conecte-se conosco


Carros

Mercedes-Benz GLC se atira em mares desconhecidos com nova versão diesel Enduro

Publicado

Mercedes-Benz GLC arrow-options
Cauê Lira/iG Carros

Mercedes-Benz GLC ganha nova central multimídia com recurso de inteligência artificial

O Mercedes-Benz GLC é puro status, mas faltava tecnologia e apelo. Com a reestilização recente na Alemanha, a marca de Stuttgart decidiu mexer no tabuleiro do grandalhão no Brasil, reposicionando algumas versões e lançando a versão diesel. A partir de agora, o motor gasolina será exclusividade do Coupé na linha GLC  – que traremos para nossa redação em um segundo momento.

LEIA MAIS: Será que o novo Range Rover Evoque é capaz de manter o “hype”?

Com a mudança completa da linha, o preço também subiu. Antes anunciado por R$ 270.900 (na antiga versão 250 Highway, a gasolina), os modelos diesel já partem de R$ 294.900 no modelo Off-Road e R$ 329.900 na versão Enduro, que avaliamos nesta matéria.

Antes de tudo, palmas para as mudanças no visual do GLC. Os faróis mais ovalados que compõem a nova identidade visual da Mercedes-Benz caíram como uma luva no GLC .

Enquanto BMW e Audi apostam no mesmo conceito de dianteira para automóveis e SUVs, a estrela de três pontas decidiu criar uma intersecção no design. Por outro lado, o time de engenharia perdeu a oportunidade de melhorar a traseira que ainda divide opiniões. Não me agrada, mas gosto é gosto…

Por dentro, o SUV que era careta recebeu muita tecnologia. A nova central multimídia sensível ao toque (apresentada no Classe A, com 10 polegadas) se faz presente, com uma interface bem intuitiva, responsiva e interessante. Além de integrar os pareamentos para Apple CarPlay e Android Auto,há um mousepad no centro do console para facilitar a navegação.

Uma dos destaques do sistema é o novo recurso MBUX de assistência. Basta dizer “Hey, Mercedes”, aguardar a resposta e pedir para que o carro reduza a temperatura do ar-condicionado. Fizemos uma breve demonstração da interface no vídeo abaixo.

Veja Também:  Aceleramos um VW Gol GTI de 2ª geração na sua cor mais desejada

O cluster também é 100% digital (com 12,3 polegadas) abandonando a antiquada telinha que ficava entre os mostradores de velocidade e conta-giros analógicos. Para atrair um público mais descolado, o GLC também passou a integrar iluminação ambiente com luz de LED, com muitas opções de cores para customização. Todos esses recursos ajudaram muito no processo de “descaretização” do GLC, mas será que o carro continua agradável ao volante com motor diesel?

Comprovamos nas ruas

Mercedes GLC 220d arrow-options
Divulgação

Silêncio na cabine e agilidade para enfrentar as grandes cidades são características marcantes do Mercedes GLC 220d

Quando entrar pela primeira vez no GLC Enduro, o primeiro item que deverá chamar atenção é o isolamento acústico. Mesmo com o novo 2.0 turbodiesel, o SUV continua silencioso e sem vibrações incômodas. Por si só, isso já descarta aquele aspecto de “caminhão” que alguns utilitários mais robustos trazem. Aqui, estamos falando de um automóvel urbano.

O modelo entrega 194 cv e 39 kgfm entre 1.600 e 2.800 rpm – mais que suficiente para a cidade e estrada. O câmbio G-Tronic, de nove marchas, pode alterar seu comportamento de acordo com o modo de condução selecionado pelo motorista. Durante o fim de semana em que fiquei com o GLC, pude atestar a eficácia de todos.

LEIA MAIS: Peugeot 3008 ganha nova versão de entrada Allure

No modo esportivo, o grandalhão de 1.800 kg aumenta o intervalo entre as trocas de marcha, permitindo a aceleração de 0 a 100 km/h em meros 7,9 segundos. Vale lembrar que o GLC também conta com aletas para trocas de marcha atrás do volante, deixando sua tocada na estrada ainda mais interessante.

Veja Também:  Naked esportiva Kawasaki Z900 2021 chega ao Brasil por R$ 47.990

Este SUV, aliás, se mostra ideal para aqueles que curtem passear com a família. Além do amplo espaço interno para quatro adultos e uma criança viajarem com conforto, o porta-malas tem capacidade para 550 litros. O sistema de som premium desenvolvido pela Burmester tem 13 alto falantes, mas a qualidade não chega a emocionar.

Mercedes GLC 220d arrow-options
Divulgação

O cluster – que antes era analógico com uma pequena tela ao central – é 100% digital e configurável

No modo de economia de combustível,  o sistema de transmissão tem preferência por rotações baixas – mas as trocas de marcha acabam ficando mais lentas. Enquanto utilizava esse recurso na cidade, o GLC tardava a entender que estava entrando em uma subida, por exemplo. Nada que um toque na aleta para redução de marcha não resolva, mas é um tanto quanto incômodo fazer isso nos aclives.

Ainda que o GLC tenha 4,69 metros de comprimento e 2,02 m de largura, não tive dificuldades para manobrá-lo. Além de contar com bom raio de giro pelo tamanho, o SUV traz câmera 360° para facilitar a vida nas vagas mais apertadas do shopping.

LEIA MAIS: Sabemos que o Mitsubishi Pajero Sport vai bem na terra. E no asfalto?

Mais apelo

Tanta tecnologia fazia muita falta no Mercedes-Benz GLC , que tentará se enquadrar em um novo segmento. Os principais rivais do trio de ferro alemão (Audi Q5 e BMW X3) não oferecem opções diesel, dessa forma, resta saber se o Mercedão será capaz de bater o Volvo XC60 Diesel nas vendas. Atributos não faltam.

Preço:  R$ 329.900
Motor: 2.0, turbodiesel
Potência: 194 cv 
Torque: 39 kgfm entre 1.600 e 2.800 rpm
Transmissão: automático, 9 marchas, tração integral
Suspensão: McPherson (dianteira), braços sobrepostos (traseira)
Freios: discos ventilados (dianteira e traseira)
Porta-malas: 550 litros
Dimensões: 4,67 m (comprimento), 1,89 m (largura), 1,64 m (altura), 2,87 m (entre-eixos)
0 a 100 km/h: 7,9 segundos
Vel. máx: 210 km/h (limitada eletronicamente)

publicidade

Carros

BMW M8 Gran Coupé Competition 2021 inicia pré-venda no Brasil

Publicado


source
BMW M8 Gran Coupé Competition
Divulgação

BMW M8 Gran Coupé Competition: Novidade é a última palavra da engenharia quanto a união de desempenho com luxo e requinte

O esportivo de luxo BMW M8 Gran Coupé Competition acaba de iniciar sua pré-venda no Brasil. Com entregas programadas para setembro, seu preço sugerido é de R$ 1.136.950, assim, trata-se do novo modelo mais caro da marca. A novidade une tudo o que há de melhor dentro da marca em esportividade, conforto, sofisticação e tecnologia.

LEIA MAIS: BMW traz novo M2 Competition ao Brasil por R$ 439.950

A lista de equipamentos, portanto, é extremamente recheada. O BMW M8 Gran Coupé Competition taz três modelos de rodas de 20 polegadas, três opções de acabamento interno (fibra de carbono, black piano ou madeira), sete opções de revestimento em couro Merino e 81 cores de pintura externa, totalizando 5.103 tipos de combinação.

O pacote tecnológico do M8 Gran Coupé inclui recursos como Driving Assistant Professional (sistema de condução semi-autônoma), Reversing Assist (que registra e refaz, se necessário, os últimos 50 metros percorridos em marcha a ré).

Veja Também:  Aceleramos um VW Gol GTI de 2ª geração na sua cor mais desejada

LEIA MAIS: Ferrari traz ao Brasil novo supercarro que custa R$ 3,5 milhões

Há, ainda, o Parking Assistant Plus (sistema de estacionamento automático que capta imagens 360° no entorno do veículo), o sistema auxiliar de condução que obedece comandos por voz (Live Cockpit Professional), Head-up Display colorido, Night Vision (visão noturna) para reconhecimento de pedestres, além de conectividade Android Auto e Apple Car Play.

Como um bom puro-sangue da sub-divisão esportiva M, o M8 Competition é equipado com um motor 4.4 V8 de 625 cv e 76,5 kgfm. Em conjunto com o câmbio automático de 8 marchas e a tração integral, ele vai de 0 a 100 km/h em 3,3 segundos e de 0 a 200 km/h em 10,6 segundos. A velocidade final é de 305 km/h.

LEIA MAIS: Novo Audi R8 chega com 1,6 milhão de combinações de acabamento

Ainda quanto ao conjunto mecânico, o BMW M8 conta com suspensão duplo-A na frente e multi-link de cinco braços na traseira, usando um sistema adaptativo para ler as condições da via e ajustar os amortecedores. O motorista ainda pode usar o M Mode, com os modos M1 e M2, que alteram a resposta do motor, suspensão, direção, freios e tração integral. Os freios a disco ventilados da BMW são de 396 mm na frente e 381 mm na traseira, com pinças de seis pistões.

Veja Também:  Naked esportiva Kawasaki Z900 2021 chega ao Brasil por R$ 47.990
Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros

Honda CB 650R e CBR 650R 2021 chegam às lojas no lugar das “F”

Publicado


source
Honda
Divulgação

Honda CB 650R e CBR 650R chegam com novidades na mecânica e na posição de guiar para uma melhor interação homem-máquina

A Honda começa a vender as novas CB 650R e CBR 650R. A principal diferença entre uma e outra é o visual, já que dividem motor, chassi, suspensão invertida e freios. A primeira é uma naked, e sai por R$ 39.416. A segunda é carenada, e custa R$ 41.080. Para a Honda CB 650R as cores disponíveis são azul, vermelho e prata, enquanto a CBR 650R tem opções vermelho e cinza. Ambas contam com freios ABS, controle de tração e embreagem deslizante de série.

LEIA MAIS: Honda CB 500: as virtudes de uma família unida

A fabricante fez uma série de melhorias no motor da linha 650 R, alterando o desenho de pistões e das câmaras de combustão. O comando de válvulas, a corrente de acionamento e as molas também foram modificados. Em ambas as Honda CB 650 , os quatro-cilindros de 649 cc produzem 88,4 cv, com câmbio de seis marchas, 15,4 litros de tanque de combustível, disco de 31 cm na dianteira e 24 cv na traseira, bem como acionamento dos piscas em frenagens fortes acima de 56 km/h.

Veja Também:  Mitsubishi Eclipse Cross ganha séries limitadas Sport e Outdoor

LEIA MAIS: Honda CB 500X e CB 500F 2020 chegam às concessionárias

A suspensão dianteira Showa SFF, por sua vez, tem 12 cm de curso, enquanto a traseira tem 12,8 cm, com sete possibilidades de regulagem de pré-carga. A altura do assento também é a mesma para as duas motos, com 81 cm. O peso da CB 650 R é pouco menor: 191 kg em ordem de marcha.

A versão carenada é 5 kg mais pesada e vai para os 196 kg. Elas ainda trazem, ainda, iluminação Full-LED, painel de instrumentos tipo black-out LCD com indicador de marchas e luz que alerta o momento ideal para troca de marchas.

LEIA MAIS: Honda CB-F conceitual é revelada para se integrar à família Neo Sports Café

A posição de pilotagem de ambas foi revista em relação às antecessoras “F”. Na Honda CB 650R, o guidão foi avançado em 13 mm e está 8 mm mais baixo, alterações que foram complementadas pela elevação das pedaleiras em 6 mm e recuo de 3 mm. O resultado, segundo a marca, é um posicionamento mais esportivo e coerente com a proposta Neo Sports Café. A Honda CBR 650R , agora trazem os semi-guidões avançados em 30 mm, para o condutor usar melhor a proteção da bolha para-brisa.

Veja Também:  Fiat Fiorino e companhia seguram queda do mercado na pandemia
Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros

Corolla Cross é o SUV nacional da Toyota que chega em 2021

Publicado


source
Toyota Corolla Cross
Divulgação

Toyota Corolla Cross chegará ao Brasil para concorrer com SUVS médios, como Jeep Compass e o VW Tarek, que também estreia em 2021 no País

A Toyota revelou na Tailândia nesta quinta-feira (9) o SUV Corolla Cross, modelo que será produzido no Brasil em 2021, na mesma fábrica de Sorocaba (SP) onde atualmente são feitos os modelos Yaris e Etios.

LEIA MAIS: Dossiê Toyota: Veja todos os lançamentos da marca no Brasil até 2025

Como fica claro no nome, o utilitário esportivo é derivado do Corolla e utiliza também a variação C da plataforma modular TNGA. Com 4,460 m de comprimento, 1,825 m de largura e entre-eixos de 2,640 m, o Corolla Cross é pouco maior que um Jeep Compass, mas tem porte menor que o do SUV médio “de verdade” RAV4, com os seus 4,60 m de comprimento.

Além da plataforma, o SUV herda também o conjunto mecânico do sedã. Na Tailândia, além do conjunto motriz híbrido com potência combinada de 122 cv, existe a opção de um motor 1.8 de 140 cv. Por aqui, esse propulsor a gasolina deve ser substituído pelo 2.0 de 177 cv, que é a única opção não-híbrida do carro feito no Brasil.

Veja Também:  Corolla Cross é o SUV nacional da Toyota que chega em 2021

No visual externo, o Cross tem características próprias, ficando mais alinhado ao irmão maior RAV4 . Já no interior, por outro lado, o SUV é idêntico ao sedã, trazendo como diferencial os materiais e cores do acabamento.

Além do pacote de equipamentos de segurança Toyota Safety Sense, que segue a linha do Corolla brasileiro e inclui frenagem automática, alerta de desvio de faixa, controle automático de farol alto e o controlador automático de velocidade de cruzeiro adaptativo, o Corolla Cross traz ainda o câmera de 360º e monitor de tráfego cruzado na traseira.

O porta-malas, com 487 litros de capacidade, traz tampa com abertura motorizada e acionamento por sensor, que se soma a uma lista de itens de conforto que inclui banco traseiro reclinável, ar-condicionado automático de duas zonas com saídas na traseira.

LEIA MAIS: Por causa da pandemia, VW Tarek atrasa e fica para maio de 2021

Na Tailândia, onde chega nas concessionárias no próximo dia 24, o Corolla Cross tem preços que variam entre 989 mil bahts (R$ 167 mil) e 1.199.000 bahts (R$ 202 mil). Confira abaixo o vídeo oficial de lançamento do SUV.

Veja Também:  GM revela teaser da picape S10 renovada antes da estreia


Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana