conecte-se conosco


Carros

Os três pecados capitais do Fiat Cronos

Publicado

source
Cronos arrow-options
Divulgação

O Cronos tem a mesma distância entre-eixos do Fiat Argo, num momento em que os sedãs compactos crescem.

Diz a história que ao longo dos tempos a lista dos pecados capitais sofreu alterações e até foi reduzida. Desde o século XIII são sete:  soberba, avareza, luxúria, ira, gula, inveja e preguiça. Mas não é essa lista que nos interessa aqui, e sim os pecados capitais do Fiat Cronos. Aparentemente, o Cronos cometeu pelo menos três pecados capitais ao chegar ao mercado. E esses pecados não têm nada a ver com os pecados da esfera religiosa, mas sim com os poderosos mandamentos ditados pelo mercado consumidor.

LEIA MAIS: Golf Variant, a perua que morreu e não foi enterrada

O Fiat Cronos é um carro muito bom. Ele entrou na família Fiat para substituir, de uma só vez, o Linea e o Grand Siena. Sua missão era clara: tornar a Fiat competitiva num mercado onde nunca se deu muito bem. Baseado no Argo , o Cronos estreou bem e rapidamente conquistou elogios dos especialistas por seu design, seu comportamento dinâmico e a possibilidade de vir com os motores 1.3 e 1.8.

Mesmo assim, o Cronos entrou no último trimestre do ano num pífio 32º lugar no ranking dos carros de passeio. Considerando os 15 carros de seu segmento (sedãs pequenos e compactos), o Cronos está na oitava colocação, com 16.266 emplacamentos. Perde para Chevrolet Prisma (65.415), Ford Ka Sedan (36.500), VW Virtus (34.151), Hyundai HB20S (26.105), VW Voyage (23.494), Toyota Yaris (21.743) e Renault Logan (18.266).

Se serve de consolo, em setembro ganhou do Logan por 88 carros, mas perdeu para todos os citados. Entre os carros que o Fiat Cronos bate, estão o Chevrolet Onix Plus (acabou de estrear), Caoa Chery Arrizo 5 (não tem produção em grande volume) e o Chevrolet Cobalt (em fim de linha). Portanto, o Cronos só bate mesmo o Nissan Versa, o Toyota Etios, seu irmão Grand Siena (que ressuscitou por algum tempo) e o Honda City (muito mais caro).

Veja Também:  Harley-Davidson Softail FXDR ganha edição limitada com visual exclusivo

Como disse, o Cronos é um bom carro. Eu o compraria. Mas o mercado o rejeita, e acho que a razão não está nem Foro de São Paulo nem nas políticas de Donald Trump, para citarmos dois motivos, à direita e à esquerda, que são comumente usados no Brasil atual para justificar quando as coisas não dão certo. A razão, meus amigos, está nos três pecados capitais do Fiat Cronos.

Os pecados capitais do Fiat Cronos

Fiat Cronos arrow-options
Divulgação

O câmbio automatizado de embreagem simples definitivamente não é a melhor opção para um público cada vez mais exigente.

O primeiro pecado capital do Cronos foi ter mantido a distância entre-eixos no mesmo tamanho do Fiat Argo. O Cronos foi lançado praticamente junto com o VW Virtus, e uma das diferenças do sedã da Volks é que ele se aproveitou da plataforma modular para ser maior do que o Polo, seu irmão de linha. Bem, eu nunca ouvi falar que a FCA poderia ter feito o mesmo na linha Argo/Cronos, mas no avião que nos trouxe de Córdoba (Argentina) depois do lançamento do Cronos, sentei ao lado do diretor técnico da Fiat na ocasião, Claudio Demaria. Ele me disse que a Fiat poderia ter aumentado o entre-eixos do Cronos, mas decidiu não fazê-lo. Motivo: economia de custos.

LEIA MAIS: Arrizo 5e exibe consciência da Caoa Chery na carregoria dos carros elétricos

Curioso que naquele evento a Fiat disponibilizou um Prisma, um HB20S e um Etios. Mas, vejam só, as novas gerações do HB20S e do Prisma (rebatizado de Onix Plus ) vieram maiores do que eram. Ou seja: o Cronos perdeu a briga pelo espaço. Para além disso, ficou caracterizado como um carro do segmento B, enquanto seus principais concorrentes migraram para o B+. Traduzindo: optaram por ser maior, seguindo uma tendência de aumento dos carros. O mercado, aliás, comprova que só o Cronos errou. Segundo a Fenabrave, na comparação de 2019 com 2018, as vendas de sedãs compactos, o B+, cresceu de 4,0% para 4,9%, enquanto de sedãs pequenos, o B (caiu de 14,3% para 13,6%).

Veja Também:  Jeep Compass 2021 ganha novo motor 1.3 turbo entre as mudanças

O segundo pecado capital do Cronos é o motor. Seus principais concorrentes utilizam motor turbo, mas a Fiat ainda equipa o Cronos com motores naturalmente aspirados. Enquanto não vier a nova família de motores, o Cronos, com seus motores 1.3 e 1.8, vai sofrer diante dos motores mais eficientes da concorrência. Por eficiência entenda-se mais potência com menos consumo.

Cronos arrow-options
Divulgação

O Cronos oferece motor 1.3 e 1.8, mas todos são aspirados, enquanto a concorrência aposta em motores 1.0 turbo.

Finalmente, o terceiro pecado capital do Fiat Cronos é o câmbio automatizado de embreagem simples, o famoso GSR. É verdade que esse câmbio ficou melhor do que o antigo Dualogic, mas ainda assim ele está a léguas de distância dos câmbios automáticos de verdade usados pela concorrência. O novo Onix Plus, por exemplo, tem motor 1.0 turbo com câmbio automático de seis marchas. O Cronos, coitado, só oferece a transmissão automática (muita boa por sinal, de seis marchas) nas versões topo de linha, com motor 1.8. Ou seja: só para o consumidor mais abonado.

Já a versão 1.3, que é a de melhor relação custo-benefício do Cronos, só vai bem com o câmbio manual. O motor até faz sua parte, mas ninguém mais no Brasil quer transmissão manual. Então, nessa versão, a única opção do Cronos é o automatizado GSR, que dá trancos a cada mudança de marcha e ainda é mais caro do que o carro equipado com a caixa manual. 

LEIA MAIS: Hyundai Creta puxa fila do mercado de SUVs

Infelizmente, essa é a sina atual do Fiat Cronos . Um carro muito bom, bem construído, bem desenhado, gostoso de guiar na versão 1.8, com posição elevada como gosta o consumidor atual, com acabamento caprichado, ótimo porta-malas, suspensão acertadinha, um painel primoroso, com uma das melhores conectividades do mercado e um quadro de instrumentos matador (o melhor de todos), porém com alguns pecados que o deus mercado não perdoa. Que a Fiat corrija logo esses problemas e dê uma carreira de sucesso ao Cronos, porque ele merece.

Fonte: IG Carros
publicidade

Carros

Honda CT 125 Hunter Cub, uma “mini scrambler”, é revelada em teaser

Publicado


source
Honda
Divulgação

Honda CT 125 Hunter Cub: Novidade chega com espírito de aventura, alidado aos baixos custos de seu projeto

Apresentado como conceito no Salão de Tóquio (Japão),  a Honda CT 125 Hunter Cub foi revelada oficialmente em março deste ano. A versão pré-produção se modificou para a versão definitiva, que acaba de ser apresentada, para se adequar às demandas do mercado, e o novo teaser que a marca revela mostra bem isso. Também foi apresentada no Brasil, no Salão Duas Rodas, em outubro último, mas ainda não há prazos e mais informações que definam a sua chegada ao mercado brasileiro.

LEIA MAIS: Royal Enfield cria novas plataformas que vão originar uma scrambler

O visual da Honda CT 125 Hunter Cub é um fator que conta muito para o seu apelo off-road. Para reforçar o seu espírito, traz pneus de uso misto, vão livre de 165 mm em relação ao solo e o escapamento com ponteira elevada. Além disso, traz para-lama dianteiro de aço, tomada de ar do motor em posição elevada e a grande área para carga atrás do assento do piloto.

Veja Também:  Novo Hyundai Santa Fe é revelado grandes mudanças no visual

LEIA MAIS: Suzuki lança rival da Honda CB 250 Twister que seria interessante no Brasil

A nova “mini scrambler ” é equipada com um monocilíndrico de 124 cc refrigerado a ar, que desenvolve 8,8 cv e 1,1 kgfm, que move o câmbio semi-automático de quatro marchas, semelhante ao sistema da Biz 125 que conhecemos no Brasil. Em geral, a ideia é aprimorar a personalidade e a valentia em um segmento marcado pela economia, que é o das Cub .

LEIA MAIS: Triumph Scrambler 1200 ganha edição especial Bond Edition

Além disso, a Honda CT 125 Hunter Cub conta com freios a disco nas duas rodas e sistema ABS na roda dianteira. Um dos pontos que a Honda destaca é a sua economia de combustível: segundo a fabricante, a uma velocidade média de 60 km/h o consumo médio é de 60 km/litro.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros

Jeep Compass 2021 ganha novo motor 1.3 turbo entre as mudanças

Publicado


source
Jeep Compass
Divulgação

Jeep Compass 2021 quase não mudou nada na parte estética nas versões vendidas na Europa. No Brasil, poderá ser diferente

A Jeep mostra a linha 2021 do Compass na Europa, onde o SUV passará a ter novo motor 1.3 turbo e central multimídia mais moderna, mas quase sem mudanças no visual. Houve apenas a inclusão de novos detalhes nas lanternas. No Brasil, porém, onde o carro deverá mudar no ano que vem, espera-se mais novidades no desenho, nos moldes do que deverá acontecer na China, de acordo com imagens do flagra feitas em fevereiro último .

LEIA MAIS: Jeep aumenta preços de toda linha. Veja nova tabela

De qualquer forma, a principal novidade do Jeep Compass 2021 fica por conta do novo motor, que no Brasil será fabricado em Betim (MG), a partir do ano que vem. Aqui, será flex e deverá render mais que os 150 cv e 27,5 kgfm que entrega quando funciona apenas com gasolina europeia. Outro detalhe importante é que, pelo menos no mercado europeu, o novo motor funciona com câmbio de 6 marchas e dupla embreagem, difícil de vir a ser disponível no Brasil.

Veja Também:  Pela primeira vez, SUVs vendem mais que hatches pequenos no Brasil

Além do novo motor, o Jeep Compass 2021 passa a ter uma outra central multimídia, embora o aspecto seja igual ao da anterior. Vem com tela de 7 ou 8,4 polegadas e é conectada à internet. Com isso, agora o GPS exibe informações em tempo real, há previsão do tempo, entre outros recursos. No caso da versão híbrida do SUV , que será importada da Itália, também em 2021, haverá funções para ajudar no monitoramento e recarga das baterias que alimentam o motor elétrico.

LEIA MAIS: FCA confirma Renegade e Compass híbridos no Brasil; novo 500 será elétrico

Por falar no Jeep Compass híbrido, a tração é integral porque o eixo dianteiro se move pelo motor a combustão e o traseiro pelo elétrico. Ao todo, são 240 cv, somando as potências dos dois motores. E, de acordo com a fabricante, o consumo pode chegar a 47,6 km/l com o uso alternado de ambos. Mais informações serão divulgadas numa data mais próxima do lançamento no Brasil.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros

Novo Toyota Hilux traz visual atualizado, entre outras novidades

Publicado


source
Toyota Hilux
Divulgação

Nova Toyota Hilux é pensada para aprimorar a proposta robusta, aliado com o aumento da eficiência

A Toyota Hilux renovada foi apresentada hoje (4) na Europa. Com sua identidade mantida, a picape ganhou atualização no seu visual e no seu conjunto mecânico. Chega com nova grade de formato trapezoidal, bem como uma moldura escura que aumenta o aspecto robusto do modelo. Já o motor é o inédito 2.8 diesel, que chega acompanhado de melhorias na suspensão, direção hidráulica e na conectividade. O lançamento no Brasil é aguardado para o último trimestre, só resta saber se os planos serão ou não adiados devido à pandemia do novo coronavírus.

LEIA MAIS: Fiat Toro perde versões com motor 2.4 na linha 2021

Com 204 cv e 51 kgfm, a Toyota Hilux renovada vai de 0 a 100 km/h em 10 segundos, uma melhora considerável se comparada com os 12,8 segundos do modelo antigo, ainda vendido no Brasil. De acordo com a Toyota, o novo motor melhorou o desempenho da picape tanto no asfalto quanto na terra. A picape pode sair de fábrica equipado com câmbio de 6 marchas, manual ou automático, e sempre equipada com tração nas quatro rodas.

Veja Também:  Crise na pandemia faz aumentar procura por seguro sob medida

LEIA MAIS: Chevrolet S10 ou Toyota Hilux: Qual das picapes desvaloriza mais?

Visual e equipamentos

Hilux
Divulgação

Picape agora traz as últimas novidades da marca em conectividade, com Apple CarPlay e Android Auto

Os faróis de LED também foram redesenhados, passando a contar com um formato mais reto. Suas rodas de 18 polegadas também chegam diferentes do modelo atual, de modo a passar um visual de robustez mais moderno, algo observado também nas linhas da traseira. Apesar desta mudar menos que a dianteira da picape, ela ganhou novos apliques e a lanterna traseira ganha novos recortes. O interior, por sua vez, também foi redesenhado nesta atualização da picape japonesa .

LEIA MAIS: Avaliação: Toyota Hilux Flex vale para quem prefere dirigir nas alturas

O maior destaque da cabine é a nova central multimídia, com 8 polegadas, que recebeu botões mecânicos para, segundo a empresa, melhorar sua operação em todos os tipos de condução. A fabricante ainda diz que o sistema tem novo software, mais rápido e de melhor resposta que o antigo. Ele fornece conectividade com Apple CarPlay e Android Auto ao novo Toyota Hilux . O cluster ganha novos grafismos e o computador de bordo agora conta com exibição digital de velocidade.

Veja Também:  Suzuki lança rival da Honda CB 250 Twister que seria interessante no Brasil
Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana