conecte-se conosco


Policia Federal

Polícia Federal usará Drones para reprimir crimes eleitorais nas Eleições 2020

Publicado


Brasília/DF – A Polícia Federal apresentou hoje, no Tribunal Superior Eleitoral – TSE, durante cerimônia de lançamento do Plano de Ação para as Eleições 2020, seu projeto de utilização de Drones para a prevenção e repressão aos crimes eleitorais.

Na ocasião, o Diretor-Geral da PF, Rolando Alexandre de Souza e o Secretário Executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Tércio Issami Tokano, apresentarão ao presidente do Tribunal, Ministro Luís Roberto Barroso, o planejamento da Operação Eleições Limpas que, dentre outras medidas, prevê a utilização de veículos aéreos não tripulados para monitorar eventuais irregularidades durante o pleito.

A Polícia Federal utilizará mais de 100 Drones. Os equipamentos atuarão em municípios estratégicos em todo o território Nacional. Os Drones irão sobrevoar as principais zonas eleitorais do país, ajudando a fiscalizar e combater crimes como boca de urna e transporte de eleitores.

Tais equipamentos trazem tecnologia de ponta e são capazes de voar em elevada altitude de forma imperceptível. Os Drones possuem câmeras capazes de realizar zoom suficiente para identificar suspeitos, placas de veículos, entregas de santinhos e situações de compra de votos, com imagens de alta nitidez. As imagens capturadas serão transmitidas a uma equipe da PF que estará preparada para monitorar a eleição e adotar as medidas cabíveis diante de atividades suspeitas. Assim, diante de algum flagrante de crime eleitoral, policiais se deslocarão, imediatamente, para o local indicado para prender os suspeitos, que serão conduzidos para a delegacia, onde serão tomadas as providências pertinentes. 

Veja Também:  Polícia Federal prende em flagrante taxista envolvido em transporte de imigrantes ilegais

A ação vai ao encontro das orientações da Direção Geral da Polícia Federal, no sentido de utilizar novas tecnologias para prevenir e reprimir ações delituosas. O uso de Drones possibilita, ainda, diminuir a presença física dos policiais e o contato social com não envolvidos em situação criminosa, o que se torna extremamente relevante diante do cenário de medidas de distanciamento social para combater a epidemia do novo coronavírus. 

Com isso, a instituição visa cumprir seu mister constitucional, de polícia judiciária eleitoral, e mostrar que está preparada para combater os crimes eleitorais, garantindo um pleito seguro para que os cidadãos possam exercer o seu direito de sufrágio dentro da legalidade.

 

Comunicação Social da PF
61 2024 8142

 

 

publicidade

Policia Federal

Polícia Federal prende em flagrante taxista envolvido em transporte de imigrantes ilegais

Publicado


Pacaraima/RR – A Polícia Federal prendeu em flagrante, hoje (30), na BR 174, um taxista no momento em que embarcava três imigrantes ilegais em seu veículo com a intenção de levá-los até Boa Vista.
 
Os policiais federais responsáveis pela prisão fizeram uma investigação prévia sobre as rotas irregulares usadas por imigrantes ilegais para entrarem no Brasil e fugirem dos controles do Exército Brasileiro e da PF, na saída do município de Pacaraima.
 
Conforme apurado pelos policiais, alguns taxistas do município de Pacaraima estariam ajudando imigrantes irregulares a entrarem no território brasileiro e se deslocarem até a cidade de Boa Vista. Além dos taxistas, há também venezuelanos que auxiliam os imigrantes a cruzarem a fronteira por meio de trilhas clandestinas e depois os conduzem até os motoristas de táxi, para que eles sigam viagem.
 
Também foi descoberto que os taxistas que aceitam transportar imigrantes em situação irregular cobram uma valor muito mais caro do que a passagem normal. A realização de tal prática, com o objetivo de lucro, caracteriza o crime de promoção da migração ilegal. A conduta está prevista no Código Penal Brasileiro que descreve, em seu Art. 232-A: “Promover, por qualquer meio, com o fim de obter vantagem econômica, a entrada ilegal de estrangeiro em território nacional”.

Veja Também:  PF deflagra a quarta fase da Operação Boitatá

 

Comunicação Social da PF

Continue lendo

Policia Federal

Polícia Federal deflagra operação para coibir o contrabando de pessoas

Publicado


Brasília/DF – A Polícia Federal deflagrou, nesta segunda-feira (30), a Operação “O Sonho Americano” que investiga a promoção da migração ilegal, crime também conhecido como contrabando de pessoas.

Até o momento foi possível identificar a ação de pessoas, conhecidas como coiotes, responsáveis por promover a entrada ilegal de mais de 500 brasileiros nos Estados Unidos, através da fronteira com o México.

Pelo esquema investigado, brasileiros interessados em ingressar ilegalmente nos EUA pagavam os coiotes para que realizassem todas as providências de logística, desde o território brasileiro até o destino final.

Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão nos estados de Rondônia e Mato Grosso, expedidos pela Justiça Federal de Cáceres/MT.

Na ação foram apreendidos celulares, computadores e diversos documentos de interesse da investigação.

A ação reafirma a importância das medidas de cooperação policial internacional, cabendo à Polícia Federal a representação do Brasil nos organismos policiais internacionais.

 

Comunicação Social da PF

Veja Também:  Polícia Federal prende em flagrante taxista envolvido em transporte de imigrantes ilegais
Continue lendo

Policia Federal

PF investiga fraudes no aluguel de ambulâncias em prefeituras do Espírito Santo

Publicado


Vila Velha/ES – A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira, 30/11, a Operação Resgate, com o objetivo de aprofundar as investigações sobre um grupo de empresários suspeito de fraudar contratos de aluguel de ambulâncias com recursos para combater o novo coronavírus em ao menos duas prefeituras do Espírito Santo: Aracruz e São Mateus.

 Foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão em residências e empresas nos municípios de Colatina, Guarapari, São Mateus, Aracruz e Vitória. Houve buscas e apreensões nas Prefeituras de São Mateus e de Aracruz. A operação contou com a participação de 42 policiais federais.

 

ENTENDA O CASO

Durante as investigações, foram apurados indícios de que havia uma combinação prévia dos preços que seriam apresentados pelas empresas que participavam das concorrências públicas, além do fornecimento de equipamentos inferiores aos estabelecidos. Empresas investigadas que apareciam como concorrentes nos certames, na realidade pertencem ao mesmo grupo familiar e outras eram controladas por interpostas pessoas (laranjas), participando dos processos apenas para conferir um aspecto de legalidade às contratações.

Veja Também:  PF combate lavagem de dinheiro no norte do Paraná

Alguns dos contratos investigados foram celebrados após o início da pandemia de COVID 19, o que levou à flexibilização das compras pelo Poder Público, com a contratação de serviços por dispensa de licitação.

A participação de servidores públicos e a ocorrência de fraudes em outros municípios ainda está sendo apurada.

As investigações contaram com a participação das instituições conveniadas do Fórum de Combate à Corrupção (Focco/ES), em especial do Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo.

 

CRIMES INVESTIGADOS

Os investigados poderão responder pelos crimes de fraude a licitações públicas e organização criminosa, previstos, respectivamente, no art. 90 da Lei 8.666/93 e no art. 2º da Lei 12.850/13.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Espírito Santo
Telefone: (27) 3041-8051/8029

Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana