conecte-se conosco


Economia

Não dá para nivelar por baixo, diz Nubank sobre contratações de minorias

Publicado


source

Brasil Econômico

Cristina Junqueira Nubank
Reprodução Roda Viva/TV Cultura

Cristina Junqueira, co-fundadora do banco, disse no Roda Viva desta segunda-feira (19) que Nubank aposta em capacitação para resolver problema

Na noite desta segunda-feira (19), a sócia brasileira do  Nubank, Cristina Junqueira, esteve no programa Roda Viva, da TV Cultura. Ela fundou o banco junto com dois outros empresários em 2013 – o colombiano David Velez e o norte-americano Edward Wible. Perguntada sobre a dificuldade em contratar pessoas de minorias para cargos chave no Nubank, Junqueira disse que “não dá para nivelar por baixo”, mas que o banco aposta em capacitação.

“Estamos procurando uma pessoa para ser nossa líder global de diversidade e inclusão. Já faz algum tempo, já faz algum tempo que a gente está buscando (candidatos para) várias posições. Inclusive, tem uma posição de vice-presidente de marketing para trabalhar comigo que já estou há bastante tempo procurando e é difícil. Eu acho que recrutar Nubank sempre foi difícil. O maior desafio do Nubank é gente. Não dá para nivelar por baixo “, disse Junqueira sobre a dificuldade de contratação de pessoas negras e de minorias raciais no Brasil.

“É por isso que a gente investe em formação. A gente criou um programa gratuito, chamdo ‘Diversidados’ em que a gente ensina ciência de dados para pessoas que querem entrar nisso e a gente vai capacitar essas pessoas. Não adianta a gente colocar alguém para dentro que não vai ter condição de trabalhar com as equipes que a gente tem, de se desenvolver, de avançar na sua carreira, depois não vai ser bem avaliado… Aí a gente não está resolvendo problema, está criando outro”, afirmou a co-fundadora do Nubank.

Junqueira disse que há um movimento de funcionários negros do Nubank, o “Nublacks” e que o banco digital aposta em capacitação e contratação visando a diversidade.

Veja Também:  GOL voltará a operar comercialmente com o Boeing 737 MAX nas próximas semanas

Sobre o racismo nos algoritmos, a empresária disse que o Nubank não mapeia dados raciais e nem de gênero dos usuários.

Pix e Nubank

Questionada sobre qual será o diferencial do Nubank após a criação do  Pix pelo Banco Central, Junqueira disse que o atendimento ao cliente continuará sendo o forte do banco digital.

“Ainda tem muito espaço para a gente se diferenciar (depois do Pix). Temos uma equipe de 100 pessoas trabalhando só em Pix há mais de um ano, começamos há dois anos. A nossa grande aposta é continuar se diferenciando pela experiência do cliente, não só pelo fato de não cobrar tarifa”, disse Junqueira, explicando que o banco não só não cobra anuidade como também não tem “taxas escondidas”, diferentemente dos bancos tradicionais.

“O  Pix  é um pouco da ‘Nubankarização’ do mercado, porque a gente nasceu com essa cabeça das coisas serem instantâneas, grátis, sem cobrar tarifa, funcionando o tempo todo, sete dias por semana… Agora temos uma regulamentação que obriga as instituições financeiras a funcionarem de maneira instantânea para transação”, afirmou a co-fundadora do Nubank.

A mudança de mentalidade da  poupança também é um diferencial em que o Nubank deve apostar.

“A ideia é oferecer soluções de investimento para os 30 milhões de clientes do Nubank. É um absurdo ter rentabilidade no patamar de juros que a gente tem hoje. A gente não se conforma com R$ 1 trilhão ainda na poupança. É muito dinheiro num instrumento que não te corrige nem a inflação. No poder de compra real, você está perdendo dinheiro “, disse Junqueira.

Mulheres no mercado financeiro

Sobre a presença feminina no ambiente de trabalho, Cristina Junqueira diz que o Nubank tem uma política de trabalho flexível e remoto, e que isso ajuda na igualdade de gênero na empresa. Assim, mulheres mães podem ajustar o horário e homens pais também podem aderir.

A co-fundadora do Nubank lembrou que a extensão da licença maternidade de 4 para 6 meses no Brasil é permitida pela lei, mas que, no país, apenas 40% das mulheres pedem esse direito. “No Nubank, essa taxa é de 93%”, comparou.

Veja Também:  Procon-SP tem atendimento especial para Black Friday

Ela falou também sobre a falta de referências femininas no mercado financeiro e que, para combater isso, mulheres têm de ser melhores profissionais que os homens.

“Em condições iguais, o mundo vai favorecer o homem. E o que eu falo é: ‘não esteja em condições iguais, seja melhor ‘. Eu não tenho tempo para o mundo se tornar igual para minha carreira avançar”, disse Junqueira sobre a desigualdade entre homens e mulheres no mercado.

Vazamento de dados de clientes do Nubank

Perguntada pela influenciadora Nath Finanças sobre o vazamento de dados de clientes do Nubank, Junqueira disse que o fato foi “um grande mal entendido”.

“Esse caso acho que foi um grande mal entendido. O que ficou exposto foi o que qualquer pessoa expõe na internet: ‘olha, meu CPF é tal, minha agência é tal, minha conta é tal…’, foi exatamente o que o buscador pegou”, minimizou Junqueira.

A empresária disse que segurança de dados está diretamente ligada a investimentos em teconologia pelas empresas, e que o Nubank está alinhado com as melhores práticas de tecnologia.

História do Nubank e Cristina Junqueira

O Nubank foi, em só sete anos, de 30 para 2,7 mil funcionários. No ano de 2018, atingiu a categoria de “unicórnio”, nome dado a startups com avaliação de mercado acima de 1 bilhão de dólares.

O foco do Nubank é a otimização de serviços financeiros, como o cartão de crédito internacional sem anuidade e gerenciado por aplicativo.

Cristina Junqueira é engenheira com graduação e mestrado pela Escola Politécnica da USP, Junqueira tem MBA pela Northwestern University (Kellogg School of Management), uma das melhores escolas de negócios dos Estados Unidos.

Antes de criar o Nubank, Junqueira trabalhou em consultorias, como The Boston Consulting Group, e em bancos como Unibanco e Itaú Unibanco. Ela foi a única brasileira a ser reconhecida na edição 2020 da lista Fortune 40 under 40, que aponta jovens líderes que transformam o mundo dos negócios.

publicidade

Economia

flydubai inaugura operações comerciais regulares entre Israel e Emirados Árabes Unidos

Publicado


source

Contato Radar

undefined
Gabriel Araújo

flydubai inaugura operações comerciais regulares entre Israel e Emirados Árabes Unidos

A flydubai, companhia aérea emiradense, realizou nesta semana seu primeiro voo entre Dubai (DXB) e Tel Aviv (TLV), marcando assim, a inauguração das operações comerciais regulares entre os Emirados Árabes Unidos e Israel.

Conforme já destacado aqui no Contato Radar, os dois países firmaram um tratado de paz, dando fim às divergências diplomáticas que envolviam há anos as duas nações.

Sobre o voo histórico, Ghaith Al Ghaith, CEO da flydubai, comentou: “O voo inaugural de hoje (26) foi muito importante. A criação dessas ligações aéreas diretas apoiará o desenvolvimento de empreendimentos comerciais em vários setores, ajudando a impulsionar o sucesso e a prosperidade”.

“Estamos ansiosos para dar as boas-vindas aos primeiros passageiros de Israel quando eles vierem explorar os Emirados Árabes Unidos”, finalizou.

Esteja informado: clique aqui e leia mais notícias de aviação!

Além da flydubai, outras companhias demonstraram interesse em operar na rota. A israelense El Al programou o início das ligações entre os dois países no dia 13 de dezembro, enquanto a emiradense Etihad Airways programou o início das operações para o dia 28 de março de 2021, partindo de Abu Dhabi (AUH).

Veja Também:  flydubai inaugura operações comerciais regulares entre Israel e Emirados Árabes Unidos

O post flydubai inaugura operações comerciais regulares entre Israel e Emirados Árabes Unidos apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

Continue lendo

Economia

Bolsonaro: ‘Nosso posto Ipiranga é insubstituível’

Publicado


source
Bolsonaro
Reprodução / iG Minas Gerais

Durante evento no Palácio do Planalto, Bolsonaro ressaltou a importância do Posto Ipiranga

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que o ministro da Economia, Paulo Guedes , é “insubstituível” e o chamou de “posto Ipiranga”. Ambos participaram de um evento no Palácio do Planalto sobre desburocratização da administração pública.

A fala de Bolsonaro veio após o ministro da Economia ser chamado para falar ao público, mas decidir não subir ao púlpito. Então, depois de assinar os decretos do evento, Bolsonaro, disse que era para todo mundo ficar calmo, que ele não falaria sobre economia no lugar de Guedes.

“Pode ficar tranquilo, que o nosso posto Ipiranga é insubstituível, então não falarei de economia”, disse o presidente.

Na noite de quarta-feira, Guedes respondeu a algumas críticas de que ele estaria desacreditado. O ministro afirmou que a Bolsa de Valores está subindo e citou medidas que o governo tem conseguido avançar, como a lei de falências, a reforma da Previdência e o envio da reforma administrativa e do Pacto Federativo ao Congresso.

Veja Também:  Bolsonaro: ‘Nosso posto Ipiranga é insubstituível’

Questionado sobre a fala do presidente do Banco Central , Roberto Campos Neto, de que o país precisa de um plano para recuperar a credibilidade, Guedes alfinetou e disse que há um plano, e que se Campos Neto tivesse um melhor, que apresentasse. Os dois conversaram nesta manhã e, segundo interlocutores, a relação está “tranquila”.

No mesmo evento, Bolsonaro disse querer “paz, harmonia, tranquilidade e progresso” e comemorou o resultado do Caged , que registrou criação de 394,9 mil vagas em outubro. Segundo ele, os números positivos se devem ao trabalho do governo e do Congresso , citando o senador Jorginho Mello (PL-SC), autor do projeto que criou o Pronampe.

“Se nós acreditarmos nas projeções, nós vamos terminar o ano, mês de dezembro, com mais gente empregada do que em dezembro do ano passado, e isso atravessando uma pandemia. Devemos isso a muitas pessoas que trabalharam nesse sentido no Executivo e no Legislativo “.

Continue lendo

Economia

Procon-SP tem atendimento especial para Black Friday

Publicado


source

Agência Brasil

.
Rovena Rosa/Agência Brasil

Segundo a entidade, a reclamação registrada será enviada imediatamente para o fornecedor, que terá até dez dias para dar uma solução ao consumidor


O Procon de São Paulo (Procon-SP) disponibilizou um espaço em seu site para atender as reclamações referentes a promoções da Black Friday , evento que ocorre nesta sexta-feira (27). Segundo a entidade, a reclamação registrada será enviada imediatamente para o fornecedor, que terá até dez dias para dar uma solução ao consumidor.


“A defesa do consumidor terá prioridade total. Tome cuidado, siga nossas dicas e denuncie. Estamos atentos, e as empresas que tentarem transformar essa data promocional em uma dor de cabeça para o consumidor serão punidas exemplarmente”, destacou o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez.

Ao entrar no site do Procon na internet, o consumidor terá acesso a uma janela específica para fazer a reclamação sobre problemas relacionados à Black Friday . É possível informar queixas como maquiagem de desconto, mudança de preço ao finalizar a compra, pagamento com boleto bancário indisponível e pedido cancelado após a conclusão da compra, além dos casos de não entrega, demora ou produto ou serviço entregue com defeito.

Veja Também:  Bolsonaro: ‘Nosso posto Ipiranga é insubstituível’

Tradicional nos Estados Unidos, a Black Friday (sexta-feira negra) ocorre depois do feriado de Ação de Graças e marca o início da temporada de compras de fim de ano. O comércio aproveita a data para promover liquidações especiais e atrair mais consumidores.

O Procon-SP recomenda que, ao fazer as denúncias e reclamações, o consumidor indique o endereço da loja e apresente os prints das telas demonstrando o que ocorreu de errado com a compra.

Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana