas têm até o próximo domingo (15.12) para informar a quantidade de alunos a serem atendidos no ano letivo de 2020. A informação deverá constar no sistema PDDE Interativo/SIMEC, na aba “matrícula”.

Veja Também:  Governo esclarece composição do preço de medicamentos em Mato Grosso

Conforme Nilséia Maldonado, o Ministério da Educação quer uma previsão, uma vez que as matrículas para alunos novos serão somente em janeiro.

“As escolas deverão informar uma estimativa para que o número de livros entregues não seja inferior a quantidade de alunos, assinala.

Devolvidos

O MEC solicita também dados sobre livros do ensino médio que serão devolvidos à unidade escola, uma vez que são reutilizáveis. “Os livros de arte, sociologia e filosofia não precisam ser devolvidos, pois são destinados ao uso exclusivo do aluno ao longo do ensino médio”, destaca Nilséia.

Fonte: GOV MT
publicidade

Mato Grosso

Em redes sociais, digital influencer ”Carla Bora” mostra hematomas e acusa namorado em Cuiabá

Publicado

Reprodução

A digital influencer Carla Reis, conhecida como “Carla Bora”, conhecida pelo bordão “bora? Bora tomar uma?”, que viralizou o Brasil no ano de 2016, usou sua página no Instagram para denunciar um caso de violência doméstica. Carla é de Várzea Grande.

Na madrugada desta sexta-feira, ela postou stories informando que foi agredida pelo namorado, um empresário do ramo de construção civil. “Carla Bora” relata que já realizou a denúncia para as autoridades policiais. Na sua página, contudo, não relatou como ocorreram as agressões, mas mostrou hematomas no braço.

A digital influencer ainda pede que as mulheres tenha coragem para denunciar, “mesmo quando ama”. Carla faz os relatos nos stories e não aparece de corpo inteiro como de costume. Nos vídeos, mostra apenas parte de seu rosto.

Além das fotos e dos vídeos, “Carla Bora” mostra uma suposta mensagem de seu namorado lhe pedindo desculpa e prometendo um noivado para reatar o relacionamento. “É difícil sair de um relacionamento ainda mais quando AMA, mas precisamos nos AMAR em primeiro lugar”, diz a postagem.

Antes de revelar o ocorrido na rede social, Carla ainda fez uma postagem de um folder que descreve e explica como a mulher pode identificar os sinais de um relacionamento abusivo.

Veja Também:  Escola de Itaúba aposta em aula de campo para ensinar bioma amazônico

Na manhã desta sexta-feira (24), Carla postou um foto desejando “bom dia” a seus seguidores.

Recentemente, no mundo das celebridades e famosos, muitas mulheres tem tomado coragem para denunciar namorados e maridos que também tem status e fama. Essas ações tem dado um apoio para casos que ocorrem corriqueiramente.

Tocador de vídeo

Continue lendo

Mato Grosso

Trabalhador é atacado por abelhas durante limpeza de área em zona rural de Rondonópolis

Publicado

Corpo de Bombeiros – MT

Um trabalhador foi atacado por abelhas, enquanto fazia a limpeza de uma área na localidade Marajá, zona rural de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá. O caso foi registrado no sábado (18). Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) esteve no local para fazer o atendimento.

Um vídeo feito por uma testemunha mostrar o momento em que Juraci Belarmino da Rocha, de 58 anos, é socorrido. Ele foi levado para uma Unidade de Pronto Atendimento, chegou a ficar internado, mas já foi liberado.

Juraci estava acompanhado de outro trabalhador, cujo nome não foi divulgado. Entretanto, ele conseguiu correr e não foi atacado.

Falta de equipamentos

De acordo com o Sargento Reinaldo Souza, do Corpo de Bombeiros, houve dificuldade no resgate, porque o núcleo de Rondonópolis não têm roupas específicas para atendimentos como este.

Os militares usaram capa de chuva, capacetes e lençóis para conseguir fazer o resgate sem que também fossem atacados por abelhas.

Continue lendo

Esportes

Operário de Várzea Grande desiste de contratar goleiro Bruno

Publicado

Reprodução

O Clube Esportivo Operário Várzea-Grandense (CEOV) informou, nesta quarta-feira (22), que não irá mais contratar o goleiro Bruno Fernandes, condenado a mais de 20 anos de prisão pelo sequestro, assassinato e ocultação do cadáver de Eliza Samudio, em 2010. Um comunicado foi emitido à imprensa, entretanto, não justifica o motivo da desistência. Sabe-se que nos últimos dias, a Eletromóveis Martinello desautorizou o uso da marca em uniformes do Clube, assim como a cooperativa Sicredi.

Contra a vinda do goleiro o time, na noite de terça-feira (21), manifestantes se reuniram no entorno do estádio Dito Souza, instalado no bairro Cristo Rei, em Várzea Grande, onde seria realizada uma partida de futebol do tricolor. As mulheres estavam vestidas de preto e, além de cartazes, seguravam um cartão vermelho nas mãos, que indica a expulsão de um jogador em uma partida de futebol.

O ato organizado pelo Bloco das Mulheres contou também com a presença de homens. Diversos cartazes foram expostos com frases do tipo: ‘Feminicida não pode ser exemplo’; ‘Matar mulher é grave sim’; ‘Não compre ingresso, não pague para ver feminicida’; ‘Operário sim, assassino não’.

Veja Também:  Governo esclarece composição do preço de medicamentos em Mato Grosso

Manifestantes repudiam contratação do goleiro Bruno pelo Operário

Também na terça-feira, a Martinello anunciou que desautorizou o uso da marca nos uniformes do time e em painéis utilizados em entrevistas. A empresa alegou não concordar “que condenado por crime tão grave e torpe seja elevado ao patamar de ídolo esportivo, pois o esporte é para cidadãos exemplares que cultivam a vida, o respeito ao próximo e o espírito de equipe”.

Na segunda-feira (20), a cooperativa Sicredi anunciou que irá retirar sua marca dos uniformes, mas alegou que ausência do logo nas camisetas do Operário ocorre em função da estratégia da empresa. Ao Olhar Direto, a assessoria informou que o Sicredi patrocina a Federação Mato-Grossense para o Campeonato Estadual de Futebol 2020 e não o Operário. Acrescentou ainda, por meio de nota, que não comenta as contratações de jogadores feitas pelos clubes.

Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana