conecte-se conosco


Nacional

Ministério da Saúde nega corte em UTIs e diz que ações no STF são injustas

Publicado


source
Ministério da Saúde
Agência Brasil

Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde disse, em nota enviada ao Uol neste domingo (28), que as ações no  Supremo Tribunal Federal (STF) de governos estaduais para a reativação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) são “injustas” e “desnecessárias”.

Neste sábado (27), a ministra do STF Rosa Weber concedeu liminar para que o ministério retome o custeio de UTIs  nos estados de São Paulo, Maranhão e Bahia, suspenso gradativamente desde o início. A decisão atendeu ao pedido feito pelas Procuradorias dos estados.

De acordo com o ministério, porém, não houve, “em nenhum momento, desabilitação ou suspensão de pagamentos de leitos de UTI para tratamento de pacientes da Covid-19 .”

A pasta ainda acrescenta que “os pagamentos têm sido feitos conforme demanda e credenciamento dos governos dos estados”. “Ressalta-se que conforme pactuação tripartite do Sistema Único de Saúde, a abertura e viabilização física dos leitos cabe aos gestores estaduais e municipais, cabendo ao Governo Federal o custeio das estruturas – no caso dos leitos Covid-19, com valor de diária dobrada, no valor de R$ 1.600”, escreveu o ministério.

Veja Também:  Homem ficou 15 anos preso sem ser processado: 'Quero reencontrar meus filhos'

O Ministério da Saúde ainda alega que pediu, em janeiro, crédito extraordinário de R$ 2,8 bilhões à União para custear ações de enfrentamento à pandemia de Covid-19 , o que inclui o custeio de leitos de UTI .

“O recurso, liberado por meio de Medida Provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro na última quinta-feira (25/2), será repassado aos estados demandantes para pagamento de leitos em uso desde o mês de janeiro pelas unidades federadas”, afirma a pasta.

publicidade

Nacional

Ministro Luiz Fux marca julgamento sobre CPI da Covid para a próxima quarta (14)

Publicado


source
Presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux
Agência Brasil

Presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux

O ministro Luiz Fux , do Superior Tribunal Federal ( STF ), marcou para a próxima quarta-feira (14), o julgamento sobre a CPI da Covid . Neste sábado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) que a Comissão Parlamentar de Inquérito não deveria investigar apenas o governo federal , mas também prefeitos e governadores

Na última quinta (7), o ministro Luís Roberto Barroso, também do STF, determinou a instalação da  CPI.  O objetivo da comissão é investigar as ações e possíveis omissões do governo Bolsonaro no combate à pandemia do coronavírus. 

Entregue em fevereiro, o pedido da oposição já havia preenchido todos os requisitos, mas o presidente do Senado,  Rodrigo Pacheco (DEM-MG),  eleito ao cargo com apoio do presidente, vinha resistindo em instalá-la. (*) Mais informações em instantes

Veja Também:  Bolsonaro chama Doria de 'patife' e critica STF por fechamento de igrejas
Continue lendo

Nacional

Lula pede ajuda a Itália para ‘governança global’ contra a Covid-19

Publicado


source
Lula pede ajuda à Itália para 'governança global' contra a Covid-19
Reprodução

Lula pede ajuda à Itália para ‘governança global’ contra a Covid-19

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva  fez um apelo nesta sexta-feira (9) ao governo italiano para ajudar na criação de uma “governança mundial” para combater a pandemia do novo coronavírus.

Durante entrevista ao programa italiano Tg2 Post, o petista afirmou que “o Brasil tem um governo totalmente irresponsável” na gestão da emergência sanitária e “desrespeitoso com a população”.

“A Covid é um flagelo que deve ser enfrentado mundialmente. Já falei sobre isso a várias lideranças. Quero dizer também à Itália, que presidirá o G-20, e ao primeiro-ministro Mario Draghi, que crie uma governança global para combater a pandemia”, afirmou Lula, garantindo que também falará com o papa Francisco.

No programa italiano, Lula voltou a criticar o atual chefe de Estado, Jair Bolsonaro, chamou ele de “genocida” por seu comportamento e afirmou que deve enfrentá-lo nas próximas eleições presidenciais de 2022.

Segundo ele, se o país tivesse um governo responsável, que incentivasse o isolamento social e o uso de máscaras, a situação seria outra, mas ao invés disso as pessoas vão para a praia.

Veja Também:  Ministro Luiz Fux marca julgamento sobre CPI da Covid para a próxima quarta (14)

“Só o Brasil não quer um lockdown porque temos um presidente genocida. É uma palavra forte mas estou me referindo a um presidente [Bolsonaro] que está levando a população brasileira ao genocídio”, enfatizou Lula.

Você viu?

Atualmente, o território brasileiro vive o pior momento da pandemia, com recordes diários de mortes e colapso no sistema de saúde pública. Desde o início da crise sanitária, o país acumula mais de 348 mil mortes e 13,3 milhões de casos de Covid-19.

Para o líder da esquerda brasileira, a situação crítica vai continuar até que haja vacina para todos, mas os imunizantes não podem ser administrados pelo mercado.

Sobre uma possível candidatura para disputas as próximas eleições presidenciais, Lula garantiu que, “se as condições forem boas”, irá concorrer em 2022 contra Bolsonaro, porque “a situação no Brasil piorou”.

“As condições de visa são críticas, nos anos do meu governo o Brasil foi diferente, os cidadãos tinham orgulho de seu país, as desigualdades eram menores”, acrescentou o petista, que também acusou o ex-juiz federal Sergio Moro de condená-lo injustamente.

“Moro se enganou, mentiu. Eu disse a ele: você quer me condenar porque cometi um crime gravíssimo, permiti que os pobres frequentassem as universidades, dei-lhes dignidade e direitos”, finalizou.

Segundo pesquisas eleitorais, Lula aparece numericamente à frente de Bolsonaro nas intenções de voto no pleito de 2022.

Continue lendo

Nacional

Ministro Luis Fux marca julgamento sobre CPI da Covid para a próxima quarta (14)

Publicado


source

O ministro Luiz Fux, do Superior Tribunal Federal (STF), marcou para a próxima quarta-feira (14), o julgamento sobre a CPI da Covid. Na última quinta (7), o ministro Luís Roberto Barroso, também do STF, determinou a instalação da CPI. O objetivo da comissão é investigar as ações e possíveis omissões do governo Bolsonaro no combate à pandemia do coronavírus. 

Entregue em fevereiro, o pedido da oposição já havia preenchido todos os requisitos, mas o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), eleito ao cargo com apoio do presidente, vinha resistindo em instalá-la. (*) Mais informações em instantes

Veja Também:  Expectativa de vida de brasileiro cai quase 2 anos com pandemia, diz Harvard
Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana