conecte-se conosco


Policial

PM encontra arma de fogo durante reintegração e encaminha sete pessoas à delegacia

Publicado


Policiais militares em Cotriguaçu (a 950 km de Cuiabá) encaminharam a delegacia na quarta-feira (02.12), sete pessoas, sendo quatro mulheres, dois homens e um adolescente  por descumprimento de ordem judicial.

A equipe dava apoio a dois oficiais de justiça durante a reintegração de posso da Fazenda Pau D´Alho, na zona rural da cidade.

Durante o procedimento que contou com a participação de 17 policiais em cinco viaturas – foi apreendida uma carabina calibre 22, com 13 munições, além de um facão. O dono da arma foi identificado.

Na decisão, o juiz pontuou que se houvessem pessoas novamente na área em litígio deveriam ser conduzidas por descumprimento.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Veja Também:  Casal é preso suspeito de fazer contrabando de defensivo agrícola
Fonte: PM MT

publicidade

Policial

Polícia prende suspeito de participar da execução de Diretora e crime pode ser desvendado a qualquer momento

Publicado

Na tarde deste domingo (17), a Policia Militar realizou uma prisão no Bairro Dom Osório de um indivíduo com características suspeita de ter participado da execução da diretora geral do Saneamento Ambiental de Rondonópolis (SANEAR), Terezinha Silva de Souza.

Consta no Boletim de Ocorrência (BO), que em investigação continuadas e ininterrupta após o crime de execução de Terezinha, a equipe da 14ª Companhia Força Tática da Policia Militar, após receber denúncia anônima que um suposto suspeito, que trabalha de vigilante armado no Hospital Regional, poderia estar armado em uma residência no bairro Dom Osório e com a moto utilizada no homicídio da então presidente do sanear na última sexta-feira (15). Quando dois suspeitos em uma moto Honda Cb-300 de cor vermelha e utilizando jaquetas e capacetes escuros encostaram ao lado do veículo que a vítima estava e realizaram os disparos.

Ainda segundo a denúncia, o crime teria sido motivado pela demissão da esposa do acusado que trabalhava no Sanear e foi demitida por Terezinha, na terça-feira (12.01), após 05 anos trabalhando no local, de forma ríspida o que gerou uma discussão entre ambas, sendo que que o esposo da funcionária demitida, teria costume de andar armado e ser agressivo.

Veja Também:  Na linha da investigação I Quem matou Terezinha, quem foi o mandante do crime?

A Policia Militar em posse das informações, através da Força Tática, localizou a residência, com uma motocicleta de mesmas características no local (Honda CB-300 vermelha, com carenagem frontal e lateral pintadas de preto), chamou a proprietária do local, que informou que seu marido estava em casa, autorizando a entrada da equipe para buscas de ilícitos, mas informou que desconhecia ter alguma arma na casa.

Após revista na residência, não foi encontrada nenhuma arma de fogo ou munição no local, sendo localizados dois capacetes escuros aparentando ser os utilizados no crime de homicídio, um par de tênis, uma pasta do sanear, e a motocicleta aparentando ser a utilizada no crime, bem como o suporte de placa e alças traseira de mão e segurança da motocicleta, com indícios de recente remoção para supostamente descaracterizar o veículo suspeito.

O suspeito negou participação e que estaria em sua residência no momento do crime, após sair do serviço noturno de quinta para sexta-feira, sendo que teria ido direto para sua casa, no dia do crime.

Veja Também:  Investigado por crime bárbaro no sul de MT é localizado cinco anos depois

O suspeito foi encaminhado até a 1ª Delegacia de Polícia, após solicitação do delegado plantonista para prestar esclarecimentos.

 

Continue lendo

Policial

Na linha da investigação I Quem matou Terezinha, quem foi o mandante do crime?

Publicado

Na manhã da última sexta-feira (15), um crime bárbaro abalou a cidade de Rondonópolis, mas principalmente o meio político na base do atual prefeito Zé Carlos do Pátio. Trata-se do crime que tirou a vida da Executiva Terezinha da Silva Souza, Presidente da companhia de abastecimento de Rondonópolis (SANEAR), ela que era considerada uma das mais importantes personalidades e articuladora do grupo de pátio, carregava consigo a marca da boa gestão e assim sendo, desempenhando um trabalho de excelência frente à autarquia que hoje possui superávit e padrões acima dos demais órgãos do município.

        Terezinha Silva Souza – Assassinada

Terezinha se destacava também por seu modo durona e direta de ser, com cara de poucos amigos e poucas palavras, carregava consigo a fidelidade irrestrita ao seu chefe maior e amigo de longas datas “ZÉ DO PÁTIO”, Terezinha, tinha inclusive o papel fundamental no quesito financeiro das campanhas do atual gestor e amigo, sendo responsável inclusive por captar recursos segundo fontes ligadas à administração.

Veja Também:  Casal é preso suspeito de fazer contrabando de defensivo agrícola

Acontece que, para muitos a notícia da morte da executiva caiu como uma bomba!, Porém para outros acredita-se que nem tanto, e existe algo muito sigiloso e intrigante que a polícia precisa desvendar e que pode deixar a cidade ainda mais perplexa!

O que levaria alguém a cometer um crime contra uma senhora de 53 anos de idade, pessoa com cargo importante numa das mais fortes autarquias da cidade¿ afinal, não se tratou de um assalto, ficaram claras as evidências de um crime de execução e diga-se de passagem por pistoleiros profissionais que em meio ao trânsito e sob a garupa de uma motocicleta, efetuaram 3 disparos certeiros na vítima, mesmo tendo sido identificados pela polícia 7 disparos contra o veículo, nenhum, nem de raspão acertou o motorista que estava ao lado da diretora, o que demonstra claramente que os autores nem de longe são amadores.

  caminhonete em que a diretora se encontrava

A pergunta é, quem mandou matar Terezinha? Quais foram o qual foi o motivo desta execução? Acordos não cumpridos? Dívidas não pagas? Alguém próximo a ela sabia e nesse momento não pode abrir o bico por temer um desfecho avassalador?

Veja Também:  Ex-policial militar com diversas condenações e foragido da Justiça é localizado e preso na Capital

A motocicleta usada pelos matadores será identificada através da filmagem da placa, ou o plano para o crime incluiu talvez a clonagem da mesma? Afinal, se foi um crime de mando e contratados assassinos profissionais podem terem elaborado um plano bem complexo que poderá inclusive dar bastante trabalho a polícia.

Chegando a lembra a letra da música de engenheiros do wawaii, “crimes perfeitos não deixam suspeitos”.

Contudo, acreditamos que as polícias possuem um núcleo investigativo muito competente e esperamos em breve que este crime tenha um desfecho quanto aos autores e mandante do mesmo.

DA REDAÇÃO

Continue lendo

Policial

Ex-policial militar com diversas condenações e foragido da Justiça é localizado e preso na Capital

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT

Equipes da Gerência Estadual de Polinter e Capturas (Gepol) da Polícia Civil prenderam na última sexta-feira (15) mais duas pessoas que estavam foragidas da Justiça e com ordens de prisão em aberto.  

Um dos presos é um ex-policial militar, que responde a diversos processos na Justiça de Mato Grosso. Ele foi localizado no bairro do Porto, próximo ao Comando Geral do Corpo de Bombeiros. O ex-policial, de 60 anos, estava com ordem de prisão expedida pela 2ª Vara Criminal de Cuiabá.

Em setembro de 2012, o Serviço de Inteligência da Polícia Militar e o Batalhão da Rotam realizaram a apreensão na residência do ex-policial de farto material bélico, como arma de fogo, munição para fuzil calibre 556 e outras munições de diversos calibres (9 milímetros, 12 mm, 38, 22, 380 e ponto quarenta).

O ex-cabo responde a vários processos na Justiça estadual e foi condenado por homicídio com sentença condenatória já transitada em julgado e pena de 19 anos de reclusão. Na Vara Especializada de Combate ao Crime Organizado de Cuiabá ele responde pelo crime de roubo qualificado, com emprego de arma de fogo e concurso de pessoas, e foi condenado a nove anos de prisão.

Veja Também:  Casal é preso suspeito de fazer contrabando de defensivo agrícola

Na 1ª Vara Criminal de Cuiabá, ele foi condenado a 12 anos de reclusão e em outra condenação, na Comarca de Juscimeira responde por roubo majorado, associação criminosa e porte ilegal de arma de fogo, tendo sido condenado a 12 anos de reclusão pelo roubo à agência do Sicredi daquela localidade. Ele possui outros antecedentes criminais com indiciamentos e autuações por delitos como roubo de veículos com restrição a liberdade da vítima, receptação, posse ou porte ilegal de arma de fogo e lesão corporal.

A outra prisão foi realizada no centro da Capital. Em uma agência bancária localizada na Rua Barão de Melgaço, os policiais da Polinter detiveram uma mulher de 27 anos no momento em que ia realizar uma transação financeira. Ela estava com mandado de prisão, com sentença condenatória, expedido pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, onde responde a processo por tráfico de drogas na fronteira do Brasil com o Paraguai.

Veja Também:  Ação integrada prende grupo criminoso envolvido em roubo a fazenda em Brasnorte

Após a prisão, os dois detidos foram submetidos a exame de corpo de delito e encaminhados às respectivas unidades prisionais, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

 

 

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana