conecte-se conosco


Tecnologia

TikTok cria ferramentas para informar sobre distúrbios alimentares; conheça

Publicado


source
TikTok tenta conter desinformação sobre o tema
Unsplash/Kon Karampelas

TikTok tenta conter desinformação sobre o tema

O TikTok anunciou, nesta segunda-feira (22), algumas medidas para tentar combater a desinformação a respeito de distúrbios alimentares . As novidades serão implementadas, por enquanto, apenas nos Estados Unidos .

Em parceria com a Associação Nacional de Distúrbios Alimentares dos EUA (NEDA, na sigla em inglês), o TikTok vai fornecer informações em algumas páginas. Quando um usuário pesquisar por termos relacionados ao tema, como “transtorno alimentar” ou “pró-aneroxia”, ele será encaminhado a uma página com conselhos sobre os distúrbios e telefones de contato do NEDA.

O mesmo acontecerá quando o usuário clicar em uma hashtag relacionada ao tema da alimentação, como #WhatIEatInADay (‘o que eu como em um dia’, em tradução livre).

Por enquanto, a rede social não fala em moderação de conteúdo acerca dos distúrbios alimentares. O TikTok já lidou com questões relacionadas no passado e, com um grande número de adolescentes cadastrados, tenta reverter conteúdos que podem ser perigosos.

Veja Também:  Golpes que usam a vacina como isca crescem na internet; saiba se proteger

publicidade

Tecnologia

Google Chrome vai receber atualizações com ainda mais frequência

Publicado


source

Tecnoblog

Chrome receberá mais atualizações
Unsplash/ Charles Deluvio

Chrome receberá mais atualizações

O Google anunciou que trabalha com novas metas agressivas para acelerar o ciclo de atualizações do Google Chrome . Atualmente, o navegador recebe novidades importantes a cada seis semanas, mas esse intervalo deve cair para quatro semanas, entregando melhorias de velocidade, além de estabilidade e segurança.

Você viu?

Google Chrome será atualizado a cada quatro semanas

Em comunicado no Blog do Chromium, a empresa informa que essas atualizações chegarão mais rapidamente assim que o Chrome 94 for disponibilizado, no terceiro trimestre deste ano. Ou seja, novos recursos como o gerenciamento de abas através de rolagem, anunciado recentemente, podem ser oferecidos com mais agilidade. Além disso, updates menores, focados em segurança, serão enviados a cada duas semanas.

Google Chrome ganhará opção “Extended Stable”

Uma nova opção Extended Stable estará disponível para administradores corporativos e incorporadores do Chromium que precisam de mais tempo para analisar e gerenciar os próximos updates; as novidades de marco estarão disponíveis aqui a cada oito semanas. No entanto, as atualizações de segurança, apenas para corrigir problemas, podem chegar no Extended Stable num ciclo de duas semanas, sem novos recursos ou funcionalidades, é bom ressaltar.

Veja Também:  Google Chrome vai receber atualizações com ainda mais frequência

“À medida que melhoramos nossos processos de teste e lançamento para o Chrome, e implantamos atualizações de segurança quinzenais para melhorar nossa lacuna de patch, ficou claro que poderíamos encurtar nosso ciclo de lançamento e entregar novos recursos mais rapidamente”, diz Alex Mineer, gerente de programa técnico e operações do Chrome .

O Google ainda tem outras melhorias de estabilidade para usuários do Chrome OS e promete compartilhar todos os detalhes nos próximos meses. A empresa já revisou o cronograma de lançamentos e as novidades continuam chegando a cada seis semanas até o Chrome 93 .

Continue lendo

Tecnologia

Índia foi o país que mais restringiu acesso à internet em 2020; veja a lista

Publicado


source
Índia reduziu ou cortou a internet da população 109 vezes em 2020
Unsplash/Naveed Ahmed

Índia reduziu ou cortou a internet da população 109 vezes em 2020

Ao longo de 2020, 29 países bloquearam o acesso à internet ou reduziram a sua velocidade de forma intencional. As informações são de um relatório do grupo Access Now, que defende os direitos digitais. No total, foram 155 restrições, 27% a menos que em 2019 (213).

O país que mais restringiu a internet da sua população, em disparado, foi a Índia , com 109 bloqueios ao longo do ano. 90% deles aconteceram na região da Caxemira , que ficou limitada à conexão 2G entre janeiro de 2020 e fevereiro de 2021.

Com maioria da população muçulmana, a Caxemira é a única região da Índia, majoritariamente hindu, dominada por islâmicos. A região vive conflitos separatistas, já que a maior parte da população prefere independência ou adesão ao Paquistão .

Ao redor do mundo, outras interrupções também tiveram questões políticas. Em Belarus , a população teve acesso restrito às redes sociais , incluindo WhatsApp e Telegram , durante o período de eleições. A tentativa do governo foi de dificultar a articulação de manifestações.

Veja Também:  Samsung lança tecnologia que revoluciona câmeras de celulares

Índia, Guiné, Belarus, Burundi, Quirguistão, Tanzânia e Togo também restringiram a conexão à internet durante períodos eleitorais. Aqui na América Latina, Venezuela, Equador e Cuba realizaram bloqueios ao longo do ano passado.

De acordo com o relatório, as justificativas dos países para bloquearem a internet foram baseadas em notícias falsas, medidas de precaução, segurança pública e segurança nacional, entre outras razões.

Confira a lista de países que restringiram o acesso à internet em 2020:

  • Índia – 109 vezes
  • Iêmen – 6 vezes
  • Etiópia – 4 vezes
  • Jordânia – 3 vezes
  • Togo – 2 vezes
  • Sudão – 2 vezes
  • Quênia – 2 vezes
  • Guiné – 2 vezes
  • Chade – 2 vezes
  • Belarus – 2 vezes
  • Venezuela – 2 vezes
  • Paquistão – 2 vezes
  • Azerbaijão – 1 vez
  • Equador – 1 vez
  • Cuba – 1 vez
  • Vietnã – 1 vez
  • Mianmar – 1 vez
  • Quirguistão – 1 vez
  • Bangladesh – 1 vez
  • Turquia – 1 vez
  • Síria – 1 vez
  • Iraque – 1 vez
  • Irã – 1 vez
  • Egito – 1 vez
  • Argélia – 1 vez
  • Uganda – 1 vez
  • Tanzânia – 1 vez
  • Mali – 1 vez
  • Burundi – 1 vez
Veja Também:  Google Chrome vai receber atualizações com ainda mais frequência

Continue lendo

Tecnologia

Samsung lança tecnologia que revoluciona câmeras de celulares

Publicado


source

Olhar Digital

Galaxy S21 Ultra
Divulgação/Samsung

Galaxy S21 Ultra

Samsung  anunciou nesta quinta-feira (4) a segunda versão da sua tecnologia Isocell voltada para as  câmeras dos celulares  da marca. De acordo com a postagem no site da gigante sul-coreana, a novidade entregará “um padrão mais alto de fotografia”, que permite preservar “as melhores memórias com qualidade notável”, além de melhorar a sensibilidade à luz e reduzir a interferência de cores nas imagens.

A empresa indica que os sensores ópticos com mais megapixels vão usar a tecnologia no futuro. De acordo com a fabricante, à medida que um número de pixels cada vez maior é incorporado às câmeras dos  smartphones , pode ocorrer um fenômeno chamado de “crosstalk” de cores, que é o vazamento de luz entre os pixels. A Samsung se propôs a resolver o problema com a Isocell.

Em 2013 a  Samsung  introduziu a tecnologia que incorpora barreiras físicas entre os pixels das câmeras. Na época, a Isocell havia conseguido reduzir a interferência de cores em 30%.

Isocell 2.0

Agora, a Isocell 2.0 refina ainda mais o recurso, substituindo, por exemplo, a grade de metal nos filtros de cores por outro material. Isso ocorreu porque o metal tem a tendência de refletir a luz, o que acaba reduzindo a qualidade final das imagens. De acordo com o vídeo abaixo, a novidade reduz essa perda óptica, melhorando drasticamente a sensibilidade à luz e permitindo que os smartphones “produzam imagens ainda mais vívidas e com ruído reduzido”.

“Os sensores de imagem podem incluir mais pixels para produzir detalhes mais finos sem comprometer a reprodução de cores”, acrescenta o vídeo divulgado pela fabricante, que aponta para um futuro com sensores com ainda mais resolução.

Até o momento, a  Samsung  oferece sensores para dispositivos móveis de 108 MP. No entanto, o objetivo de longo prazo da marca é oferecer sensores de câmera com “resolução equivalente ao olho humano”, de 500 MP até 600 MP. Por fim, a Samsung acrescenta que a sensibilidade aprimorada também ajudará os sensores da câmera mais modestos a absorver mais luz.

Continue lendo

Links Úteis

Rondonópolis

Policial

Política MT

Entretenimento

Mais Lidas da Semana